conecte-se conosco


Policial

Polícia Civil checa veracidade de informações que circulam em redes sociais e aplicativos

Publicado

Assessoria | PJC-MT

A Polícia Civil, por meio da Gerência de Combate a Crimes de Alta Tecnologia (Gecat), está apurando a origem de áudios oriundos de aplicativo de mensagem (Whatsapp) referentes a possíveis “fake news” em relação à propagação do coronavírus (Covid-19) em Mato Grosso.

Conforme o delegado da Gecat, Eduardo Botelho, todas as informações recebidas estão sendo checadas mediante informações repassadas pelos órgãos oficiais do Estado e, havendo discrepância, a pessoa responsável pelo áudio será notificada para prestar os devidos esclarecimentos.

Um exemplo é um áudio relacionado a uma médica pediatra, que foi verificado pela Gecat. A profissional foi solicitada para explicar as informações e se retratou sobre as informações repassadas. Ela afirmou à Polícia Civil que repassou a mensagem sem confirmar a procedência do áudio, porém, disse que sua intenção não foi propagar o pânico, mas, apenas alertar sua família acerca da gravidade da pandemia.

“Esta será a conduta padrão da Gecat em relação aos casos semelhantes, sendo possível inclusive a responsabilização criminal dos autores”, alertou o delegado Eduardo Botelho.

Ainda segundo o delegado, as mensagens “fake news” mencionam dados inverídicos sobre pessoas contagiadas pelo coronavírus, o que coloca em descrédito o os órgãos oficiais do estado como um todo.

A Polícia Civil de Mato Grosso permanece atuando para combater e reprimir ‘fake news’, assim como comportamentos delitivos que, porventura, desobedecerem a determinações sanitárias e de saúde, determinadas pelas autoridades, para se evitar ainda mais a disseminação da pandemia do coronavírus.

A Gecat alerta ainda que a população deve buscar informações pelos órgãos oficiais como o Ministério da Saúde e a Secretaria de Saúde do Estado sobre as orientações e dados em relação ao coronavírus.

Denúncias sobre materiais “fake news” (áudio ou vídeo) podem ser feitas pelo telefone (65) 99973-4429 ou enviar mensagem eletrônica no e-mail: [email protected]

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Policial

Atendimento no Protocolo da Diretoria Geral será suspenso das 9 às 11h na próxima 2ª feira

Publicado


.

Assessoria | Polícia Civil-MT

A Diretoria de Execução Estratégica da Polícia Civil comunica que na próxima segunda-feira, (06.07), o setor de Protocolo que funciona no prédio da Diretoria Geral da estará fechado temporariamente para atendimento geral, no período das 09 até 11 horas, por  motivos técnicos. 

A previsão é que o atendimento ao público seja retomado logo após as 11 horas, do mesmo dia.

 

Fonte: PJC MT

Continue lendo

Policial

Polícia prende cinco pessoas e fecha ponto de venda de drogas que funcionava em restaurante em Cuiabá

Publicado


Drogas eram vendidas no local ou entregues no sistema delivery [F-PJC/DRE]

Cinco pessoas de uma mesma família, entre elas uma mulher com extensa ficha criminal e procurada pela Justiça, foram presas pela Polícia Civil, no final da tarde de quinta-feira (2), por atuação com o tráfico de drogas na capital. Para praticar o crime, o grupo utilizava um restaurante de fachada onde era realizada a venda do entorpecente.

A ação da Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE) foi deflagrada em conjunto com o canil do Serviço de Operações Penitenciárias Especializadas (SOE) e o trabalho investigativo contou com apoio Polícia Civil de Mato Grosso do Sul.

Além das prisões de dois homens e três mulheres, foram apreendidos mais de 180 porções de entorpecentes, um veículo, aparelhos celulares e aproximadamente R$ 650 em dinheiro proveniente do tráfico.

Entre as pessoas presas, está uma mulher de 44 anos com mais de 20 passagens criminais por furto e três por tráfico de drogas e com mandado de prisão em aberto expedido pela Comarca de Campo Grande (MS). Ela é considerada a líder do grupo formado pelos parentes  que atuavam a venda de entorpecentes.

Todos os cinco envolvidos foram autuados em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico. bem como foi dado cumprimento ao mandado de prisão em aberto contra a suspeita.

As investigações iniciaram há cerca de dois meses quando os policiais civis da DRE receberam informações sobre um endereço no bairro Jardim União, em que funcionava uma marmitaria de “fachada”, sendo na realidade um ponto de venda de drogas. Segundo as informações, a dona do estabelecimento também cooptava pessoas para atuar no comércio ilícito.

Durante diligências no local, os investigadores identificam que o estabelecimento supostamente do ramo alimentício, havia uma grande movimentação de pessoas. Em alguns casos, a pessoa apenas passava e pegava algo e logo guardava no bolso, aparentando ser drogas, uma vez que não estavam comprando marmitas.

Também foi observado no local a organização de várias pessoas nas entregas rápidas de drogas, até mesmo no sistema delivery. Em buscas no estabelecimento não foram encontrados produtos alimentícios e mantimentos que comprovassem o funcionamento de uma marmitaria no local.

Durante trabalho de inteligência investigativa os policiais civis da DRE identificaram a responsável pelo imóvel como foragida da Justiça de Mato Grosso do Sul.

De posse do mandado judicial as equipes da DRE e do canil do SOE foram até o local onde os cinco envolvidos foram surpreendidos com mais de 180 porções de droga, entre maconha e cocaína, além dinheiro, caderno de anotações, um veículo Duster e vários aparelhos celulares.

Diante do flagrante as três mulheres e os dois homens foram levados até a DRE, interrogados e autuados pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico. Após a confecção dos autos e cumprimento de prisão, os presos foram encaminhados para unidades prisionais na Capital à disposição da Justiça.

Conforme o delegado titular de DRE, os suspeitos são investigados também por cometer alguns crimes de furtos em outras cidades de Mato Grosso, e por atuarem trazendo drogas de MS para serem comercializadas em Cuiabá. A Polícia Civil também representou pela conversão das prisões em flagrante pelas prisões preventivas dos acusados.

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana