conecte-se conosco


Policial

Polícia Civil indicia diretores de hospital particular da Capital por aumento abusivo do preço de consulta

Publicado


Assessoria/Polícia Civil-MT

Três diretores de um hospital particular da Capital foram indiciados em inquérito policial da Polícia Civil, instaurado pela Delegacia Especializada de Defesa do Consumidor (Decon), para apurar a prática de aumento abusivo de preço ao consumidor, ocorrido no mês de março de 2021, no auge da pandemia do Coronavírus.

Os diretores, responsáveis pelo setor de pronto atendimento da unidade hospitalar, foram indiciados por crimes contra a economia popular, com penas de dois a dez anos de prisão ou multa.

As investigações iniciaram após o hospital reajustar o valor da consulta em seu pronto atendimento de R$ 384,00 para R$ 800,00 reais, ou seja, um aumento de mais de 110%, de um dia para o outro, justamente quando as internações e mortes por Covid-19 estavam em alta no que, até então, era o pior mês da pandemia de coronavírus no Brasil.

Durante a apuração dos fatos, a Decon ouviu os três diretores do hospital particular, que foram os responsáveis pelo reajuste no valor da consulta. Na conclusão das investigações, eles foram indiciados por crime contra a economia popular, que estabelece pena que pode ir de 2 a 10 anos de prisão e multa.

Segundo o delegado da Decon, Rogério Ferreira, os responsáveis pelo aumento abusivo alegaram que os custos de mão de obra e de material usado nos atendimentos subiram muito durante a pandemia, e que não estavam recebendo repasses de valores necessários para arcar com as despesas.

“Eles alegaram que o reajuste no valor da consulta era justo e que os clientes que não pudessem pagar tinham opção de procurar o SUS, onde o atendimento é gratuito”, disse o delegado.

Resultados

Após a ação da Polícia Civil e de outros órgãos, como o Procon Municipal de Cuiabá, contra o reajuste no valor da consulta, em abril deste ano, a direção do hospital baixou o valor da consulta para R$ 430,00 reais.

Em julho, o Procon Municipal de Cuiabá considerou abusivo o aumento praticado pelo hospital e aplicou uma multa de quase R$ 700 mil reais, tendo a decisão administrativa transitado em julgado no mês de agosto.

Desde o início da pandemia de coronavírus (Covid-19), a Polícia Civil tem aumentado a fiscalização e o combate à prática de reajustes abusivos de preços ao consumidor em farmácias, supermercados, postos de combustíveis e até em laboratórios e hospitais.

Fonte: PJC MT

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Policial

Após descumprir medida e ameaçar ex-mulher, homem tem prisão cumprida pela Polícia Civil

Publicado


Raquel Teixeira/Polícia Civil-MT 

Policiais da Delegacia da Polícia Civil em Sorriso prenderam na segunda-feira (17.01) um homem de 28 anos que descumpriu determinação judicial de não se aproximar de sua ex-companheira.

A equipe do Núcleo de Crimes de Violência Doméstica e Crimes Sexuais localizou o agressor no bairro Santa Maria e o encaminhou à delegacia para a formalização do mandado de prisão expedido pelo juízo da 2a Vara Criminal de Sorriso.

Mesmo após ser intimado em outibro do ano passado sobre medida protetiva deferida em favor da ex-companheira e que determinava que o suspeito não se aproximasse da vítima, ele continuou a ameaçá-la e persegui-la, inclusive dizendo que a mataria.

Diante do descumprimento da medida protetiva imposta judicialmente, a Polícia Civil representou pela prisão do suspeito.

Fonte: PJC MT

Continue lendo

Policial

PRF apreende pasta base de cocaína transportada em automóvel na cidade de Cáceres-MT

Publicado


Na manhã de ontem (17), na BR 070, município de Cáceres, uma equipe da PRF abordou um Fiat Uno, de cor prata, conduzido por um homem de 35 anos, que tinha como passageiras uma moça de 18 anos e uma adolescente de 15.

Durante a fiscalização, o veículo ficou retido para sanar algumas irregularidades administrativas, como, por exemplo, ausência de CNH do motorista. Nesse momento, os policiais puderam perceber que o condutor do veículo estava bastante nervoso, também omitindo informações relativas a origem do veículo. O automóvel estava no nome de uma pessoa a qual o motorista não conhecia. Ele ainda possuía antecedentes criminais, respondendo por alguns crimes, entre eles, o crime de homicídio.

Diante da situação de suspeita que se apresentava, a equipe resolveu fazer uma busca minuciosa no Fiat Uno para ver se encontravam alguma irregularidade mais grave no veículo, quando localizaram, atrás do banco traseiro, 2 kg de pasta base de cocaína.

Foi dada voz de prisão em flagrante ao motorista pelo crime de tráfico de drogas. A ocorrência foi encaminhada a autoridade policial competente para as providências cabíveis. As passageiras, a priori, por desconhecer sobre o transporte da droga, foram classificadas como testemunha.

Fonte: PRF MT

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana