conecte-se conosco


Policial

Polícia Civil apreende 232 bolsas réplicas de grifes famosas

Publicado

Assessoria | PJC-MT

A Polícia Civil apreendeu 232 produtos (bolsas e carteiras) réplicas de grifes famosas na sétima fase da operação Fictus VII, realizada na manhã desta quarta-feira (17), pela Delegacia Especializada de Defesa do Consumidor (Decon) em conjunto com o Procon de Cuiabá e apoio da equipe da Diretoria de Execução Estratégica (DEE).

A mercadoria, sendo  211 bolsas e 21 carteiras, foi apreendidas em duas lojas do Shopping Popular, no bairro Dom Aquino,  na Capital. Em um Box foram 138 cópias de bolsas de marcas Victor Hugo e Louis Vuitton, e no segundo foram 21 carteiras e 73 bolsas, falsificadas da marca brasileira e francesa.

Um dos proprietários informou aos policiais que os produtos são oriundos de São Paulo e que tem conhecimento serem de “segunda linha”, ou seja, falsificados.

O Procon lavrou auto de constatação e infração contra os dois estabelecimentos.

O delegado da Decon, Antônio Carlos Araújo, informou que serão instaurados dois inquéritos policiais e após perícia da Politec ficar constatado que os produtos são falsificados os responsáveis pelos estabelecimentos serão indiciados. 

Leia Também:  PRF participa de audiência para debater a implantação de rádio digital integrada com as forças de segurança

Os dois proprietários foram conduzidos à Delegacia do Consumidor e poderão ser responsabilizados em crimes relativos a condutas praticadas no comércio de produtos falsificados ou pirateados, que estão tipificadas no artigo 190, inciso 1 da Lei 9.279/96, do Código de Propriedade Industrial, pena detenção de 3 meses a 1 ano; artigo 7, inciso 7, VII, da Lei 8.137/90 da lei contra as Relações de consumo, pena de 2 a 5 anos ou multa; por fraudes no comércio, previsto no artigo 175, inciso I do CPB, e ainda por infrações praticadas dentro do Código de Defesa do Consumidor (Lei 8.078/90 em seu artigo 67).

Fonte: PJC MT
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Policial

Núcleo de Pessoas Desaparecidas preserva privacidade de vítimas localizadas

Publicado

Assessoria | PJC-MT

As Redes Sociais se tornaram um grande aliado da Polícia Civil, em relação ao recebimento de denúncias e informações que auxiliam o trabalho investigativo. O Núcleo de Pessoas Desaparecidas, da Delegacia Especializada de Proteção a Pessoa (DHPP), é um dos setores que mais se beneficia com a ajuda da população, que em grande parte das vezes contribui para o esclarecimento dos casos de desaparecimentos.

É natural que a comunidade que se preocupa com o fato e até mesmo ajuda solucionar uma investigação em andamento, queira saber da localização do desaparecido (o que é informado), mas também outras informações como onde e em que condições a pessoa foi encontrada, situações muitas vezes não divulgadas pela Polícia Civil

A preservação da vítima depois de localizada, ocorre porque a príncipio, quando a pessoa desapareceu, as razões eram desconhecidas. É importante ressaltar que o desaparecimento de pessoa em si não é crime, mas as circunstâncias que ocorreram durante ou depois podem estar vinculadas a algum tipo de crime ou situação que envolva a intimidade da vítima.

Leia Também:  Polícia Civil deflagra operação contra grupo envolvido em furtos de veículos de locadoras

Os desaparecimentos ocorridos nos centros urbanos, normalmente estão relacionadas pelos seguintes motivos: Afastamento ou abandono do convívio familiar; Vítimas de acidentes; Práticas criminosas; Desaparecimento enigmático; Fuga de Custódia legal (Lar da criança/adolescente, Hospital Psiquiátrico, Clínicas de tratamento); Subtração por familiares; Sequestro, entre outros casos em que a polícia é envolvida para tentar solucionar o desaparecimento.

Entretanto, a confirmação do real motivo do desaparecimento só acontece quando a vítima é localizada. Nesse momento, o Núcleo de Pessoas desaparecidas, opta por manter o direito de preservar a imagem e a privacidade das vítimas e dos familiares.

Normalmente (nos casos de pessoas localizadas), as vítimas voltam para casa sem dar maiores explicações, e outras situações são encontradas em situações vexatórias, presas ou em óbito. Alguns casos de maior repercussão, a própria imprensa faz matérias em que descrevem a situação a qual a vítima foi localizada, entretanto é de responsabilidade da própria família fazer essa divulgação.

O Núcleo de Pessoas Desaparecidas recebe um grande número de ocorrências e mesmo com poucos servidores, consegue êxito em localizar mais de 90% das vítimas desaparecidas.

Leia Também:  Suspeitos de homicídio são presos por tráfico e comércio ilegal de munições

É importante ressaltar que as páginas do Núcleo de Desaparecidos no Facebook e Instagram (@desaparecidosdhppmt), em que são publicados os cartazes de pessoas desaparecidas, assim como o número de WhatsApp da unidade (65) 9 9982-7766, são instrumentos de suma importância no êxito para a localização das vítimas.

É a partir das denúncias da população, em casos em que não há nenhuma pista, que as investigações são direcionadas, sendo essencial a ampla divulgação, repercussão e denúncias que ocorrem graças ao auxílio da sociedade e a popularidade da página.

Fonte: PJC MT
Continue lendo

Policial

Polícia Civil prende dois homens que tentavam roubar aeronave em Alta Floresta

Publicado

Assessoria | PJC-MT

Dois homens que planejavam roubar uma aeronave na cidade de Alta Floresta foram presos pela Polícia Civil, na sexta-feira (23). Os suspeitos, V.S.R.J, 23 anos, e F.F.A., 24 anos, são do estado de Goiás e estavam na cidade com a intenção de conseguir um avião para levar até a Bolívia.

Os suspeitos despertaram atenção, após percorreram aeroportos do município na tentativa de conseguir fretar uma aeronave. A Polícia Civil foi acionada e ao abordar os suspeitos encontrou com eles um revólver cromado calibre 38, com 13 munições, R$ 5.861,00, 3 celulares, GSP, e outros objetos.

Ao ser interrogados, os suspeitos confessaram que estavam na posse da arma de fogo deste o dia 19 de agosto, e a intenção era mesmo roubar uma aeronave na cidade de Alta Floresta. Porém, eles não disseram se o avião seria utilizado a serviço do tráfico de drogas.

Os suspeitos relataram estar a mando de outros dois suspeitos que serão investigados. Eles foram autuados em flagrante por associação criminosa e porte ilegal de arma de fogo, em procedimento policial presidido pelo delegado Pablo Bonifácio Borges.

Leia Também:  Polícia Civil deflagra operação contra grupo envolvido em furtos de veículos de locadoras

O delegado informou que não foi arbitrada fiança aos dois suspeitos e eles apresentados em audiência de custódia.

Fonte: PJC MT
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana