conecte-se conosco


Política MT

Botelho manda arquivar projeto que reduzia sessões para apenas dois dias da semana

Publicado

De acordo com Eduardo Botelho, repercussão negativa e possível comprometimento dos trabalhos das sessões, foram determinantes para o arquivamento

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (DEM), anunciou durante a sessão de terça-feira (5) que determinou o arquivamento do projeto de resolução de autoria da Mesa Diretora que previa concentrar a realização das sessões ordinárias nas terças e quartas-feiras, com o objetivo de liberar os deputados as quintas-feiras para desenvolver atividades externas.

Conforme o presidente, a decisão foi tomada após discussão com o Colégio de Líderes. “O projeto foi discutido no Colégio de Líderes e os deputados entendiam que poderia concentrar as sessões na quarta-feira, mas discutimos com eles e ouvimos a opinião pública de um modo geral, que também não concorda com isso”, disse Botelho.

“Não pegou bem esse projeto, pedimos permissão para o plenário para arquiva-lo. Acabar com essa discussão e continuar com as sessões às terças, quartas e quintas como é hoje”, completou.

Um dos principais entraves à mudança era que, com a extinção das sessões de quinta-feira, poderia comprometer o funcionamento das 13 comissões permanentes, o que afetaria a produtividade legislativa e a imagem dos deputados perante a sociedade acabaria desgastada. Caso o projeto fosse aprovado, as sessões iriam ser realizadas às terças-feiras, com início às 17h, e às quartas-feiras, das 8h às 14 e a partir das 18h.

Leia Também:  Paulo Araújo propõe criação do Programa de Incentivo às Apaes e Pestalozzi

“Eu acho que prejudicaria os trabalhos das comissões. Pode ser que tivesse mais presença nas sessões, mas poderia diminuir as presenças nas comissões, que são muito importantes. Então, acho que arquivar esse projeto foi muito melhor para a Casa”, afirmou.

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Política MT

Mauro tenciona unificar folha salarial e estabelecer pagamento de salários, contratos e 13º em mesma data

Publicado

O secretário Mauro Carvalho (Casa Civil) lembrou que esse plano vem desde o primeiro dia de governo

O secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, disse, durante o quarto sorteio do programa Nota MT, que o governador Mauro Mendes (DEM) trabalha desde o primeiro dia do seu governo com o foco de pagar a folha do funcionalismo público em um dia único.

_“O governo, desde o primeiro dia de mandato está trabalhando para que tenhamos uma folha de pagamento em um dia único. Porém, o governador só vai tomar essa decisão quando ele tiver a confiança de que a situação econômica do Estado esteja totalmente equilibrada”, destacou o secretário.

Mauro Carvalho disse ainda que a posição do governador vale também para o décimo terceiro salário. “Da mesma forma está o décimo terceiro. O governador não anunciou ainda o pagamento em função de uma série de coisas que depende de terceiros para a gente ver se encaixa e consiga pagar o décimo terceiro salário. Estamos falando de 560 milhões de reais fora a folha de normal de pagamento. São mais de R$ 1 bilhão de reais, então o governador só vai tomar essa decisão quando ele tiver certeza absoluta de que os recursos estejam no caixa do governo”, resumiu.

Leia Também:  Deputado Nininho participa de agenda em Brasília com o presidente Jair Bolsonaro e bancada federal

Prefeitos em Cuiabá – O secretário fez questão de informar que o governador Mauro Mendes vai aproveitar a assembleia-geral de prefeitos organizada pela Associação Mato-grossense de Municípios (AMM), na semana que vem, dias 18 e 19, para um jantar com os chefes dos municípios mato-grossenses.

No jantar, conforme o Mauro Carvalho, o governador fará uma rápida apresentação sobre a situação do governo com as prefeituras. “O governador deve fazer uma apresentação rápida sobre a situação do governo e vai fazer esse jantar aqui no auditório Clóvis Vetoratto, no Palácio Paiaguás, acompanhado da primeira-dama”.

“É apenas uma prestação de contas e mostrar o que o governo pensa para 2020 para os 141 municípios do Estado. É uma prestação de contas desses 300 dias de governo e ao mesmo tempo, mostrar aos prefeitos o que estamos pensando para 2020”, completou.

Ainda conforme Mauro Carvalho, “na terça-feira (19), nós iremos numa reunião com a diretoria da AMM, vamos discutir uma pauta já pré-estabelecida com a Casa Civil e essa pauta vai ser discutida e o governador vai falar sobre cada um dos 13 itens apresentados pela Associação Mato-grossense dos Municípios”.

Leia Também:  Paulo Araújo propõe criação do Programa de Incentivo às Apaes e Pestalozzi

Continue lendo

Política MT

Com sinal verde do TSE, Misael deixará PSB e ingressará no PTB, dizem asessores

Publicado

Depois da autorização do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT) para deixar o PSB do deputado estadual Max Russi, primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, o presidente da Câmara Municipal de Cuiabá, vereador Misael Galvão, vai para o PTB do deputado federal Emanuelzinho e do ex-prefeito Francisco Galindo, com o projeto de disputar a reeleição para o Legislativo cuiabano. A infortmação, de bastiores, é de membros da assessoria do vereador.

Galvão fez uma consulta à Corte Eleitoral porque tinha receio de se desfiliar do PSB e ter o seu mandato contestado na Justiça Eleitoral. A decisão do TRE de Mato Grosso foi unânime em favor do presidente da Câmara de Vereadores. A consulta leva a chancela do advogado Rodrigo Cyrineu. Misael Galvão fez questão de argumentar que sua desfiliação do PSB não é por nenhum motivo político. Ele se diz “grato” ao partido e até faz elogios ao presidente estadual da sigla, o deputado Max Russi.

“Conversei com minha família e meu grupo político, estou bem seguro sobre minha decisão. Foi tudo muito bem estudado e hoje deixo o partido com boas e novas propostas para seguir os trabalhos”, conta Galvão. “Fizemos todos os procedimentos corretos e saio com o sentimento de dever cumprido e com muita satisfação por ter passado por esse grupo político. Agradeço a todos pela parceria e pelo trabalho”,  argumentou.

Leia Também:  Estado paga até R$ 5,5 mil nesta sexta-feira e quita 80% da folha salarial de abril

Mizael Galvão fez questão de destacar que seu projeto é continuar presidente do Legislativo. “Meu projeto é continuar o nosso mandato de presidente da Câmara, produtivo, um mandato muito mais voltado para a sociedade. E meu projeto da reeleição, naturalmente”, completou.

O presidente da Câmara também não descarta a possibilidade de disputar como vice-prefeito.  “Ser vice é uma possibilidade”, diz, argumentando ainda que “não faz política com essa coisa de negociação”.

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana