conecte-se conosco


AMM

Primavera do Leste caminha para se consolidar como polo de manutenção aeronáutico

Publicado

“Apostar em tecnologia é uma boa aposta”. Essa é a ideia do professor Dr. James (Rojas) Waterhause, da EESC-USP – Departamento de Engenharia Aeronáutica, de São Carlos-SP, que colocou seus conhecimentos, experiência e credibilidade à disposição do projeto de instalação do polo de manutenção aeronáutico liderado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico.

Pela sua análise, não está difícil, basta transformar e adequar o que está incipiente para conseguir a homologação do aeroporto, ponto de partida para instalação do projeto, “precisa melhorar o que já existe, porque esse projeto, assim que consolidado, vai contribuir positivamente com os índices sociais e econômicos do município”.

Segundo o professor, com um bom planejamento e sistematização é possível agregar valor a economia do município com polo de serviços que vai atender aeronaves agrícolas e executivas de pequeno e médio porte, além de gerar empregos bem remunerados, com salários acima da média e oferecer serviços de qualidade – “serviços eficientes vão atrair clientes de todo o Brasil, porque São Paulo sempre foi a referência desses serviços, mas a demanda é crescente e, se faz necessário expandir para outras regiões”.

Um detalhe importante, segundo o professor, é que esse projeto é da cidade, não tem dono, apartidário e pela sua grandiosidade se faz necessário ter um gestor, uma fundação para geri-lo, para “que façamos algo robusto para que todos ganhem com a homologação do aeroporto para fomentar a economia da região”.

Para João Francisco Mascaro, formado em administração de empresas, em São Carlos, SP, que faz parte da equipe da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, é importante salientar que há uma demanda muito grande desses serviços em São Paulo, São Carlos, Sorocaba, São José dos Campos, Jundiaí, que preferem aviões grandes, “por isso a necessidade de descentralização, de criar outros polos pelo país – Maringá, Florianópolis, Lages, Porto Alegre, Minas, Goiás e no nordeste para atender aviões de pequeno porte”.

Para que esse projeto se torne realidade, várias ações estão sendo trabalhadas, por exemplo, o IFMT- campus de Primavera – em parceria com o IFSP- Instituto Federal de São Paulo, campus de São Carlos, que tem tradição nessa área, vão disponibilizar o curso de Técnico de Manutenção de Aeronaves, de um ano e meio e, no futuro, tecnólogo ou superior para formar profissionais e habilitá-los para manutenção de aeronaves. Com cinco oficinas credenciadas pela ANAC hoje é possível atender 250 aeronaves/ano; em três anos esperamos poder elevar esse número para 500 e em cinco anos ser possível atender 1000 aeronaves.

Para o prefeito Léo Bortolin, essa homologação vai oxigenar a economia, dar mais visibilidade para o município que tem se firmado como polo em áreas essenciais como saúde, educação e cultura e no momento caminha para “ser o polo de manutenção aeronáutico e, Primavera será conhecida nesse segmento importante para a economia do país”. 

 

Fonte: AMM
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

AMM

Município será o primeiro a receber o programa de desenvolvimento sustentável no Estado

Publicado

O município de Salto do Céu, localizado na região Sudoeste do Estado, a 350 quilômetros da Capital, será o primeiro a receber o programa Parceria para Ação em Economia Verde. 106 municípios de Mato Grosso com menos de 20 mil habitantes terão o apoio do Programa internacional Page (Partnership for Action on Green Economy), para elaboração do seu Plano Diretor. Salto do Céu conta atualmente com 3.365 habitantes, segundo estimativa do IBGE.

O Coordenador do Programa Page no Estado, Eduardo Chiletto, ressalta que a  proposta é fazer com os pequenos municípios iniciem seu processo de desenvolvimento de forma sustentável, com qualidade de vida, saúde ambiental para todos e saneamento básico, com foco na geração de empregos.“O que a população julgar necessário e pertinente, uma vez que este plano diretor será participativo. Isto é, contará com a participação de toda a comunidade, tanto a urbana quanto a rural”, afirma, explicando que os municípios com população acima de 20 mil habitantes são obrigados por lei a ter o seu plano diretor.  

O mecanismo é fundamental para o planejamento e ordenamento territorial. O desafio é elaborar um plano efetivamente participativo, que contribua para a transformação equitativa e sustentável do município, com geração de empregos, redução da pobreza, preservação ambiental e melhoria do bem-estar de sua população.“Enfim, que implemente os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), preconizados pela Organização das Nações Unidas (ONU)”, assinalou.

No município de alto do Céu, o processo teve início em janeiro deste ano, por meio de reuniões e oficinas de capacitação com os moradores. Já foram realizadas reuniões prévias com as lideranças, incluindo o prefeito Wemerson Prata, os secretários municipais, vereadores, empresários e líderes comunitários para definir a melhor forma de abordagem dos moradores urbanos e rurais.

Estão sendo levantadas, por meio de reuniões e visitas a assentamentos, todas as necessidades da população. Entre os temas abordados estão a infraestrutura (habitação, mobilidade e acessibilidade a equipamentos coletivos como hospitais, escolas, centros esportivos, bibliotecas e praças públicas, meio ambiente (áreas de risco e de preservação ambiental). Todas as informações farão parte do diagnóstico municipal.

Após o processo, com o levantamento das prioridades de cada setor da população, partiremos para o plano de ação. Ou seja, como implementar e onde buscar os recursos necessários para implementação do Plano Diretor. A fase final será transformá-lo em lei, junto, obviamente, com a rede de controle estadual, como o Ministério Público e o Tribunal de Contas.

Raio X –  Localizado na microrregião de Jauru, no Sudoeste de Mato Grosso, o município de Salto do Céu teve sua população reduzida na última década – o censo de 2010 registrou 3.908 habitantes, enquanto pela estimativa de 2019, do IBGE, conta com 3.365 moradores. Sua densidade demográfica é de 2,23 habitantes por km2. Em 2018, de acordo com o IBGE, contava com cinco escolas (uma para o ensino infantil, outra para o ensino médio e três para o ensino fundamental) e 788 alunos matriculados (164 no ensino infantil, 465 no fundamental e 159 no médio).Em 2017, registrou o IBGE, seu PIB (Produto Interno Bruto) total era de R$ 56,857 milhões e PIB per capita de R$ 16.987,13 (respectivamente, 110º e 131º no ranking estadual. PIB formado por Administração pública (39,96%), Agropecuária (29,54%), Serviços (19,78%), Indústria (4,34%) e Impostos (6,38%).

Salto do Céu possui um rebanho bovino de 166.257 cabeças, com 4.221 vacas ordenhadas e uma produção leiteira anual de 8,396 milhões de litros. Produziu, em 2018, 162,4 toneladas de peixes, 2.100 toneladas de milho, 5.29 toneladas de soja e 650 toneladas de mandioca.

Fonte: AMM
Continue lendo

AMM

Prefeitura de Pedra Preta divulga contas anuais de gestão de 2019

Publicado

A Prefeitura Municipal de Pedra Preta comunica que as Contas Anuais de Gestão-Balanço Geral referentes ao exercício financeiro de 2019 estão à disposição para exame e apreciação da população desde sexta-feira (14), no departamento de Contabilidade ou através do endereço eletrônico www.pedrapreta.mt.gov.br. De acordo com o prefeito Ná, a administração municipal cumpre os dispositivos legais estabelecidos pelo parágrafo 3º do artigo 31 da Constituição Federal, artigo 209 da Constituição Estadual e Lei Orgânica Municipal.

Fonte: AMM
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana