conecte-se conosco


Política Nacional

Presidente da Anvisa revela à comissão da Câmara que está com Covid-19

Publicado


.
Antonio Barra Torres entrou em isolamento social, mas segue coordenando os trabalhos da agência a distância

O diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antonio Barra Torres, revelou nesta terça-feira (19), por meio de vídeo encaminhado à comissão externa da Câmara dos Deputados que analisa ações contra a Covid-19, que foi diagnosticado com a doença. O dirigente da agência, que é vinculada ao Ministério da Saúde e tem como missão “proteger e promover a saúde da população”, afirmou que desenvolveu sintomas na semana passada e, na última sexta-feira (16), recebeu resultado positivo por meio do teste RT-PCR, que é considerado o mais confiável.

Em março deste ano, Barra foi criticado pela associação dos servidores da Anvisa (Univisa) por participar de ato público com a presença do presidente Jair Bolsonaro, que, na ocasião, cumprimentava apoiadores, tirava selfies e adotava medidas contraindicadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) no combate ao novo coronavírus. A nota de repúdio manifestava “consternação” com a atitude de Barra e destacava que a  “Anvisa vem atuando de forma exemplar no cumprimento das recomendações internacionais e na colaboração junto ao SUS para preservar a saúde da população”.

Seguindo orientação médica, Barra entrou em isolamento social, mas segue coordenando os trabalhos da agência a distância. “Como meus sintomas me permitem trabalhar, sigo na execução do meu trabalho”, disse. O vídeo encaminhado por ele foi exibido durante reunião que discutiu o cenário regulatório de testes para diagnóstico e ventiladores pulmonares usados no combate à doença.

Ao apresentar os números da regulação, Barra informou que, mesmo antes da pandemia, já existiam no País 96 ventiladores pulmonares registrados na Anvisa. Ele observou, entretanto, que o surto da Covid-19 fez crescer o número de pedidos de registro: dentre os 24 protocolados, 19 foram aprovados, 4 aguardam o cumprimento de exigências pelo fabricante e 1 ainda está sob análise.

“São equipamentos de alta tecnologia embarcada, com circuitos digitais e componentes eletrônicos que garantem o suporte à vida do paciente e permitem reprogramação e ajustes precisos durante o tratamento”, destacou. Barra comentou ainda sobre ventiladores manuais, ou Ambus (do inglês, unidade de respiração artificial manual), que também estão sendo analisados pela Anvisa. “Até o momento, temos 6 Ambus automatizados com protocolo entregue na Agência, mas nenhum foi aprovado”.

Testes
Em relação aos testes para a Covid-19, o presidente da Anvisa informou que a agência recebeu 362 pedidos de registro, dos quais 90 foram aprovados e 57 foram reprovados. “Temos recebido constantes correspondências do FDA (agência reguladora americana) e da agência europeia mostrando que determinados produtos já aprovados tiveram que ter sua aprovação revista, o que caracteriza um processo delicado, minucioso e dinâmico”, disse.

Reportagem – Murilo Souza
Edição – Geórgia Moraes

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política Nacional

Comissão debate validade das licenças ambientais das Usinas de Furnas

Publicado


AC Junior/Furnas/Divulgação
Represa e hidrelétrica de Furnas

A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados debate nesta quarta-feira (29) a validade das licenças ambientais das usinas de Furnas. O debate atende a requerimento do deputado Aureo Ribeiro (Solidariedade-RJ).

O parlamentar explica que, conforme matéria publicada no jornal O Tempo, as atividades relacionadas ao lago de Furnas, especialmente as destinadas para geração de energia, e as que mantêm a hidrovia da região encontram-se sem licenciamento ambiental. “Foram renovadas concessões de novos prazos que, até então, não foram cumpridos pela hidrelétrica de Furnas”, explica o deputado.

A reunião será realizada às 10 horas, no plenário 11.

Foram convidados:
– o diretor de Engenharia de Furnas, Sidnei Bispo;
– a superintendente de Comunicação e Relações Institucionais de Furnas, Ana Claudia F. Gesteira;
– a superintendente de Gestão Ambiental de Furnas, Letícia Costa Manna Leite; e
– o diretor de licenciamento ambiental do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Jônatas Souza da Trindade.

Da Redação – RL

Continue lendo

Política Nacional

Lira: Brasil não pode tolerar gasolina a quase R$ 7 e o gás a R$ 120

Publicado


Michel Jesus/Câmara dos Deputado
Arthur Lira concede entrevista
Lira: “A Câmara dos Deputados está fazendo seu dever de casa”

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirmou que os deputados vão buscar alternativas legislativas para evitar novos aumentos nos preços dos combustíveis e do gás de cozinha. O tema vai ser discutido na reunião do Colégio de Líderes prevista para a próxima quinta-feira. Segundo Lira, o Brasil não pode tolerar gasolina a quase R$ 7 e o gás a R$ 120. Ele criticou o diretor da Petrobras Cláudio Mastella, que avalia um aumento nos preços em razão da alta do dólar.

“O diretor da Petrobras Cláudio Mastella diz que estuda com “carinho” um aumento de preços diante desse cenário. Tenho certeza que ele é bem pago para buscar outras soluções que não o simples repasse frequente”, afirmou Lira por meio de suas redes sociais.

Lira disse que a Câmara está fazendo seu dever de casa para ajudar na retomada do crescimento econômico, com respeito aos limites fiscais e sendo responsável em todas as suas sinalizações para o mercado.

“Mesmo assim, o dólar persiste num patamar alto. Junto com a valorização do barril de petróleo, a pressão no preço dos combustíveis é insustentável”, disse o presidente.

Há 15 dias, Lira já havia cobrado mais esclarecimentos públicos da Petrobras em relação aos preços dos combustíveis e da logística do gás. Segundo ele, a estatal precisa ter uma política de preços clara e pensar no País, sobretudo neste momento de crise energética e de saída da pandemia.

Lira chegou a afirmar que o Congresso iria tomar providências para corrigir eventuais erros na empresa, sem prejudicar a economia e sem intervir na estatal nem retomar a política de controle de preços.

Reportagem – Luiz Gustavo Xavier
Edição – Wilson Silveira

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana