conecte-se conosco


Policial

Polícia Civil desarticula principal organização criminosa atuante em roubos de defensivos agrícolas no Estado

Publicado

Assessoria | PJC-MT

A Polícia Judiciária Civil, por meio da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), deflagrou nesta quinta-feira (12.12), a operação “Fim da Linha”, com objetivo de dar cumprimento a 16 ordens judiciais contra a principal organização criminosa especializada em roubos de defensivos agrícolas no Estado.

Os mandados são cumpridos em 06 municípios do Estado de Mato Grosso, Cuiabá, Primavera do Leste, Poxoréu, Sinop, Sorriso e Lucas do Rio Verde. Seis pessoas alvos de mandados de prisão já foram presas, e o cumprimento das buscas continua em andamento.

Entre os presos estão, Fernando Serrando de Souza, conhecido como “Gordão”, Moisés Sales da Silva, o “Magrão”, Reinald Sthephanio Arouca de Moura, o “Rinodê”, Márcio Vieira Dias, conhecido como “Mineiro”, José Carlos Oliveira Duarte, o “Perninha” e Bruna Almeida Silva.

Outros dois integrantes do grupo, identificados como, Johne Ribeiro da Silva, o “John-John” e Cassiano de Lima Camargo, conhecido como “Cara de Arraia”, morreram durante confronto com a Polícia, no mês de outubro, ocasião em que um policial também ficou ferido.

As investigações iniciaram há cerca de um ano, conseguindo desarticular a principal organização criminosa especializada em roubos de defensivos agrícolas no estado de Mato Grosso. Durante os trabalhos, foram identificados os 08  principais integrantes do grupo criminoso responsável por pelo menos 11 roubos realizados no período de um ano.

Leia Também:  Polícia Civil prende três suspeitos de golpes da venda de veículos anunciados na internet

Por meio de ações de inteligência e análise de dados, a GCCO conseguiu mapear e identificar 11 fazendas situadas em diversos municípios, as quais foram vítimas do mesmo grupo criminoso. De acordo com o delegado, Frederico Murta, que conduziu as investigações, em todos os fatos investigados os criminosos atuavam sempre da mesma maneira.

“Cerca de 10 indivíduos fortemente armados e com uso de coletes balísticos, rendiam e amarravam os moradores e funcionários das fazendas, cortando ainda todo tipo de comunicação. Valendo de muita violência e graves ameaças às vítimas que permaneciam amarradas por horas”, explicou o delegado.

Após a ação criminosa, os suspeitos fugiam do local levando todo o estoque de defensivos agrícolas, veículos, armas e outros pertences das vítimas.

Ao longo das investigações realizadas pela GCCO, foram realizadas várias prisões em flagrante e, além das cargas recuperadas foram apreendidas 06 armas de fogo, um colete balístico e vários veículos pertencentes à organização criminosa.  

O grupo criminoso foi responsável pelo roubo ocorrido no mês de outubro em Lucas do Rio Verde. Na ocasião, após realizarem um roubo, os criminosos reagiram a uma ação policial no município de Lucas do Rio Verde, no momento em que faziam o transbordo da carga roubada.

Leia Também:  Polícia Civil cumpre mandado contra ex-tabelião que forjou documento em Jaciara

No momento da abordagem, houve um confronto entre os criminosos e policiais da GCCO, culminando com um policial ferido e dois criminosos mortos. Na ação, foi recuperada uma carga avaliada em mais de R$ 1 milhão, que havia sido roubada de uma das fazendas dois dias antes.

Para o delegado geral, Mario Dermeval Aravéchia de Resende, a operação demonstra que a Polícia Judiciária Civil está empenhada no combate ao roubo de defensivos agrícolas.

“A desarticulação da organização criminosa apontada como principal atuante em roubos de defensivos no Estado demonstra que a Polícia Civil está aprimorando e fortalecendo as ações de combate a roubos, furtos e contrabandos de agrotóxico em Mato Grosso”, destacou Mario Resende.

A operação contou com o apoio das delegacias de Sinop, Lucas do Rio Verde, Sorriso, Primavera do Leste e do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer).

 

Fonte: PJC MT
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Policial

Mais de 600 motocicletas são fiscalizadas em operação da PRF

Publicado

Um motociclista foi preso, pois contra ele havia um mandado de prisão expedido pelo crime de tráfico de drogas

A PRF (Polícia Rodoviária Federal) realizou ontem (21), em todas as regiões de Mato Grosso, a Operação Rodovida Temática Motocicletas. O foco foi a fiscalização de motocicletas e similares com objetivo de diminuir acidentes envolvendo esse tipo de veículo.

As ações aconteceram em pontos das rodovias federais com maior índice de acidentes e infrações, especialmente perímetros urbanos.

Foram fiscalizadas 625 motocicletas, 93 acabaram removidas ao pátio. Foram emitidos 346 autos de infração, a maioria por irregularidades na Carteira Nacional de Habilitação, como não possuir habilitação ou estar com CNH vencida ou suspensa. 

Um motociclista foi preso em Cuiabá, pois contra ele havia um mandado de prisão expedido pelo crime de tráfico de drogas.

A Operação Rodovida 2019/2020 iniciou em 20 de dezembro e segue até março. A ação do Governo Federal, coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, por meio da PRF, tem como meta reduzir a violência no trânsito e os custos sociais deles decorrentes.

Leia Também:  Polícia Civil prende três suspeitos de golpes da venda de veículos anunciados na internet

Neocleciana Gonçalves –

SECOM PRF MT

Fonte: PRF MT
Continue lendo

Policial

Projetos sociais da PJC atendem mais de 25,3 mil pessoas durante o ano

Publicado

Assessoria | PJC-MT

Com ações de educação preventiva, a Coordenadoria de Polícia Comunitária, através dos Projetos Sociais da Polícia Judiciária Civil, De Bem Coma Vida, De Cara Limpa contra as Drogas e Rede Digital pela Paz, atendeu mais de 25,3 mil pessoas, entre crianças, adolescentes, jovens e adultos, ao longo de 2019.

Os trabalhos tiveram como foco principal estudantes do ensino fundamental e médio, totalizando 21.722 crianças e adolescentes atendidos em todo estado de Mato Grosso. Os projetos também realizaram ações para jovens e adultos que resultaram em mais 3.169 pessoas atendidas.

Realizadas de forma continuada em escolas e empresas, as atividades buscam entre outras questões, desestimular o uso inicial de drogas por crianças e adolescentes, reduzir situações de riscos aos danos relacionados ao uso indevido de entorpecentes.

Outra tema trabalhado, principalmente com crianças e adolescentes em idade escolar é o “bullying”, termo em inglês que pode significar desde uma intimidação verbal até uma agressão física. Buscando uma conversa leve, porém responsável, os palestrantes expões 8 conceitos diferentes que caracterizam o comportamento, que na maioria dos casos nasce dentro da escola.

Além do trabalho desenvolvido com estudantes, há também ações interdisciplinares e contínuas, de caráter preventivo e educativo na que são planejadas para o trabalhador e familiares, oportunizando a prevenção do uso indevido de drogas no ambiente de trabalho em todos os turnos, visando à melhoria da qualidade de vida.

Para realização dos atendimentos da maneira mais eficaz, os projetos sociais atuam em agenda integrada e as ações preventivas pautadas em princípios éticos e na pluralidade cultural, orientadas para a promoção de valores voltados à saúde física e mental, individual e coletiva, ao bem-estar, à integração socioeconômica e a valorização das relações familiares, considerando seus diferentes modelos.

Leia Também:  PF bloqueia R$ 10 milhões de suspeitos de vender agrotóxico ilegal em MT

As ações são planejadas e direcionadas ao desenvolvimento humano, com incentivo à educação para a vida saudável, acesso aos bens culturais, incluindo a prática de esportes (Corrida De Cara Limpa Contra as Drogas), cultura, lazer, a socialização do conhecimento sobre drogas com embasamento científico, o fomento ao protagonismo juvenil, à participação da família, da escola e da sociedade na multiplicação dessas ações.

O coordenador da Polícia Comunitária, Ademar Torres de Almeida, a prevenção constitui um grande desafio para a implementação de uma política de atenção aos problemas com drogas em nosso Estado e exige – tanto da sociedade quanto do poder público – ações conjuntas e eficazes a partir de políticas intersetoriais nas diversas áreas: jurídica, educação, segurança, saúde e assistência social na busca de soluções para minimizar os prejuízos decorrentes do uso de entorpecentes.

Ademar também acredita que o trabalho interdisciplinar e multiprofissional, com a participação de diferentes atores sociais envolvidos no processo, possibilita a formação de multiplicadores. “O objetivo é ampliar, articular e fortalecer as redes sociais, visando ao desenvolvimento integrado de programas de promoção geral à saúde e de prevenção”, explica.

As principais ações preventivas buscaram compartilhar informações, esclarecer, conscientizar, estimular o diálogo e abrir espaço para tirar o assunto da invisibilidade e, assim, mudar essa realidade.

Leia Também:  Homem mata colega e fere outro após discussão no trabalho em Várzea Grande

No interior do estado, as ações são desenvolvidas pelos policiais civis que ficam responsáveis pelo desenvolvimento dos projetos em suas cidades. Em Sapezal (480 km a Noroeste de Cuiabá), somente no mês de fevereiro de 2019, mais de 2 mil jovens participaram de palestras orientativas e preventivas ministradas pelo delegado da Polícia Civil do município de Sapezal, Valmon Pereira da Silva, dentro do programa De Cara Limpa Contra as Drogas.

No mês de abril, os projetos tiveram como foco a Campanha Escola Segura com o foco orientações no campo preventivo da violência no âmbito escolar, ocasião em que foram realizados mais de 5 mil atendimentos na Capital e no interior do estado.

A campanha visa orientar alunos sobre o cyberbullying, prática que envolve o uso de tecnologias de informação e comunicação para dar apoio a comportamentos hostis com a intenção de ameaçar, como o compartilhamento de fotos ou vídeos que façam menção a supostos ataques alcançou duas escolas particulares de Cuiabá.

A valorização da vida foi o principal tema abordado pelos projetos sociais durante na Campanha Setembro Amarelo de Sensibilização e Prevenção ao Suicídio. Na ocasião, foram realizadas ações na Capital e interior do estado que ultrapassaram a marca de 1 mil atendimentos somente na segunda quinzena de setembro.

 

Fonte: PJC MT
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana