conecte-se conosco


Policial

Polícia Civil destrói 1,4 toneladas de entorpecentes em quarta incineração realizada no ano em Cuiabá

Publicado


Assessoria/Polícia Civil-MT

A quarta incineração do ano realizada pela Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE), da Polícia Civil, destruiu aproximadamente 1,4 toneladas de drogas na fornalha de uma empresa, localizada no Distrito Industrial em Cuiabá.

A grande quantidade de entorpecente, entre porções de maconha, cocaína e pasta base de cocaína, foi apreendido pelas forças de segurança na região metropolitana nos últimos meses. Com a destruição da droga realizada nesta segunda-feira (27), já são aproximadamente sete toneladas de entorpecentes incineradas em 2021.

Para a delegada titular da DRE, Juliana Chiquito Palhares, o trabalho coletivo da Segurança Pública na atividade de enfrentamento ao tráfico vem apresentando resultados cada vez melhores, levando à apreensão de quantidades maiores de entorpecentes ano após ano.

“Até junho de 2021, eram aproximdamente 12 toneladas apreendidas no estado, cerca de 67% a mais do que no ano de 2020. Isso demonstra o esforço de homens e mulheres em buídos nesse espírito de bem servir à sociedade na luta contra o tráfico de drogas”, disse a delegada.

Juliana frisou ainda a importância do trabalho em conjunto com a sociedade que através dos canais de comunicação, podem realizar denúncias e contribuir para o trabalho das forças de segurança.

“A queima do material ilícito apreendido é o ato final do trabalho de enfrentamento ao tráfico, destruindo tudo aquilo que movimenta o crime de tamanha gravidade que afeta pessoas, devasta famílias e causa tanta tristeza à sociedade”, finalizou a delegada.

Fonte: PJC MT

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Policial

Polícia Civil prende autor de tortura e cárcere privado contra funcionário de empresa na região Oeste de MT

Publicado


Raquel Teixeira/Polícia Civil-MT 

Policiais civis cumpriram nesta quarta-feira (20.10), em uma fazenda no município de Vale do São Domingos, na região Oeste do estado, o mandado de prisão contra um homem de 37 anos, investigado pelos crimes de tortura, sequestro e cárcere privado, que envolvem grilagem de terras na região.

Contra o alvo da prisão foi cumprido também mandado de busca, que resultou na apreensão de quatro armas de fogo, duas delas de pressão, mas adaptadas, além de luneta, munições. As ordens judiciais foram executadas por equipes das Delegacias de Pontes e Lacerda e de Jauru.

Outro funcionário da fazenda foi preso por posse ilegal de arma de fogo e contra ele foi constatado um mandado de prisão preventiva oriundo da Comarca de Ji-Paraná (RO).

Crime

Conforme a apuração realizada pela equipe de investigação da Delegacia de Pontes e Lacerda, no dia 09 de setembro deste ano, a vítima, de 44 anos, voltava por uma estrada rural quando foi abordada por duas pessoas. Armados com uma carabina e um revólver, os suspeitos realizaram disparos contra o veículo e próximo da vítima, a obrigando a parar e fazendo ameaças, de que estavam há tempos procurando pela vítima.

Em seguida, os suspeitos mandaram a vítima deitar no chão e lhe amarraram os braços, a conduzindo em seguida para a fazenda onde foram cumpridas as buscas nesta quarta-feira.

Na propriedade, a vítima permaneceu amarrada pelos braços e pernas a noite toda e a todo momento, os suspeitos apontavam uma arma de fogo e faziam ameaças de morte.

Posteriormente, a vítima foi levada até outro local, onde havia sinal de celular, e os suspeitos fizeram contato com outra pessoa. Depois, fizeram dois disparos próximos à cabeça da vítima que, em seguida, sofreu novas ameaças de morte e tortura, inclusive contra sua família.

No dia seguinte, por volta das 15 horas, a vítima foi liberada do cárcere privado e procurou a Polícia Civil, informando que trabalha há vários anos na região e não havia passado anteriormente por nenhuma situação semelhante.

A partir das informações coletadas, o delegado Marlon Luz representou pelas medidas judiciais, necessárias para coletar novos elementos que vão subsidiar o inquérito sobre  prática dos crimes de tortura, sequestro e cárcere privado, além do possível envolvimento de outras pessoas. 

Fonte: PJC MT

Continue lendo

Policial

Polícias Civis de MT e AC prendem integrante de organização criminosa voltada para estelionato pela internet

Publicado


Assessoria/Polícia Civil-MT

Um homem suspeito de integrar uma organização criminosa voltada para golpes cometidos pela internet foi preso em flagrante em ação conjunta da Polícia Civil de Mato Grosso, através da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Cuiabá e Polícia Civil do Acre.

O suspeito de 21 anos foi encontrado com grande quantidade de dinheiro e itens adquiridos com o dinheiro do golpe e foi atuado em flagrante pelo crime de estelionato.

As investigações iniciaram após a equipe da Derf Cuiabá receber informações sobre duas vítimas da de Rio Branco (AC) que foram lesadas em mais de R$ 17 mil, através do golpe conhecido como “Golpe da OLX”, em que o estelionatário mantém conversa como anunciante/vítima que publica a venda de um veículo no site, demonstrando interesse no bem e pedindo que retire o anúncio.

Posteriormente, o suspeito anuncia o mesmo veículo em outro perfil, conseguindo um comprador interessado (neste caso a segunda vítima) e mediante artifício ardiloso, promove o encontro das vítimas, sendo que o comprador analisa o veículo e depois fecha negócio com os fraudadores, que indicam conta de terceiros para o depósito dos valores.

A vítima, moradora do estado do Acre, efetuou transferência para três agências e correntistas diferentes de agências bancárias localizados em Cuiabá. Com base nas informações passadas pela Polícia Civil de Rio Branco, os policiais da Derf conseguiram identificar o suspeito que foi preso em flagrante com mais de R$ 12 mil em espécie e compras recém-efetuadas com o dinheiro do golpe.

O suspeito, morador do bairro Novo Paraíso 2, não possui ocupação lícita porém possui cinco contas em bancos diferentes somente para recebimento de valores provenientes dos golpes. Questionado, ele confessou a participação nos golpes e revelou que fica com 20% dos valores depositados pelas vítimas.

O delegado responsável pelas investigações, André Monteiro, representou pelo bloqueio das contas bancárias e disse que diante dos elementos colhidos, ficou evidenciado que o suspeito é membro de uma organização criminosa interestadual, estruturada pela divisão de tarefas de seus componentes com a finalidade de aplicar crimes reiterados de estelionato qualificado pela fraude eletrônica.

“Os criminosos se organizam de forma pulverizada, com seus membros atuando em tarefas distintas, residindo em estados diferentes, assim como as vítimas e operam com transferências bancárias em várias contas, para facilitar saques e outras transferências principalmente para dificultar a investigação policial”, explicou o delegado.

O preso foi encaminhado para audiência de custódia, ficando a disposição da Justiça. As investigações seguem em andamento para identificar e prender outros envolvidos nos crimes.

“A ação e prisão do suspeito ocorreu graças a parceria das Polícias Civis dos estados do Acre e Mato Grosso, outras atuações com policiais de cidades do interior e de outros estados é cada vez mais necessária e estão dando certo no combate aos crimes de estelionato”, finalizou o delegado.

Fonte: PJC MT

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana