conecte-se conosco


Policial

Polícia Civil cumpre prisão de autor de feminicídio de empresária em Várzea Grande

Publicado

Assessoria | PJC-MT

A Polícia Judiciária Civil, por meio da Delegacia Especializada Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), cumpriu nesta terça-feira (17.09), o mandado de prisão temporária contra Valdir Gomes de Lima, 48, apontado como autor do feminicídio da empresária, Maria Lúcia Lustosa Sabino, de 54 anos, ocorrido no último sábado (14), em Várzea Grande.

O crime ocorreu no apartamento da vítima no bairro Imperador em Várzea Grande. O corpo da empresária foi encontrado por um sobrinho da vítima que sentiu falta da tia e foi até o seu apartamento, ocasião em que teve que arrombar a porta para entrar.

De acordo com a Perícia, a empresária foi vítima de asfixia e estava sem vida há aproximadamente 10 horas. Desde o início das investigações, o principal suspeito do crime era o companheiro da vítima, que teria saído do apartamento dela por volta das 03 horas.

Durante os trabalhos, os policiais da DHPP receberam informações de que o suspeito também teria confessado o crime por meio de conversas pelo aplicativo WhatsApp. Com base nas informações, os policiais da DHPP realizaram diligências para localizar o suspeito, porém sem êxito.

Leia Também:  Quatro menores são apreendidos pela Polícia Militar tentando furtar motos do pátio do Detran em Cuiabá

Na segunda-feira (16), a delegada responsável pelas investigações, Eliane Moraes, ouviu testemunhas, para levantar elementos comprobatórios, com os quais representou pela prisão temporária do suspeito. Ao se apresentar na DHPP, nesta terça-feira (17), Valdir já estava com a ordem de prisão decretada pela Justiça, a qual foi devidamente cumprida.

Interrogado, o suspeito confessou o crime e disse que matou a vítima durante uma discussão. “Ele alegou que a vítima começou a xingá-lo, ocasião em que ele perdeu a cabeça e não viu o momento em que a enforcou”, contou Eliane Moraes.

 

Fonte: PJC MT
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Policial

Policial Militar acusado de atirar em mulher já foi denunciado por extorsão

Publicado

O policial militar Weberth Batista Ribeiro, um dos suspeitos de atirar em uma mulher, na noite de sexta-feira (17), no município de Sorriso, já responde a denúncia criminal oferecida pelo Ministério Público do Estado de Mato Grosso, em novembro do ano passado, pela prática de extorsão. Na ocasião, a Promotoria de Justiça representou pela prisão temporária do acusado e depois pela conversão em preventiva. Ele chegou a ser preso, mas posteriormente foi colocado em liberdade.

Consta na denúncia que o policial realizou campanas nas proximidades da residência e estabelecimento comercial de um empresário também da cidade de Sorriso para intimidá-lo a efetuar o pagamento de R$ 45 mil. Ele chegou a invadir o estabelecimento comercial da vítima, desferiu um soco em uma câmera de segurança e na sequência passou a pressioná-la fazendo ameaças com expressões provocativas e sugerindo estar armado. Toda a ação foi gravada pelo circuito interno.

Além dele, foram denunciadas outras duas pessoas, incluindo o gerente de uma rede de supermercados do município.

Leia Também:  Inauguração do Centro de Tecnologia da Informação traz avanços ao trabalho da PJC

INQUÉRITO: No âmbito cível, o Ministério Público instaurou duas portarias para investigar a prática de atos de improbidade administrativa contra o policial militar. A primeira refere-se aos fatos relacionados à extorsão de comerciante para cobrança de dívida, e a segunda sobre as agressões físicas e tentativa de homicídio. Nesse último caso, além dele, também está sendo investigado o policial Ezio Souza Dias.

A tentativa de homicídio ocorrida em Sorriso foi registrada por uma câmera de vídeo, cujas imagens viralizaram em todo o país. As cenas mostram a abordagem, o crime e o socorro às vítimas.

Continue lendo

Policial

Polícia Civil prende 4 em MT por golpe de R$ 100 mil em morador de Goiás

Publicado


Vítima levou golpe após ver anúncio da venda de um veículo pela internet

A Delegacia de Roubos e Furtos de Rondonópolis (DERF) prendeu nesta quarta-feira (22) quatro pessoas suspeitas de aplicar um golpe pela internet contra uma vítima do estado de Goiás. Os quatro foram autuados pelos crimes de estelionato e associação criminosa. A vítima sofreu um prejuízo superior a R$ 100 mil.
Na ação, os policiais também apreenderam veículos e uma motocicleta e recuperaram parte do dinheiro do golpe. A prisão dos suspeitos foi realizada após a Derf de Rondonópolis receber comunicação da Polícia de Goiás sobre o golpe denunciado pela vítima na cidade de Goiânia.

A vítima viu um anúncio de venda de um veículo no site OLX e entrou em contato com o anunciante, iniciando a negociação. O anunciante então informou que um familiar seu mostraria o carro à vítima e o pagamento deveria ser transferido em duas contas-correntes. O anunciante pediu ainda que a vítima não comentasse nada sobre a transferência à pessoa que mostraria o veículo.

Leia Também:  Polícia Civil prende jovens e apreende adolescentes por tráfico de drogas

Após a transferência dos valores, a vítima foi com o rapaz que mostrou o carro para lavrar o documento de venda do carro, quando ambos descobriram que tudo não passava de um golpe. A vítima então entrou em contato com a Delegacia de Roubos e Furtos de Rondonópolis informando que as contas para as quais transferiu o valor do veículo eram da cidade.

Em diligências para localizar os suspeitos pelo golpe de estelionato, os policiais realizaram diligências em pontos diferentes da cidade. Um dos suspeitos foi localizado em uma loja de comércio de pneus, onde tentou fugir da abordagem policial. Ele é apontado por outros presos como o responsável por organizar o golpe. A polícia apurou ainda que ele tem patrimônio incompatível com sua renda.
Outro suspeito que recebeu metade do dinheiro da suposta venda do veículo afirmou aos policiais que com parte do dinheiro recebido adquiriu uma motocicleta.

Durante as diligências, a Polícia Civil descobriu ainda que o dinheiro recebido no golpe da vítima de Goiânia foi distribuído em diversas contas bancárias. A investigação continua para apurar se há outras pessoas envolvidas e recuperar o dinheiro.

Leia Também:  Inauguração do Centro de Tecnologia da Informação traz avanços ao trabalho da PJC

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana