conecte-se conosco


Entretenimento

Potência feminina e cancelamentos marcam participação brasileira no Lolla 2019

Publicado

Como já é costume, os artistas brasileiros foram relegados principalmente ao começo da tarde no Lollapalooza 2019
.

Leia também: Kings of Leon esquece hits, mas acerta no repertório para fechar 2º dia do Lolla


cantora Liniker
Divulgação/Lollapalooza

Liniker e os Caramelow se apresentaram no palco Ônix no sábado

As apresentações nacionais começavam por volta do meio dia, quando o público ainda estava chegando, e embaixo de um sol escaldante nos primeiros dois dias de Lollapalooza
.

Ainda assim, quem chegou cedo viu a força da apresentação da Letrux, o bregapop de Duda Beat, o rock do Scalene e a redenção de Liniker e os Caramelows.

“Obrigada a todos vocês que pagaram o ingresso para estar aqui e prestigiar uma banda nacional independente”, falou Letrux no final de seu show no domingo (07).

Leia também: Entre a timidez e o charme, Jorja Smith cativa pelo vozeirão na 1ª vez no Brasil

Mas ela não foi a única a agradecer quem chegou cedo. Duda Beat comentou diversas vezes ao longo de sua apresentação no sábado (06) sobre a disponibilidade dos fãs chegarem às 12h para sua performance. Ela ficou muito emocionada e driblou problemas técnicos para entregar um show animado e razoavelmente cheio.

“Estava muito ansioso para ver Duda Beat, Liniker e Silva”, contou o cineasta Airo Munhoz. “Acho que os três apresentam uma mistura muito boa de vários estilos diferentes e mostrando que a música brasileira tem sua força e veio pra se posicionar política e musicalmente”, completou.


cantora Duda Beat
Divulgação/Lollapalooza

Duda Beat se apresenta no palco Adidas do Lollapalooza

Ele, porém, não conseguiu ver o Silva e ainda levou três horas para retornar ao evento depois de sair para fugir da chuva.

Falando em problemas técnicos, uma falha impediu Liniker de concluir seu show em 2018, e ela voltou em 2019 com a missão de concluir a apresentação, dessa vez com repertório do novo álbum, “Goela Abaixo”. Conseguiu e entregou uma das performances mais bonitas do evento.

Os Caramelows são impressionantes ao vivo e a banda consegue fazer canções intimistas crescerem, mostrando que eles tem fôlego de sobra para grandes festivais.

Problemas técnicos também permearam o show dos Tribalistas, únicos nacionais entre os nomes principais. Havia muita dúvida sobre se o trio combinaria com o Lolla, e eles mostraram que sim.

A liderança de Marisa Monte deu o tom e o público cantou junto com os três o show inteiro. Esse fato, inclusive, ajudou a abafar os problemas de som, que chegou a ser cortado por segundos em várias faixas.

Eles, porém, conseguiram concluir sua apresentação, o que não aconteceu com Rashid. O rapper estava no começo do seu set quando os fortes ventos e previsão de raios fizeram o show ser cancelado no sábado (06). Já Silva nem chegou a subir ao palco, já que o festival ficou paralisado por cerca de duas horas.

Política


a cantora Letrux
Divulgação/Lollapalooza

Letrux politizou em seu show no Lollapalooza

Em geral o festival passou longe de ser político, mas os xingamentos ao atual presidente se fizeram presentes em basicamente todos os shows nacionais. Tanto Duda Beat quanto Liniker deixaram mensagens contra o presidente no telão, enquanto Letrux carregou a placa com o nome da vereadora Marielle Franco, que levantou no fim do show: “para nunca esquecer”, disse.

Leia também: Cheio de energia, Lenny Kravitz eletrifica público em dia agitado no Lolla

Gabriel o Pensador começou seu show no domingo com Matei o Presidente 2
, continuação de uma faixa antiga, atualizada para dar recados a Michel Temer.

Assim como BK no Budweiser, Gabriel teve um dos maiores públicos no horário, mostrando mais uma vez, como se ainda precisasse, que as atrações nacionais merecem a mesma atenção que as gringas no Lollapalooza
.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Entretenimento

Falha técnica faz apresentador da CNN pagar mico ao vivo; assista

Publicado

Evandro Cini ficou incomodado com a falha técnica no CNN Novo Dia
Reprodução/CNN Brasil

Evandro Cini ficou incomodado com a falha técnica no CNN Novo Dia


Uma falha técnica colocou o apresentador Evandro Cini numa baita saia-justa durante o comando do CNN Novo Dia da última sexta-feira (1º): ao selecionar um vídeo no telão interativo do matinal da CNN Brasil, a equipe técnica cometeu uma falha e colocou ao vivo o advogado Ricardo Baronovsky no ar. O problema é que a maneira como entrou no vídeo foi beeeeem curiosa. E por pouco não beirou o constrangimento.


Cini havia selecionado no telão do programa a imagem da comentarista Thais Arbex para mostrar sua análise sobre a votação da PEC dos Benefícios. Em vez da equipe colocar automaticamente o vídeo da jornalista, entrou no ar as imagens do estúdio vizinho, onde Baronovsky esperava para fazer sua entrada ao vivo.

O problema é que o advogado estava, digamos, descontraído. Ele apareceu de costas para a câmera, deu uma alongada na coluna, e ainda por cima mexia em seu celular. A sorte é que a tela do aparelho não apareceu nítida no telão, então os telespectadores não conseguiram ver exatamente o que ele estava fazendo.

Cini, bastante sem graça, também se curvou para trás e soltou um “opa”. Além disso, estendeu o braço direito em direção ao telão e olhou diretamente para a equipe técnica, com um semblante visivelmente irritado por conta da falha. Veja:


Após a exibição completa da análise de Thais Arbex, o apresentador retomou a fala e não ignorou o erro, mas tentou aliviar a tensão. “Baronovsky apareceu balançando um pouquinho ali no começo, vendo o assunto que ele vai trazer no próximo Liberdade de Opinião, mas depois a gente conseguiu engatar a fala de Thais Arbex”, comentou.

Fonte: IG GENTE

Continue lendo

Entretenimento

Brunch com drag queens? Ikaro Kadoshi comanda evento inédito em SP

Publicado

Ikaro Kadoshi comandará a primeira edição do Drag Brunch Brasil, em São Paulo
Victor Ferreira Vivacqua

Ikaro Kadoshi comandará a primeira edição do Drag Brunch Brasil, em São Paulo


Além de  viajar o Brasil ao lado de Xuxa Meneghel para gravar o Caravana das Drags, reality show do Prime Video, Ikaro Kadoshi também está à frente de um projeto inédito no país: o Drag Brunch Brasil, evento que irá misturar a arte e cultura drag com serviço de brunch em um dos restaurantes mais badalados de São Paulo.


A primeira edição ocorrerá neste domingo (3), no Sky Hall Terrace Bar. Enquanto o público desfruta de um brunch a la carte, que inclui pratos, porções e drinks, Ikaro Kadoshi comanda as apresentações que irão rolar ao longo do dia.

Nomes consagrados da cena drag foram escalados para brunch, como Alexia Twister, do reality Nasce Uma Rainha, da Netflix, e Penelopy Jean, do Drag Me As a Queen, do canal E!, e também do Canta Comigo, da Record.

“O Drag Brunch já ocorre em vários países do mundo, sendo mais uma maneira das pessoas terem contato com a arte drag. A diferença é que ele acontece de dia, você pode comer, ir com toda família, ter um contato mais próximo com as drags.”, explica Ikaro Kadoshi. “Uma ótima opção para quem é mais diurno e ama a arte drag! A diversão é garantida!”

As apresentações das drags são interativas. Isso quer dizer que o público será parte integrante dos shows de humor enquanto aproveita o buffet de café da manhã e almoço, além de drinks e outras bebidinhas.

A primeira edição do Drag Brunch Brasil ocorrerá neste domingo (3), das 11h às 15h, no Sky Hall Terrace Bar (Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 1327 – Vila Nova Conceição).

Fonte: IG GENTE

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana