conecte-se conosco


TCE MT

Presidente do TCE propõe telemedicina para combate à Covid-19 e política de apoio às micro e pequenas empresas

Publicado


.

O presidente do Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT), conselheiro Guilherme Antonio Maluf, propôs a implantação da telemedicina para ampliar os atendimentos e eficiência no combate ao novo coronavírus (Covid-19), além de uma política imediata de apoio às micro e pequenas empresas. 

A proposta foi feita durante live realizada pela Escola Superior de Contas nesta quinta-feira (25). Além de Maluf, participaram do encontro virtual, o presidente da Assembleia Legislativa (ALMT), Eduardo Botelho, o presidente da Associação Matogrossense dos Municípios (AMM), Neurilan Fraga, e o supervisor da Escola Superior de Contas, conselheiro Luiz Henrique Lima, que debateram as ações de combate à emergência de saúde pública no Estado e no país em decorrência da pandemia da Covid-19.  Ao todo, 500 pessoas participaram da live, de 16 municípios. 

A Telemedicina é uma área da telessaúde que oferece suporte diagnóstico de forma remota, permitindo a interpretação de exames e a emissão de laudos médicos à distância. Para tanto, ela conta com o apoio das Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs).

“Defendo a telemedicina emergencial em Mato Grosso para melhorar a eficiência no combate ao coronavírus e assim, ter especialistas no interior. Não estávamos preparados para enfrentar uma pandemia, foram criados leitos, mas sem preparação de equipe multidisciplinar. Temos auditores do TCE-MT indo à campo, fazendo fiscalizações e trazendo informações de índices de mortalidade e permanência na UTI”, afirmou.

O presidente da ALMT, Eduardo Botelho, concordou com o presidente do TCE-MT e apoiou a proposta de

implementar a telemedicina. “Temos recebido muitas denúncias de índice de mortalidade bem maior do que a média do país, então a telemedicina seria importante, inclusive, para promover capacitação e treinamento da equipe de Mato Grosso”, comentou. 

Sobre o apoio às pequenas e médias empresas, o conselheiro Guilherme Antonio Maluf argumentou que a prioridade é a saúde pública e salvar vidas, mas que as instituições precisam com urgência planejar um trabalho de apoio as empresas e, consequentemente, a geração de empregos. 

“Temos que preparar o Estado para o pós pandemia agora, para salvar as empresas e os empregos. Devemos propor a união de TCE-MT, ALMT, AMM, Governo do Estado e outros, para fomentar novos empregos e evitar uma quebradeira futura. O Governo Federal tem discutido refis pós pandemia, acho que é uma das alternativas para o Estado e tributos municipais, mas vou além e proponho algo semelhante ao que acontece em Niterói (RJ), onde o BNDES, em parceria com a prefeitura e Governo, levantou recurso para financiar micro empresas, é uma experiência positiva de empréstimo que pode ser pensada”, sugeriu Maluf.  

Outra proposta discutida entre TCE-MT e AMM, foi a de desenvolver um projeto para atuação dos municípios na prevenção à Covid-19, estimulando a rede de atenção básica. Será criada uma comissão entre os órgãos para avançar no tema, convidando a Assembleia Legislativa, UFMT, entre outros. 

LEITOS DE UTI

A criação de um hospital de campanha em Cuiabá para ampliar os leitos de UTI e a descentralização dos leitos, levando para os municípios do interior, também foram temas da live. 

“Acredito que deve haver uma centralização dos leitos de UTI em Cuiabá e Várzea Grande, projeto para estimular as unidades básicas de saúde nos municípios a trabalharem no combate ao coronavírus, utilizando os agentes de saúde para mapear casos, planejar lockdown regional ou distrital e não estadual, com tratamento diferenciado avaliando cada região, além da distribuição de medicamentos aos municípios, mas para as unidades de saúde e utilização com critérios técnicos e médicos”, opinou Maluf. 

Neurilan Fraga defendeu barreira sanitária para evitar a entrada de população de outros estados em Mato Grosso e descentralização dos leitos de UTI. 

“Não adianta fechar as atividades econômicas, implantar lockdown em Cuiabá, se não tomarem medidas nos demais municípios, que muitas vezes não têm hospital e vai ter o deslocamento para Cuiabá. Se no pequeno município, o prefeito, instituições e sociedade não tiverem medidas de distanciamento social e sanitárias, vão encaminhar pacientes para Cuiabá e Várzea Grande. Encaminhamos aos municpipios, recomendações com 32 medidas tanto de aspecto sanitário quanto de evitar aglomeração para segurar a velocidade da contaminação”, pontou o presidente da AMM. 

Já o presidente da ALMT defendeu a aquisição do kit covid pelo Estado para distribuição nos municípios e descentralização dos leitos de UTI. “O Estado tomou as medidas, ampliou o Hospital Metropolitano, mas uma das falhas talvez foi não ter feito um planejamento para construção de UTI no interior.  A concentração fez com que os pacientes do interior viessem para cá, gerando mais superlotação. Então, defendo a construção de UTIs regionais no interior e que depois da pandemia, esses leitos possam ficar”, argumentou. 

Ao encerrar a live, o conselheiro Luiz Henrique Lima agradeceu a participação dos convidados e os internautas,

e disse que a Escola Superior de Contas tem promovido discussões e orientações para subsidiar os gestores municipais e estaduais. ”Desde o início da situação de emergência, o TCE-MT está promovendo ações de esclarecimento, conscientização, além do seu papel constitucional de fiscalização e controle social sobre esse tema de máxima importância”.

 

Kleverson Souza
Secretaria de Comunicação/TCE-MT
(65) 3613 7559

Fonte: TCE MT

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TCE MT

Conselheiro participa de live da Escola de Saúde Pública de MT sobre transparência dos recursos e gastos públicos

Publicado


.

O conselheiro do Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT) Luiz Henrique Lima participa, na próxima quinta-feira (6), da live promovida pela Escola de Saúde Pública de Mato Grosso (ESP-MT) com o tema: “Transparência dos recursos e gastos públicos em tempos de Covid-19”.

A live será transmitida ao vivo no canal da ESP-MT no Youtube (clique aqui), a partir das 14 horas.

A Escola de Saúde Pública do Estado de Mato Grosso, órgão colegiado da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), é executor da política de recursos humanos do SUS no Estado e está integrada ao Sistema Estadual de Ensino.

 

Josana Salles
Secretaria de Comunicação/TCE-MT
E-mail: [email protected]

Fonte: TCE MT

Continue lendo

TCE MT

Radar Covid-19 tem mais de 43 mil acessos em quatro meses

Publicado


.

Lançado em abril deste ano pelo Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT), o Radar Covid-19, painel de análise e monitoramento do coronavírus em Cuiabá, Mato Grosso, Brasil e Mundo, recebeu mais de 43 mil acessos em quatro meses dos 27 estados da federação.

A ferramenta é atualizada diariamente e está disponível para o acesso da população e dos fiscalizados pelo link (https://covid.tce.mt.gov.br). No Radar Covid-19, é possível acompanhar os casos de coronavírus, a estrutura hospitalar disponível por município ou em nível estadual e a projeção da população de risco. 

Por meio do Radar Covid-19, é possível acompanhar as aquisições dos gestores estaduais e municipais no combate a Covid-19. Ao todo, foram 1.051 licitações relacionadas ao novo coronavírus, e um montante de R$ 156 milhões homologados para o enfrentamento da pandemia.

Em relação as fiscalizações realizadas pelo TCE-MT, são 90 processos em andamento que podem ser verificados no painel de análise e monitoramento sobre qual órgão, município, detalhamento do objeto licitado e com qual relator está o processo. 

“Com o início da pandemia, o TCE-MT se preparou para cumprir o dever de fiscalizar e orientar os gestores. O Radar Covid-19 contempla a análise dos casos, óbitos em Cuiabá, no Brasil e no mundo, os números de leitos, respiradores, estrutura hospitalar, número de médicos e posteriormente, ampliamos a ferramenta com o mapeamento de aquisições e as fiscalizações realizadas pelo órgão de controle, além da progressão da doença”, explicou a auditora e assessora técnica da Secretaria-geral de Controle Externo do TCE-MT, Lisandra Hardy Barros. 

Nas próximas semanas, o Radar-Covid 19 vai lançar uma nova aba, que vai mostrar quanto de recurso cada município recebeu do Governo Federal e do Governo do Estado. 

 

Kleverson Souza
Secretaria de Comunicação/TCE-MT
E-mail: [email protected]

Fonte: TCE MT

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana