conecte-se conosco


Política MT

Pivetta mantém candidatura ao Senado, busca apoio e quer suplente de Cuiabá

Publicado

Vice-governador disse que vem mantendo reuniões para conseguir apoio para a eleição que deve ocorrer em abril [F-Mídia News]

O vice-governador Otaviano Pivetta (PDT) disse em entrevista ao programa Resumo do Dia, da TV Brasil Oeste, que mantém a intenção em disputar o Senado e que já iniciou as articulações visando apoio para a eleição suplementar que deve ocorrer em 26 de abril, para a vaga de Selma Arruda (Podemos), cassada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em dezembro por seis votos a um, sob a acusação de prática de caixa 2 e abuso de poder econômico na disputa eleitoral de 2018.

“Eu realmente tenho essa intenção, estou determinado a construir minha candidatura. Obviamente estou aguardando os fatos, aguardando a data da eleição, aguardando as definições que ainda não existem para depois me pronunciar definitivamente”, disse.

Após informar ao governador Mauro Mendes (DEM) sobre o desejo de entrar na disputa, Pivetta disse que iniciou as conversas com lideranças políticas, inclusive com o ex-deputado Adilton Sachetti (PRB) e o ex-senador Cidinho Santos (PRB), contados para ocuparem as suplências em sua chapa. “Eu conversei com algo como 50 lideranças, pessoas que eu tenho mais proximidade, nesse período, inclusive com o Cidinho e com Adilton Sachetti. Não tem nada decidido, não avançamos em nenhuma hipótese, as coisas estão ainda muito incipientes, muito no inicio’, disse.

Com forte liderança na região norte de Mato Grosso, tendo sido prefeito por três mandatos do município de Lucas do Rio Verde, Pivetta cogita a hipótese de buscar um suplente de Cuiabá ou da região. Caso essa tese seja confirmada, Sachetti ou Cidinho, ficarão fora da disputa, já que ambos são lideranças provenientes da região sul e médio-norte, respectivamente.  “São cerca de 40 por cento dos votos de Mato Grosso. Não só por isso, mas especialmente sobre a relevância que tem esse aglomerado urbano e os problemas neles presentes”, destacou.

Apoio de Mauro

Na segunda-feira (14), durante entrega da Avenida do Barbado, em Cuiabá, o governado Mauro Mendes revelou que já conversou pessoalmente com Otaviano Pivetta sobre a eleição para o Senado, e que externou o desejo para que o aliado permaneça no Governo. Porém, disse que irá respeitar qualquer decisão tomada pelo aliado.

Mauro já se manifestou publicamente sobre a intenção de apoiar o ex-vice-governador Carlos Fávaro (PSD) nessa eleição, já que estiveram na mesma chapa no pleito de 2018.

“O Carlos Fávaro nos apoiou e estivemos juntos. Não mudou nada de lá pra cá, mas é um novo momento e é um novo cenário. Só vou me posicionar a respeito do processo eleitoral assim que o jogo estiver definido”, disse o governador.

 

 

 

 

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política MT

Delegado Claudinei destina R$ 200 mil para projeto da Empaer

Publicado


.

Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

No propósito de fortalecer a agricultura familiar do Vale do rio Cuiabá que abrange 14 municípios mato-grossenses, o deputado estadual Delegado Claudinei (PSL) vai destinar emenda parlamentar de R$ 200 mil ao projeto Rede E-Commerce da Agricultura Familiar (REAF) por meio da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), vinculada à Secretaria de Estado de Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários de Mato Grosso (Seaf).

De acordo com o pesquisador e gerente de programas e projetos da Empaer, Fabrício Tomaz Ramos, o projeto foi idealizado ao uso do comércio eletrônico para alavancar a comercialização de produtos da agricultura familiar. “Ano passado apresentei este projeto ao deputado Claudinei. A Empaer trabalha com a agricultura familiar e tem que ter o apoio de parceiros e do governo. E ter um político como ele, que abraça a causa, é muito importante”, comenta.

“O sistema produtivo agropecuário é muito rico em nosso estado de Mato Grosso. Por reconhecer a importância deste projeto da Empaer, principalmente que vai gerar emprego e renda, nada mais justo que somar com eles. É um projeto inovador que vai proporcionar o uso da tecnologia por parte do público-alvo. E, claro, essa oportunidade vai dar o devido direcionamento para ampliar a produtividade e a valorizar as cadeias produtivas de pequenas propriedades”, posiciona o deputado Claudinei.

Estudo

Com análise e averiguação dos tipos de comercialização para atender os produtores rurais, Fabrício conta que identificou que o grande gargalo deste segmento é a venda de produtos em quantidade, com qualidade e com preços justos originados da agricultura familiar direto para empresas, restaurantes e consumidores residenciais cadastrados. 

Ele conta que há entraves para que o produtor obtenha um lucro justo em cima de sua produção. “Por mais que o agricultor tenha dificuldades de acessar o crédito, se ele consegue produzir alguma coisa, muitas vezes ele não sabe para quem vai vender ou quem vai consumir. Outros entraves, também são os casos de perdas pós-colheita por produtos não comercializados e quando o atravessador que vai comprar barato com vários produtores que acabam não lucrando”, esclarece o pesquisador.

Método

A Empaer com este projeto vai buscar criar uma conexão entre o agricultor e o consumidor, enfatiza o Fabrício, que acrescenta que a instituição tem um diferencial que é o de garantir a rentabilidade com um símbolo de qualidade, entre outros métodos para dar destaque aos produtos gerados.

O projeto da REAF contará com a elaboração de um aplicativo do tipo marketplace, tanto para B2B – Business to Business (tradução livre: de empresa para empresa) a B2C – Business to Client (tradução livre: de empresa para cliente) que vai facilitar a comunicação e a comercialização entre os agricultores, produtores rurais e consumidores por meio da Internet que, consequentemente, resultará na geração de renda com a venda dos produtos da agricultura familiar. Também, vai beneficiar cerca de 700 propriedades rurais do Vale do rio Cuiabá.

 

Fonte: ALMT

Continue lendo

Política MT

João Batista pede por hospital de campanha em comunidade indígena no Alto Xingu

Publicado


.

Foto: ANGELO VARELA / ALMT

Com uma ação voltada exclusivamente para os povos indígenas de Mato Grosso, o deputado estadual João Batista do Sindspen (Pros) apresentou, durante a sessão matutina desta quarta-feira (12), indicação sobre a necessidade do governo do estado implantar um hospital de campanha no posto indígena Leonardo Villas Bôas, localizado no Alto Xingu. A iniciativa, como explicou o parlamentar, visa acompanhar a evolução do quadro do novo coronavírus e proteger as etnias que ainda restam no Brasil. 

“O Alto Xingu tem uma população de aproximadamente sete mil índios. São etnias que se encontram severamente ameaçadas por conta da Covid-19. Nos últimos dias, este vírus fez várias vítimas, caciques entraram para a estatística dos mortos pelo coronavírus, inclusive a sua maior liderança, cacique Aritana. Em pouco mais de duas semanas, o cacique Raoni Metuktire estava entre a vida e a morte, mas conseguiu vencer a batalha contra a Covid. Por isso, eu digo que precisamos realizar políticas públicas que incluam os povos indígenas”, comentou o deputado.

Em sua proposição, João Batista explica que fatores como condições sociais, econômicas, geográficas (difícil acesso) e a insuficiência de equipes de saúde contribuem para que o potencial de disseminação da doença seja amplificado.

“Os povos indígenas merecem o nosso total respeito e a atenção do poder público. Nos dois primeiros meses de 2020, dez milhões de árvores foram derrubadas ilegalmente na porção mato-grossense da bacia do Xingu, o equivalente a 84% do desmatamento na região entre janeiro e fevereiro.

Diante da gravidade da situação, o deputado conta que uma campanha no Alto do Xingu foi desencadeada para arrecadar fundos. O dinheiro será destinado para criação de um hospital de campanha no local. 

“Eu espero que o governador Mauro Mendes, assim como o seu secretariado, receba esta indicação e tome as providências necessárias. Entretanto, até que o Poder Executivo adote as devidas ações, a Associação Indígena Awapá irá gerenciar os recursos arrecadados pela ONG SOS Povos Indígenas do Xingu, mostrando que, em um estado como o nosso, não se deve esperar ações humanitárias por parte do atual administração”, finalizou João Batista.

Fonte: ALMT

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana