conecte-se conosco


Política MT

Presidente interina, Janaína prioriza Santa Casa e assume negociações para viabilizar repasse de R$ 3,5 milhões

Publicado

Deputada quer dar sequência às negociações com a Santa Casa, que suspendeu atendimento há mais de um mês, por falta de pagamento de salários aos funcionários

Deputada estadual Janaina Riva (MDB), presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, disse que a prioridade no período em que estiver à frente do Parlamento Estadual, será dar sequência às tratativas para encontrar uma solução ao problema da Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá e aos assuntos macros como a falta de recursos para saúde e educação.

“Uma das primeiras medidas à frente da presidência será retomar as negociações com relação à Santa Casa. Essa é uma tarefa e um dever que o Botelho me deixou porque até agora mesmo dispostos a ajudar, ainda não conseguimos efetivar o repasse com o auxílio que a Assembleia vai fazer à Santa Casa de R$ 3,5 milhões. Depois vou tratar das pautas mais macros do estado que nós sabemos que continuam sendo a Saúde e a Educação, onde temos uma demanda de R$ 360 milhões em Termos de Ajustamento de Conduta (TAC), oque é obrigatório o governo cumprir, porém o estado conta hoje apenas com R$ 50 milhões na Secretaria de Educação, oque é totalmente insuficiente, portanto vamos ter que tratar disso também”, disse.

Em entrevista coletiva ocorrida logo após a sessão matutina desta quarta-feira (17) em que o presidente Eduardo Botelho passou o comando da Casa à parlamentar, ela também afirmou que o fato de ser a primeira mulher na história de Mato Grosso a assumir oficialmente a presidência da Assembleia Legislativa deve ser visto como motivo de orgulho para todas as mulheres desse estado.

“Tivemos um momento importante e histórico para o parlamento. Eu acredito que até o dia de hoje as mulheres sequer sabiam que uma mulher nunca tinha chegado a um posto como esse aqui na Assembleia Legislativa. Nunca tinha chegado sequer à vice-presidência. Assumo hoje a presidência do Parlamento Estadual e quero deixar meu nome marcado na história desempenhando um bom papel e passando para a sociedade que esse ambiente preconceituoso e machista não cabe mais em lugar algum e também não cabe mais na política do nosso estado. Este é o momento de as mulheres se sentirem representadas e valorizadas. Em verdade o presidente Botelho nem precisaria tirar essa licença de tanto tempo, mas o fez para valorizar o papel feminino, demonstrando que tem essa sensibilidade de que nós precisamos nos empoderar mostrar que temos competência, equilíbrio suficiente e capacidade para fazermos a diferença”, disse.

Antes de passar a cadeira da presidência para Janaina Riva, o presidente Eduardo Botelho, fez um discurso em que enalteceu a capacidade política da deputada. “Depois de 19 legislaturas, pela primeira vez uma mulher vai assumir de forma oficial a presidência desta casa. E tal fato coube a mim, um homem nascido no dia 8 de março, no dia da mulher. Coincidências a parte, confesso que poder fazer esta passagem, mesmo que temporária, me enche de orgulho, até mesmo porque a senhora deputada é uma das pessoas mais competentes que já sentou nas cadeiras desta casa. Pela competência e disponibilidade não tenho duvidas que ainda irá assumir muitos outros cargos de destaque não só nesta casa, mas no nosso estado  e no cenário federal deste país”, disse.

Botelho lembrou também que Janaina representa a nova cara de Mato Grosso e da política. “Ela é não somente representante das mulheres neste parlamento, mas também filha deste novo estado que se forma a partir das décadas de 60, 70 e 80 do século XX. Janaina é filha de Juara, é filha das novas fronteiras de progresso e desenvolvimento deste estado. Janaina já é fruto deste novo Mato Grosso que tanto nos orgulha e engrandece. Desde Oliva Enciso, uma professora corumbaense radicada em Campo Grande, que foi a primeira mulher a ocupar uma cadeira no Parlamento Estadual de Mato Grosso ainda na década de 50, quando Mato Grosso e Mato Grosso do Sul era um único estado, passando por Sarita Baracat, a primeira mulher a ocupar uma cadeira neste legislativo no pós-divisão. Deputada Janaína, você assume esta cadeira, mesmo que por um curto período, mas você assume de forma oficial por todas elas e por todas as mulheres mato-grossenses”, declarou.

Emocionada, Janaina agradeceu a confiança nela depositada por Botelho e disse que uma nova era começa hoje. “Quero agradecer ao presidente Eduardo Botelho pela confiança em mim depositada. Primeiro quando me convidou para ser sua vice-presidente e, agora, ao confiar a mim temporariamente a presidência do Poder Legislativo Estadual.  Fiz de cada pedra em meu caminho um degrau que me conduziu à reeleição em 2018 com 51.546 votos não mais como a ‘herdeira política’, mas sim como a deputada de Mato Grosso, que lutou pelos diretos de todos e deu voz aos que não eram vistos pelo Poder Público, bandeiras que fizeram a mais votada e, por consequência, me conduziram ao dia de hoje. Uma coisa que a vida me ensinou,  é que nossos desafios podem ser novos, mas aqueles valores dos quais nosso sucesso depende , que são o trabalho duro, coragem, justiça, tolerância, lealdade e amor pela nossa gente, essas coisas são antigas e mais do que nunca precisam respeitadas. Assumo esse desafio de cabeça erguida e humildemente, assim como cheguei na casa há 4 atrás. É um novo tempo, e o nosso povo pede respostas e resultados cada vez mais rápido”, finalizou.

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política MT

Animado com disputa majoritária, Leitão recebe apoio do presidente da AMM e prefeitos em MT

Publicado

Ex-deputado federal, Nilson Leitão (PSDB): apoio do municipalismo representado pelo presidente da AMM, Neurilan Fraga

A candidatura de Nilson Leitão (PSDB) ao Senado Federal está caminhando a passos largos. Nos últimos dias, Leitão recebeu o apoio do presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), Neurilan Fraga e de diversos prefeitos à sua candidatura. Dentre eles estão: Lucimar Campos (DEM), prefeita de Várzea Grande; o prefeito de Sorriso, Ari Lafin (PSDB); a prefeita de Chapada dos Guimarães, Thelma de Oliveira (PSDB); a prefeita de Sinop, Rosana Martinelli (PL), o prefeito de Apiacás, Adalto Zago (PSDB); o prefeito de Cáceres, Francis Maris (PSDB); prefeito de Itanhangá, Edu Laudi Pascoski (PL); o prefeito de Ipiranga do Norte, Pedro Ferronatto (PSDB); prefeito de Cláudia, Altamir Kurten (PSDB); prefeito de Canabrava do Norte, João Cleiton (PSDB); prefeito de Tapurah, Iraldo Ebertz (PSL), além do prefeito de Jaciara, Abdo Mohammad (PSDB).

Além disso, a coligação Mato Grosso por Inteiro também tem o apoio dos dois senadores eleitos por Mato Grosso, Jayme Campos (DEM) e Wellington Fagundes (PL), que ampliam muito a sua base eleitoral, contemplando todas as regiões do estado.

Ao analisar essa forte adesão de senadores, lideranças e prefeitos à sua candidatura, Nilson Leitão avalia que se trata mais do que um projeto político, mas uma causa de combate às desigualdades. “Quero ser senador de Mato Grosso por inteiro, precisamos dar vez e voz ao interior e aos municípios do estado. Mato Grosso tem desigualdades regionais e é preciso combatê-las.

Neurilan Fraga, que já foi prefeito e hoje está no seu terceiro mandato como presidente da AMM, defende a causa municipalista e vê Leitão como o candidato mais preparado, próximo dos prefeitos e das demandas dos municípios. “A chapa encabeçada pelo Nilson é a que mais representa os municípios e seus gestores, é a que mais tem identidade com os prefeitos, uma vez que é a única que, tanto o candidato quanto os seus suplentes, já foram prefeito e vereador e, por isso, conhecem de perto os problemas e os desafios que os gestores municipais enfrentam no dia a dia”, ressaltou.

Prefeita da segunda maior cidade do estado, Lucimar Campos exaltou a importância de Nilson Leitão no Senado, ao lado de Jayme Campos e Wellington Fagundes, representando uma integração dos senadores de Mato Grosso no Congresso. “Esse alinhamento representa uma causa maior, que é trabalhar para gerar oportunidades para todos e acabar com as desigualdades regionais. Como prefeita, não tenho dúvidas: Nilson Leitão é o mais qualificado e preparado para ocupar esse cargo, pois conhece de perto a realidade dos municípios e já mostrou que sabe fazer. Tem trabalho prestado em todos os cantos de Mato Grosso”.

Para o prefeito de Sorriso, Ari Lafin, Leitão como deputado federal sempre teve um papel muito importante no desenvolvimento do estado, principalmente na região norte e na cidade de Sorriso. “Por meio do trabalho e de emendas de Nilson Leitão conseguimos viabilizar a compra de ambulâncias, caminhão para a agricultura familiar, além de ações que fortaleceram o agronegócio na região, principal atividade econômica aqui no município. O Nilson é uma representatividade necessária no Senado, para que ele possa levar nossas demandas na área da saúde, educação, geração de emprego e renda e buscar melhorias para Sorriso e todo o Mato Grosso”, frisou.

O prefeito de Cáceres, Francis Maris, destacou o trabalho de Nilson junto aos ministérios e ao fortalecimento do agronegócio. “Nos últimos anos, o agronegócio cresceu muito em Mato Grosso e grande parte desse crescimento deve-se ao esforço de Nilson Leitão em Brasília. Não tenho dúvida, como senador ele será um defensor dos municípios e continuará trabalhando pelo desenvolvimento do agro e do estado”, defendeu.

Nilson Leitão reconhece a importância desses apoios e afirma que pretende, caso seja eleito, trabalhar em favor de todas as regiões do estado e que seu mandato será voltado para o desenvolvimento dos municípios. “Farei isso como senador, lutarei para que todos os municípios, desde o menor até o maior, se desenvolvam e tenham o mesmo valor. E isso, consequentemente, refletirá na melhoria da qualidade de vida da população”.

Continue lendo

Política MT

Pedro abre campanha pelas redes sociais em solidariedade às vítimas da covid-19 em MT

Publicado

Ex-governador, Pedro Taques (SDD): candidato ao Senado lança campanha com homenagem as vítimas da pandemia em MT

O ex-senador e ex-governador Pedro Taques (Solidariedade) decidiu lançar sua candidatura ao Senado Federal por meio de um vídeo postado em suas contas nas redes sociais. Nele, Pedro destaca que sua campanha será pautada pela legalidade e com respeito à vida. No lançamento da campanha pela internet, o candidato buscou demonstrar respeitos aos 3.394 mato-grossenses vítimas das covid-19 e seus familiares e amigos.

O candidato disse que vai respeitar todas medidas de distanciamento social para evitar a proliferação da covid-19 em Mato Grosso.  “Nós só vamos fazer o que é certo! Entre o fácil e o certo, sempre fique com o certo”, disse o postulante ao cargo de Senador por Mato Grosso.

No vídeo, Pedro destaca o desejo de voltar ao Senado da República e de orgulhar o povo do estado, como fez entre os anos de 2011 a 2014. “Foi uma decisão difícil, algumas pessoas da minha família não queriam, outras me incentivaram. Mas, depois nos unimos, para que eu possa voltar ao Senado. Agora eu preciso de você, eu preciso de cada mato-grossense, seja ele morador de Colniza, Confresa, Itiquira, do Araguaia, do Vale do Rio Cuiabá ou de Sinop”, afirmou.

Pedro aproveitou a mídia para reforçar que o Senado é o local em que todos os estados possuem a mesma representatividade, seja o Acre (menor estado em termos populacionais do país) ou São Paulo (o mais populoso e o maior economicamente). “Eu quero ser o seu senador para que Mato Grosso possa ter voz no Senado da República.

Pedro será candidato pela chapa “Todos Somos Mato Grosso” que tem o Solidariedade e o Cidadania em sua formação. A aliança foi firmada para a eleição suplementar ao Senado que acontece em 15 de novembro. A eleição será junto com o pleito municipal.

Dois servidores públicos fazem parte da chapa com Pedro, o Delegado Fausto (Cidadania) e a Doutora Elza Queiroz (Solidariedade), primeiro e segundo-suplente respectivamente.

Perfil Pedro Taques

Pedro Taques é cuiabano, nasceu em 15 de março de 1968, filho de Alinor Teixeira Taques e Eda Gonçalves Taques. Seu pai é um pequeno agricultor rural e sua mãe é professora aposentada. Pedro é pai de Renata Taques tem 22 anos.

O candidato é formado em direito pela Universidade de Taubaté, iniciou sua carreira como procurador do Estado de São Paulo. Em 1995 entrou para o Ministério Público Federal onde ganhou projeção ao lutar contra o crime organizado. Entre os feitos de maior repercussão de sua carreira no Ministério Público está a prisão de João Arcanjo Ribeiro, que controlava os jogos de azar em Mato Grosso e era conhecido como comendador.

Depois de 15 anos de trabalho como procurador, em 2010, pediu exoneração do cargo vitalício para ser candidato a senador da República. Foi eleito com 708.440 votos.

O reconhecimento pela postura ética rendeu ao mato-grossense espaço como membro titular da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a mais importante do Senado. Também comandou no Senado a reforma do Código Penal Brasileiro.

Por três anos consecutivos, Pedro Taques foi destaque no Prêmio Congresso em Foco, que elege os melhores parlamentares do Congresso. Em 2011, 2012 e 2013, esteve entre os 10 melhores senadores do Brasil.

Além disso, Pedro Taques esteve entre os parlamentares mais influentes do país, conforme o levantamento do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar – o DIAP. Desde que assumiu o mandato, Pedro Taques esteve entre “os 100 cabeças do Congresso”, conforme a instituição.

Em 2014, Pedro foi eleito governador de Mato Grosso. No comando do Palácio Paiaguás, Pedro enfrentou a maior crise econômica da história. Mesmo com falta de recursos, fez uma administração voltada ao social. Sendo o responsável por grandes contribuições  nas políticas públicas, mas reconhece que em função das circunstâncias históricas não pode fazer tudo o que gostaria.

Agora, Pedro se lançou em um novo desafio, quer voltar a ser senador e ocupar a vaga deixada pela senadora Selma Arruda, após a confirmação de sua cassação pelo TSE.

Os suplentes

O Delegado Fausto tem 39 anos e atua como delegado em Mato Grosso há 13 anos. Em 2016 foi presidente do Intermat, e em 2017 assumiu o Gabinete de Transparência e Combate à Corrupção (GTCC), na gestão de Pedro como governador. No fim de 2017, assumiu o comando da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh). Ele voltou à Polícia Civil na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) em 2019. Ele será o primeiro suplente da chapa.

Elza Queiroz é médica, anestesiologista, professora da Universidade Federal de Mato Grosso e servidora da Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso  (SES). Foi presidente do Sindicato dos Médicos de Mato Grosso e é filiada ao Solidariedade. Ela será a segunda suplente da chapa.

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana