conecte-se conosco


Policial

Polícia Civil e TJ estudam recolhimento de fianças via cartão de débito

Publicado

Assessoria | PJC-MT

Para maior transparência e segurança na guarda de valores em dinheiro, a Polícia Civil iniciou tratativas junto ao Tribunal de Justiça de Mato Grosso, para implantar o sistema de recolhimento de fianças nos plantões de Cuiabá e Várzea Grande, via pagamento de cartão de débito. 

As reuniões estão ocorrendo por meio da Corregedoria do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, por iniciativa da Coordenadoria de Plantão de Cuiabá e Várzea Grande. 

Atualmente, há dois sistemas de recolhimento de fianças aplicadas pelos delegados, um via o pagamento em espécie do dinheiro e por intermédio da guia de recolhimento emitida pelo site do Tribunal de Justiça de Mato Grosso. No entanto, nos finais de semana, devido a necessidade de  compensação bancária, há limitação bancária quanto aos valores, impossibilitando que fianças superiores a R$ 1.500, 00 sejam pagas na forma de boleto emitido pelo TJ. 

Conforme o delegado coordenador dos plantões de Cuiabá e Várzea Grande, Walter de Melo de Fonseca Junior, a máquina de débito não implica nos valores, podendo a fiança ser recolhida em qualquer horário ou dia da semana. Os dados do pagador como nome e o CPF devem constar no recibo, que ficará vinculado ao procedimento policial. 

Todo o dinheiro arrecadado por meio de fianças é direcionado a conta única da Justiça. Quando pago em espécie na Delegacia, o valor é depositado nessa conta pela Polícia Civil.

“Essa tratativa já vem ocorrendo há cerca de 2 meses e estamos avançando no sentido de implementar essa modalidade de recolhimento de fiança. Agora vamos aguardar análise do setor de arrecadação do TJ sobre a viabilidade”, disse o delegado.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Policial

Mulher que forjou sequestro para vender camionete e receber seguro é presa em flagrante pela Polícia Civil

Publicado


Raquel Teixeira/Polícia Civil-MT 

 

Uma empresária de 28 anos foi autuada em flagrante pela Polícia Civil nesta quinta-feira (02.12) por estelionato e falsa comunicação de crime, após forjar um falso sequestro na cidade de Várzea Grande, durante a madrugada. Ela foi ouvida nesta tarde na Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), após ser localizada conduzindo seu veículo em uma avenida da Capital.

Na madrugada desta quinta-feira, o marido da empresária procurou o plantão da 1a Delegacia de Várzea Grande e registrou um boletim de ocorrência informando que estavam em uma festa, no bairro Nova Várzea Grande, quando sua companheira foi em uma distribuidora de bebidas conduzindo sua caminhonete Hilux e não retornou. Logo depois, ele recebeu imagens em vídeo que supostamente mostravam a mulher encapuzada, sendo mantida em cárcere privado.

Diante da possibilidade de um suposto sequestro, a GCCO passou a apurar a ocorrência e iniciou diligências para esclarecer o crime. No final da manhã, a investigação apontou que a camionete Hillux estava na região do Coxipó. Equipes da unidade foram ao local indicado e encontraram o veículo, sem a placa traseira, e conduzido pela, até então, vítima. Ela foi interceptada quando dirigia a camionete na Avenida Arquimedes Pereira Lima (Estrada do Moinho).

Em entrevista preliminar com os investigadores, ela entrou em contradição várias vezes. Conduzida à GCCO para prestar depoimento, ela acabou confessando, durante o interrogatório, que forjou o sequestro e o roubo do veículo. “Ela contou ainda que o objetivo era comercializar a camionete no mercado clandestino e depois receber o valor do veículo da seguradora”, explicou o delegado Vitor Hugo Bruzulato Teixeira.

O veículo foi apreendido e a mulher autuada em flagrante por falsa comunicação de crime e estelionato. Após o interrogatório, ela foi levada para a sede da Polinter e depois será encaminhada para audiência de custódia no Fórum da Capital.

O marido da suspeita prestou declarações e, de acordo com a apuração da GCCO, foi descartada a participação dele nos crimes.

Conforme o delegado Vitor Hugo, a investigação continua para prender os demais envolvidos nos crimes.

Fonte: PJC MT

Continue lendo

Policial

Filho que mantinha idosa de 93 anos sob condições insalubres é autuado em flagrante por maus tratos e cárcere privado

Publicado


Raquel Teixeira/Polícia Civil-MT 

Um idoso de 60 anos foi autuado em flagrante pela Polícia Civil, na quarta-feira (01.12), pelos crimes de maus tratos e cárcere privado contra a mãe dele, de 93 anos. O suspeito foi encaminhado ao Plantão 24h de Atendimento a Vítima de Violência Doméstica e Sexual, em Cuiabá, após a mãe ser encontrada em estado bastante debilitado de saúde e sem cuidados.

Vizinhos da idosa denunciaram e a Polícia Militar chegou à residência, no bairro Morada do Ouro, onde foi necessário arrombar a porta para retirar a vítima, que estava em condições insalubres e bastante debilitada.

A idosa foi encontrada em um sofá, sem qualquer cuidado higiênico e sem receber alimentos. O Samu foi acionado para fazer o atendimento e encaminhou a vítima a uma unidade de saúde. Conforme relatório informado ao Plantão de Vítimas de Violência, a idosa apresenta um quadro de desnutrição e desidratação, além de apresentar ferimentos pelo corpo.

O local estava em condições insalubres e na geladeira só havia água e uma marmita com restos de comida azeda.

Quando a idosa estava sendo removida pela ambulância do Samu, o suspeito chegou à residência agressivo e gritando com a mãe, quando então detido e encaminhado ao Plantão 24h da Polícia Civil. Ele foi autuado em flagrante por maus tratos e cárcere privado.

Os crimes serão investigados pela Delegacia Especializada de Delitos Contra a Pessoa Idosa.

Fonte: PJC MT

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana