conecte-se conosco


Polícia Federal

Polícia Federal desarticula grupo criminoso que atuava no tráfico de drogas em São Paulo

Publicado


Ribeirão Preto/SP – A Polícia Federal deflagrou hoje (7/12) a Operação Sertãozinho, em conjunto com o GAECO – Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público do Estado de São Paulo, para investigar a atuação de uma associação criminosa voltada para o tráfico de drogas, em São Paulo.

Policiais federais cumpriram 4 mandados de prisão preventiva, com apoio da Polícia Militar, em desfavor de 4 investigados: um, na cidade de Ribeirão Preto/SP; dois, na cidade de Sertãozinho/SP; e um, na cidade de Alfenas/MG.

As investigações demonstraram que o grupo agia por meio de empresas de transporte de fachada para o recebimento, depósito e distribuição do entorpecente. A configuração dos negócios permitia, facilitava e ajudava a encobrir e manter na clandestinidade as ações criminosas do grupo. As empresas estavam localizadas em cidades próximas a Ribeirão Preto/SP, tanto no interior de São Paulo, quanto de Minas Gerais.

As ações do grupo consistiam em organizar a aquisição do entorpecente, seu transporte até as empresas ou de empresas para outras empresas de fachada do grupo, a depender da logística necessária, sua guarda e depósito. Enquanto isso, o líder do grupo decidia as ações a serem realizadas e negociava a venda da droga e seu pagamento com os interessados.

Além dos mandados de prisão preventiva cumpridos hoje, ao longo da investigação foram cumpridos outros dois mandados de prisões temporárias e três mandados de busca e apreensão. Dois deles foram cumpridos na residência dos envolvidos e um na empresa de Transporte da qual são sócios. Nesses locais, foram realizadas a apreensão de 330 kg de “maconha” e “haxixe”, documentos e demais provas dos crimes praticados, que, após, analisados permitiram novo pedido de prisões cumpridos hoje, haja vista terem sido identificados mais dois integrantes do grupo e indicativos da continuidade da pratica do crime.

Comunicação Social da Polícia Federal em Ribeirão Preto/SP

Contato: (16) 3238-5200
E-mail: [email protected]

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia Federal

Suspeito de assassinato de policial é preso no Paraguai em ação conjunta de forças de segurança

Publicado


Foz do Iguaçu/PR – Em uma ação integrada com diversos órgãos de segurança do Brasil e do Paraguai, foi preso um indivíduo acusado de assassinar um policial militar na cidade de Altônia/PR, em setembro de 2017.

Após meses de levantamentos e investigações, o brasileiro, autor do homicídio, foi localizado na área rural do departamento de Canindeyu, no Paraguai.

A ação contou com a participação de diversos órgãos de segurança dos dois países, dentre eles o Departamento de Operações de Fronteira (DOF/MS), o Centro Integrado de Operações de Fronteira (CIOF), Polícia Nacional do Paraguai e a Polícia Federal, estes últimos no âmbito do Comando Tripartite.

A entrega do brasileiro para a Polícia Federal foi realizada hoje pela Polícia Nacional do Paraguai. O foragido já constava na lista de difusão vermelha da Interpol. Policiais federais o encaminharam para a Delegacia de Polícia Federal em Foz do Iguaçu/PR onde foi realizada a comunicação ao juízo competente.

Comunicação Social da Polícia Federal em Foz do Iguaçu

Continue lendo

Polícia Federal

Polícia Federal combate crime de moeda falsa

Publicado


São Luís/MA – A Polícia Federal prendeu em flagrante, nesta sexta-feira (14/1), na cidade de São Luís/MA, uma mulher pelo crime de moeda falsa. Ela se fez passar por outra pessoa de nome fictício que figurava como destinatária de uma encomenda a ser entregue pelos Correios. A referida correspondência continha notas falsas de R$ 50 e R$ 100, totalizando o valor de R$ 8 mil em cédulas falsas, as quais foram apreendidas.

O trabalho foi coordenado pela Polícia Federal, com a participação dos órgãos de segurança dos Correios.

As cédulas falsas continham características semelhantes às verdadeiras, com reprodução dos elementos de segurança e tonalidade própria das cédulas reais, porém com numerações de séries repetidas, o que aponta a falsidade destas, a ser corroborada por exame pericial.

A flagranteada foi indiciada pelo crime de moeda falsa, tipificado no artigo 289, §1º do Código Penal e poderá ser condenada a pena que varia de 3 a 12 anos de reclusão e multa.

As investigações prosseguirão no intuito de descobrir eventuais outros envolvidos na prática delitiva.

Comunicação Social da Polícia Federal no Maranhão

Telefone: (98) 31315105

(98) 991286428

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana