conecte-se conosco


Policial

Polícia Civil prende três criminosos envolvidos em extorsão mediante sequestro e libera vítima em Cuiabá     

Publicado

Um crime extorsão mediante sequestro, em que um vigilante foi mantido refém durante várias horas, foi esclarecido pela Polícia Civil, nesta segunda-feira (11.07). As ações realizadas pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) resultaram na libertação da vítima e na prisão de três pessoas envolvidas no crime.
 
A vítima foi levada pelos criminosos durante a fuga após um roubo frustrado, mantida amarrada por várias horas e localizada pelos policiais do GCCO, em uma região de mata no bairro Pedra 90. As diligências contaram com o apoio da equipe da Polícia Militar e do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer).
 
Os criminosos tinham a intenção inicial de roubar uma residência no bairro Boa Esperança, em Cuiabá.  Como forma de garantir o roubo, sem acionamento da polícia, renderam e mantiveram como refém o vigilante que realizava rondas pelo local.
 
Com a vítima subjugada, os assaltantes subtraíram, do interior da residência que estava desocupada, diversos objetos de valor, como aparelhos eletrônicos, joias e objetos pessoais, colocados dentro do veículo para fuga. Durante ação, a vizinhança notou a movimentação estranha no local, alarmando os suspeitos, que fugiram do local sem concretizar seu intento, mas levaram o vigilante como refém em seu veículo, um Fiat Doblô.

Após a fuga, com a vítima sob seu poder, passaram a exigir que o vigilante fizesse diversas transferências de valores para uma conta indicada por eles, retirando todos os valores que possuía em suas contas bancárias. Não satisfeitos, os criminosos entraram em contato com a esposa da vítima e exigiram o pagamento de R$ 10 mil para sua libertação.  
 
Para aterrorizar a família, foram encaminhados uma série de áudios e vídeos da vítima, amarrada, clamando por socorro.  
 
Após tomar conhecimento da ocorrência em andamento, equipes da GCCO iniciaram imediatamente as diligências no intuito de localizar e liberar a vítima.
 
Após algumas horas de buscas, ações operacionais e de inteligência, os policiais da GCCO conseguiram localizar a vítima em uma região de mata no bairro Pedra 90, em Cuiabá. 
 
Durante as diligências realizadas, foi possível identificar e prender três envolvidos no crime. Dois deles foram responsáveis pelo fornecimento e exigência de transferências dos valores para a liberação da vítima, enquanto um terceiro estava com o carro da vítima.
 
Os suspeitos foram conduzidos à GCCO, onde após serem interrogados pelo delegado Ferdinando Frederico Murta, foram autuados em flagrante pelos crimes de extorsão mediante sequestro e associação criminosa. “Graças à ação rápida das equipes, foi possível prender três dos criminosos envolvidos no crime e, o mais importante, a liberação da vítima com saúde e sem a necessidade do pagamento do resgate exigido”, disse o delegado.

O delegado titular da GCCO, Vitor Hugo Bruzulato Teixeira, ressaltou o preparo dos policiais para atender esse tipo de ocorrência de gerenciamento de crise, que por meio de um trabalho operacional e de inteligência, chegou ao bom resultado, com a prisão dos suspeitos e liberação da vítima com a sua integridade física. “Por se tratar de um crime de atribuição da GCCO, será dada continuidade às investigações com objetivo de identificar e prender o restante do grupo criminoso”, destacou. 

Fonte: PJC MT

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Policial

MP denuncia 17 membros do CV por matar e torturar jovens; mulher se fingiu de morta

Publicado

Dezessete pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da 2ª Promotoria de Justiça Criminal de Alta Floresta, por organização criminosa, prática de tortura mediante sequestro, homicídio qualificado (consumado e tentado), ocultação de cadáver, extorsão qualificada e corrupção de menores. As penas poderão passar de 100 anos em relação a alguns acusados.
A denúncia, oferecida na sexta-feira (5), é resultado da Operação Torquemada. Os crimes foram motivados por disputa territorial pelo mercado de tráfico ilícito de drogas entre as facções criminosas comando vermelho e primeiro comando da capital. De acordo com o MPMT, os crimes foram cometidos contra as vítimas Raiane do Nascimento Silva e Carlos Eduardo Santos Azevedo, porque os acusados acreditavam que elas possuíam envolvimento com o PCC.
Consta na denúncia, que a vítima Raiane foi torturada por horas, com agressões físicas em dois cativeiros. Os acusados chegaram a inserir agulhas embaixo das unhas de suas mãos e pés, além de terem arrancado oito unhas dos pés e jogado álcool nos dedos. Partes de seu corpo também foram queimadas com isqueiro.
Carlos Eduardo Santos Azevedo também foi torturado e ao final foi executado com golpes de faca e disparos de arma de fogo. Conforme o MPMT, os denunciados também tentaram matar Raiane com disparos que a atingiram na região da nuca e nas costas. A vítima só sobreviveu porque fingiu-se de morta e depois saiu em busca de ajuda, recebendo tratamento médico no Hospital Regional de Alta Floresta.
Foram denunciados: Alan Caliel Felício Coelho, Alan Rodrigues Antunes, Alícia Santos da Silva, Amanda Rosa Pereira, Angélica Saraiva de Sá, Bruno Barbosa de Souza, Cleidiane Hilário Dorca, Cleiton Cordeiro Rodrigues, Eric Gabriel da Mata Godoy, Lucas Tiago de Freitas, Manoel Messias Oliveira Neto, Oziel Júnior Moreira de Lima, Rayanne Caroline Baez Vera, Sabrina Costa de Arruda da Silveira, Solange de Freitas Mendia, Uelber Souza de Oliveira e Wesley de Souza da Silva.
Do grupo,13 estão presos em unidades prisionais de Alta Floresta, Colíder e Cuiabá. Os atos também tiveram a participação de cinco adolescentes. A organização, segundo o MPMT, era liderada por Angélica Saraiva de Sá, atualmente presa e recolhida no Presídio Feminino Ana Maria do Couto May. Os crimes ocorreram em abril deste ano.

 

Continue lendo

Policial

Ouro é apreendido no município de Poconé

Publicado

Na manhã de ontem (07), a Polícia Rodoviária Federal apreendeu cerca de 300g de ouro.

A ocorrência aconteceu na BR 070, município de Poconé, quando um ônibus que fazia a linha Porto Velho – Cuiabá foi parado para fiscalização. Durante a verificação dos passageiros, um homem apresentou muito nervosismo e a todo momento entrava em contradição a respeito da viagem.

Com isso, foi realizada uma busca mais detalhada em seus pertences, sendo encontrado duas barras pequenas de cor dourada, as quais se tratavam de ouro, um peso total de 305g.

Questionado sobre a situação, o homem afirmou ter comprado no interior do estado e que levaria para a cidade de Cuiabá para revender.

Diante dos fatos, o homem foi detido, a princípio, por crime contra o patrimônio na modalidade de usurpação, por produzir bens ou explorar matéria-prima pertencentes à União, sem autorização legal ou em desacordo com as obrigações impostas, sendo encaminhado à Delegacia da Polícia Federal de Cuiabá para os procedimentos cabíveis.

Fonte: PRF MT

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana