conecte-se conosco


Nacional

PF prende 10 pessoas que utilizavam crianças em esquema de migração ilegal

Publicado

Pessoas presas pela PF por esquema de imigração ilegal aos EUA arrow-options
Divulgação/PF

Pessoas presas pela PF por esquema de imigração ilegal aos EUA

A Polícia Federal prendeu em flagrante no Aeroporto de Brasília, na madrugada desta quinta-feira (5), dez pessoas tentando migrar ilegalmente para os Estados Unidos , pela fronteira do México. Os presos estavam acompanhados por oito crianças, que seriam utilizadas no esquema.

Leia também: Motoristas e cobradores de ônibus fazem protesto em São Paulo

A PF informou que foi constatada a falsificação de passaportes de algumas crianças para que se passassem por filhos, visando facilitar a entrada em território norte-americano. Nenhuma criança tinha o visto americano.

Passaportes falsos apreendidos pela PF que seriam utilizados no esquema de imigração ilegal aos EUA arrow-options
Divulgação/PF

Passaportes falsos apreendidos pela PF que seriam utilizados no esquema de imigração ilegal aos EUA

Segundo a PF, a intenção do grupo era utilizar o esquema conhecido como “cai-cai”, na qual um maior de idade se entrega às autoridades migratórias norte-americanas na companhia de um menor, impedindo, assim, a deportação imediata, já que o menor não pode permanecer sozinho durante os trâmites de repatriação.

Ainda de acordo com as investigações, uma das mães passou a residir, durante mais de um mês, na residência de um casal para que a criança se acostumasse com a companhia de adultos que passariam por seus pais junto às autoridades migratórias.

Leia também: Membros do Conanda denunciam “extinção” do órgão; governo rebate

Os presos serão investigados por crimes de promoção da migração ilegal de menor de idade, falsificação de documentos, entre outros.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nacional

Festa com 1000 mil pessoas acaba em multa de R$ 1000 para dono de sítio

Publicado


source
Festa em Campo Limpo Paulista
Arquivo pessoal

Festa em chácara com centenas de pessoas foi interrompida pela polícia.

O dono de uma chácara em que foi realizada uma festa com quase mil pessoas foi multado no valor de um salário mínimo. O evento acontecem em uma propriedade na cidade de Campo Limpo Paulista, no interior de São Paulo, no final do mês d e agosto. A informação sobre a multa e o valor dela foi obtida pelo G1 junto à prefeitura do município.

Em imagens do evento, é possível ver as pessoas aglomeradas, desrespeitando as recomendações de distanciamento social, e sem utilizar máscaras de proteção contra a Covid-19.  Moradores da região contam que aproximadamente 100 veículos estavam estacionados na região.

Segundo relatos dos moradores da região, o evento se estendeu durante o dia inteiro. Os participantes também teriam ocupado a rua em que a chácara fica localizada. De acordo com a polícia, depois que foram orientados, os participantes do evento deixaram o local e não foi registrado boletim de ocorrência.

Continue lendo

Nacional

Operação da PF apura desvios de mais de R$ 2 milhões no SUS

Publicado


source

Agência Brasil

PF
Agência Brasil

Operação foi deflagrada na manhã desta quarta-feira (23).

O desvio de mais de R$ 2 milhões de recursos do Sistema Único de Saúde (SUS) destinados à Santa Casa de Santana do Livramento, no Rio Grande do Sul, é o alvo da “Operação Sem Misericórdia”, da Polícia Federal (PF), deflagrada na manhã de hoje (23).

A investigação apura o desvio de recursos públicos a partir de contrato firmado entre a Santa Casa de Misericórdia, por meio da Prefeitura Municipal de Santana do Livramento, e uma organização social responsável pela gestão do hospital durante o período de maio a novembro de 2019.

Fraude

No período do contrato, a organização social subcontratou duas empresas pertencentes ao mesmo grupo criminoso para a execução de atividades de assessoria e consultoria, em valor global superior a R$ 1 milhão, como forma de justificar o desvio de verbas realizado por diversas transferências bancárias ao longo de todo o período, bem como permitir a contabilização nas empresas de destino como se os recursos fossem lícitos. Além disso, notas fiscais e contratos com empresas de fachada foram forjados com o propósito de sustentar as transferências ocorridas anteriormente sem o adequado lastro contábil.

Segundo estimativa da PF, mais de R$ 1,5 milhão foram repassados para diversas pessoas físicas investigadas, principalmente para o diretor da organização social contratada pela prefeitura. Somente ele, que não teve a identidade revelada, fez no período de contrato saques em espécie que somaram mais de R$ 500 mil.

No total, os agentes cumpriram 10 mandados de busca e apreensão em Sarandi (RS), e em Vitória, Vila Velha, Afonso, Venda Nova do Imigrante e São Domingos do Norte, no Espírito Santo. A PF também fez o sequestro de bens, e bloqueio de contas bancárias e cumpriu medidas cautelares, expedidos pela 22ª Vara Federal de Porto Alegre.

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana