conecte-se conosco


Policial

Polícia Civil apreende veículos de investigado em esquema fraudulento contra prefeitura de Rondonópolis

Publicado


.

Assessoria/Polícia Civil-MT

A Polícia Civil de Mato Grosso, por meio da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf), cumpriu nesta terça-feira (05.05) mandados de buscas e apreensões na cidade de Palmas, no estado do Tocantins, na investigação que apura o estelionato praticado na venda de ventiladores pulmonares para a Prefeitura de Rondonópolis.  

Equipe coordenada pelo delegado Santiago Rozendo Sanches apreendeu na capital do Tocantins dois veículos pertencentes a um dos mentores do esquema da venda dos aparelhos à Prefeitura de Rondonópolis.

No dia 30 de abril, a Polícia Civil prendeu, em Rondonópolis, o suspeito de fazer a venda dos aparelhos à prefeitura. Ele estava na cidade para tentar o desbloqueio dos valores pagos pela Prefeitura e que a Polícia Civil conseguiu bloquear das contas da empresa.

Para entender o ponto de partida da investigação é preciso voltar ao dia 22 de abril, quando a Secretaria de Saúde do município procurou a Polícia e registrou uma ocorrência relatando que, diante da situação da pandemia do coronavírus (Covid-19) e necessidade de atendimento à unidade de saúde, foram adquiridos 22 aparelhos respiradores pulmonares, em processo de dispensa de licitação.

Fraude

Na celebração do contrato com a Prefeitura de Rondonópolis ficou estabelecido que o pagamento fosse realizado após a entrega dos aparelhos, que ficou marcada para os dias 16 e 17 de abril, em Goiânia (GO). Diante do combinado, uma equipe da Prefeitura foi até a capital goiana para buscar os aparelhos. Antes de fazer o carregamento, foram feitas fotos dos equipamentos  e encaminhadas à Secretaria de Saúde, sendo demonstrados pelos adesivos que se tratavam dos ventiladores pulmonares.

Desta forma, o pagamento foi efetuado pela Prefeitura de Rondonópolis na conta da empresa, porém, quando os equipamentos chegaram no dia 22 de abril na Unidade de Pronta Atendimento (UPA) da cidade foi constatada se tratar de uma falsificação, pois se tratavam de monitores com aparência de respiradores, sendo colocados adesivos e manuais como sendo os de respiradores.

Antes que a equipe da Prefeitura descobrisse a fraude, um representante da empresa entrou em contato diretamente com a UPA solicitando para que não abrissem as caixas dos aparelhos até o dia 04 de maio, ocasião em que um autorizado viria até a cidade para a instalação dos equipamentos.

Investigações

Imediatamente após o registro da ocorrência, a Derf Rondonópolis iniciou as diligências para investigar o caso e uma equipe foi até Palmas, cidade onde supostamente ficava a sede da empresa vencedora da licitação. Na ocasião, o suspeito, responsável pela empresa, já havia deixado a cidade e não foi localizado. Entretanto, a Polícia conseguiu o bloqueio em conta do pagamento efetuado pela Prefeitura de Rondonópolis.

Com apoio da Polícia Civil do Tocantins, as investigações avançaram, sendo possível identificar e qualificar o suspeito do crime, que teve o mandado de prisão representado pela Polícia Civil e decretado pela Justiça. Ele foi preso em Rondonópolis, onde esteve a fim de tentar reaver os valores que a Polícia Civil já havia conseguido bloquear de suas contas bancárias.

Segundo o delegado Santiago Rozendo, foram bloqueados das contas das empresas do investigado cerca de R$ 3 milhões adquiridos através da venda fraudulenta.

“As investigações identificaram que o suspeito adquiriu monitores cardíacos, equipamento de valor muito inferior ao de um respirador pulmonar, pelo valor de R$ 10 mil e adulterou o produto para dar aparência de ventiladores e revendeu à Prefeitura pelo valor de R$ 188 mil cada”, disse o delegado.

Fonte: PJC MT

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Policial

Polícia Rodoviária Federal prende 04 condutores dirigindo sob influência de álcool nesse domingo em Mato Grosso

Publicado


Domingo agitado em Mato Grosso, com 04 prisões de condutores que estavam dirigindo seus veículos sob a influência de álcool.

O primeiro caso foi em Diamantino/MT, por volta da 01 hora e 32 minutos, a fiscalização era km 539 da BR 163, foi acionada para atendimento de acidente de trânsito envolvendo veículo com derramamento de carga. Na oportunidade, foi verificado que o motorista (43 anos) do caminhão Iveco/Stralis, possuía visíveis sinais de embriaguez.

Ao ser submetido ao exame de alcoolemia, constatou-se o teor de 0.87 miligramas de álcool por litro de ar expelido pelos pulmões. Por se queixar de dores no peito, o senhor foi encaminhado pela ambulância da Rota do Oeste ao Pronto Atendimento de Diamantino/MT.

Outro caso foi às 09 horas e 50 minutos em Pontes e Lacerda, houve um acidente do tipo colisão traseira entre o veículo Vw/Gol 1.0, conduzido por um homem de 30 anos, com uma motocicleta Honda/Cg, com 02 ocupantes.

Foi realizado o teste de etilômetro nos envolvidos, sendo que o motorista do Vw/Gol apresentou o valor de 1,02 mg/L, miligramas de álcool por litro de ar expelido pelos pulmões, considerado crime.

Já em Água Boa, por volta do meio-dia, a equipe atendeu um acidente de trânsito do tipo colisão frontal sem vítimas (Ford/F 1000 e um Vw/Novo Voyage), um dos envolvidos (homem de 45 anos), após ser submetido a exame de alcoolemia, constatou-se o teor de 1.07 miligramas de álcool por litro de ar expelido pelos pulmões.

E no final da noite, às 21 horas e 40 minutos em Pontes e Lacerda, um homem de 42 anos, conduzindo o veículo FIAT/STRADA, foi abordado e solicitado documentação. Foi visível aos policiais que ele apresentava sinais de embriaguez, sendo solicitado ao condutor que descesse do veículo e realizasse o teste de etilômetro.

Após o procedimento, foi constatado o valor de 0,73 mg/L miligramas de álcool por litro de ar expelido pelos pulmões.

Nos quatro casos, os condutores foram encaminhados para a Delegacia de Polícia Civil das respectivas cidades.

Conduzir veículo automotor sob efeito de bebida alcoólica, conforme a legislação em vigor, é um ato criminoso, conforme Art. 306 do Código de Trânsito Brasileiro.

Fonte: PRF MT

Continue lendo

Policial

Policial militar morre após sofrer espancamento durante briga em distribuidora em Várzea Grande

Publicado

Assassinos fugiram e ainda não fora presos

Um soldado da Polícia Militar foi morto durante uma briga na madrugada desta segunda-feira (26) durante briga em uma distribuidora, localizada na rodovia Ministro Mario Andreazza, em Várzea Grande. Roberto Rodrigues de Souza, de 31 anos, foi espancado com chutes e socos, por dois homens, que fugiram logo depois e ainda não foram presos.

De acordo com o boletim de ocorrência, o militar  chegou ao local acompanhado de amigos e algum tempo depois, foi ao banheiro, quando teria se desentendido com dois homens. Roberto foi agredido e caiu desacordado, quando continuou recebendo chutes pelo corpo e na cabeça.

Os agressores deixaram o local acompanhados por duas mulheres em um Chevrolet Onix e um Wolksvagem Gol. O policial foi socorrido até o Pronto-Socorro Municipal de Várzea Grande onde chegou a receber atendimento, mas devido à gravidade dos ferimentos, veio à óbito. Agentes do 4º Batalhão da PM, onde o agente trabalhava, foram acionados e continuam realizando rondas na região. As agressões foram registradas por uma câmera de segurança do estabelecimento e deve auxiliar na identificação dos suspeitos.

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana