conecte-se conosco


Curiosidades

Polícia prende líder de seita russa que afirma ser a reencarnação de Jesus

Publicado


source
jesus
Getty Images/Reprodução

Torop, em 2009, atraindo milhares de seguidores


O líder de uma importante seita religiosa foi preso em uma parte remota da Sibéria pelas forças de segurança russas nesta terça-feira (22). Sergei Torop, conhecido por seus seguidores como Vissarion, afirma que é a reencarnação de Jesus Cristo e fundou a Igreja do Último Testamento em 1991.


Torop, Vadim Redkin e Vladimir Vedernikov – outros dois líderes do grupo – são  suspeitos ​​de extorquir dinheiro e de causar danos físicos e psicológicos a seus seguidores. “Eles usaram o dinheiro [de seus seguidores] e também usaram de violência psicológica contra eles”, disse uma porta-voz do Comitê de Investigações da Rússia à mídia estatal.

Torop, um ex-policial de trânsito de 59 anos, atraiu milhares de seguidores desde a fundação da igreja, logo após a dissolução da União Soviética. Alguns acreditam que ele é a reencarnação do Filho de Deus.

Os membros  fundaram um assentamento, conhecido como Cidade do Sol, na região de Kuraga, na Sibéria, em 1995. Em 2000, o Ministério da Justiça da Rússia afirmou que o grupo tinha mais de 10 mil seguidores em todo o mundo.

Entre as rígidas regras da seita , está proibido fumar, beber ou mexer com dinheiro, além de se viver apenas com subsistência básica. Os fiéis também não devem consumir carne, café, chá, açúcar, pão com fermento e produtos de trigo.

O grupo combina elementos da Igreja Ortodoxa Russa com temas de reencarnação, bem como preparativos para um apocalipse iminente .

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curiosidades

Agente funeral simula o próprio velório em campanha para vereador

Publicado


source
Agente funerário tenta vaga de Vereador em Catanduva
Arquivo pessoal

Agente funerário tenta vaga de Vereador em Catanduva

Adilson, agente funerário em Catanduva, no interior de São Paulo , viralizou nas redes sociais por conta de sua campanha eleitoral para vereador na cidade.

Deitado em um caixão e com uma coroa de flores com seu nome e número da disputa da eleição, Adilson Baio da funerária (PSDB), nome usado na eleição, tenta persuadir os eleitores.

Com o slogan “Venha comigo sepultar a velha política”, o agente disputa sua primeira eleição concorrendo a uma das quatorzes cadeiras da Câmara Municipal da cidade. Segundo ele, a ideia da foto veio após seu partido não disponibilizar nenhuma verba para sua campanha.

“Foi o rapaz do partido que compartilhou com um grupo e em minutos já comecei a receber mensagens de conhecidos e até pessoas que eu nem conhecia falando sobre a foto. Os comentários têm sido os mais diversos, tem gente que não gostou, mas tem muita gente que achou criativo”, afirmou Adilson ao UOL, que também pondera: “Em nenhum momento eu quis faltar com respeito aos mortos, apenas quis fazer algo divertido e diferente”.

Adilson, que disse que ainda será disponibilizado um vídeo dentro do caixão para sua propaganda eleitoral, tem como poposta de campanha implantar um serviço de verificação de óbito em Catanduva, que usa as instalações de São José do Rio Preto, há 58 km de distância.

Continue lendo

Curiosidades

Para “demitir” colega de trabalhar, mulher colocava tranquilizante no café

Publicado


source
.
Daria Ahafonova/Getty Images

Mariangela Cerrato foi condenada esta semana a quatro anos de prisão


Uma mulher italiana descreveu como uma rivalidade acirrada no local de trabalho resultou em uma colega adulterando seu cappuccino matinal com um sedativo à medida que os cortes de empregos se aproximavam.


Alice Bordon, o alvo da trama, disse ao jornal La Stampa que sempre confiou na colega e ainda não acreditava que tivesse tentado “eliminá-la” colocando um tranqüilizante em seu café para que se sentisse sonolenta e com baixo desempenho nas atividades profissionais.

A colega, Mariangela Cerrato, foi condenada esta semana a quatro anos de prisão . O tribunal ouviu que ela queria desacreditar Bordon aos olhos dos chefes da empresa.

A trama data de 6 de outubro de 2017 . Como sempre, Cerrato comprou para seus colegas uma rodada de cafés em um bar próximo ao escritório em Bra, uma cidade do Piemonte.

“Normalmente, eu beberia aos poucos, mas naquele dia bebi tudo de um só gole”, disse Bordon. Pouco depois, ela perdeu o equilíbrio enquanto caminhava em direção a sua mesa. “Ficou tudo preto, parecia que eu estava flutuando.”

Bordon foi levada para o hospital , onde fez o teste de suspeita de derrame. Ela teve a mesma reação depois de beber vários cappuccinos comprados por Cerrato e, em uma ocasião, bateu o carro.

Só no Natal daquele ano Bordon começou a suspeitar . “Ela tirou alguns dias de folga e durante esse tempo eu estava bem”, disse. “Achei que poderia haver uma ligação entre o café e as crises [de saúde]. Um neurologista me aconselhou a não beber por um mês, e foi o que fiz.”

Poucos meses depois, ela aceitou outro cappuccino da Cerrato, mas bebeu apenas a metade. “Coloquei a outra metade em um tubo de ensaio e os testes revelaram que continha 10 vezes a quantidade de tranqüilizante que normalmente é aconselhado”, disse ela.

Cerrato foi então pega em flagrante . “Com a polícia envolvida, conseguimos detê-la enquanto ela colocava o medicamento no meu copo.”

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana