conecte-se conosco


Polícia Federal

PF investiga fraude no emprego de verbas contra a Covid-19 no interior do Amapá

Publicado


Vitória do Jari/AP – A Polícia Federal deflagrou hoje (7/12) a Operação Matizar*. O objetivo é reprimir possível ocorrência dos crimes de fraude em licitação e peculato, em obra que serviria de base para enfrentamento da covid-19.

 Foram cumpridos três mandados de busca e apreensão: um na casa do secretário municipal de saúde de Serra do Navio/AP (ele reside em Pedra Branca do Amapari/AP); um na residência do responsável por executar a obra (residência em Vitória do Jari/AP); e um na sede de uma empresa em Vitória do Jari/AP. O certame previa reforma e adequação de um prédio para que ele fosse centro de referência no enfrentamento à pandemia.

As investigações tiveram início após denúncia que apresentou fortes indícios de direcionamento para a empresa que venceria a disputa. A modalidade de licitação escolhida foi o Convite, na qual o poder público busca empresas para realizar alguma obra ou serviço. Todavia, foram enviados apenas três convites, já se levantando suspeita sobre uma possível delimitação dos participantes. Mais adiante, a PF verificou que duas das três propostas apresentadas eram idênticas, num claro movimento para que uma terceira empresa saísse vencedora na disputa que envolveu cerca de R$ 100 mil.

Houve ainda constatação de que duas das três empresas têm entre seus responsáveis uma mesma pessoa, outra infração ao caráter competitivo das licitações. O trabalho policial constatou ainda que foi realizada apenas uma pintura no referido prédio, o que não justificaria o alto valor da obra.

As penas previstas para os crimes em investigação podem chegar a 20 anos de reclusão.

Comunicação Social da Polícia Federal no Amapá

Instagram: @policiafederalamapa

(96) 3213-7500

****Matizar quer dizer combinar, numa referência à maneira como foi conduzida a licitação sob suspeita.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia Federal

Suspeito de assassinato de policial é preso no Paraguai em ação conjunta de forças de segurança

Publicado


Foz do Iguaçu/PR – Em uma ação integrada com diversos órgãos de segurança do Brasil e do Paraguai, foi preso um indivíduo acusado de assassinar um policial militar na cidade de Altônia/PR, em setembro de 2017.

Após meses de levantamentos e investigações, o brasileiro, autor do homicídio, foi localizado na área rural do departamento de Canindeyu, no Paraguai.

A ação contou com a participação de diversos órgãos de segurança dos dois países, dentre eles o Departamento de Operações de Fronteira (DOF/MS), o Centro Integrado de Operações de Fronteira (CIOF), Polícia Nacional do Paraguai e a Polícia Federal, estes últimos no âmbito do Comando Tripartite.

A entrega do brasileiro para a Polícia Federal foi realizada hoje pela Polícia Nacional do Paraguai. O foragido já constava na lista de difusão vermelha da Interpol. Policiais federais o encaminharam para a Delegacia de Polícia Federal em Foz do Iguaçu/PR onde foi realizada a comunicação ao juízo competente.

Comunicação Social da Polícia Federal em Foz do Iguaçu

Continue lendo

Polícia Federal

Polícia Federal combate crime de moeda falsa

Publicado


São Luís/MA – A Polícia Federal prendeu em flagrante, nesta sexta-feira (14/1), na cidade de São Luís/MA, uma mulher pelo crime de moeda falsa. Ela se fez passar por outra pessoa de nome fictício que figurava como destinatária de uma encomenda a ser entregue pelos Correios. A referida correspondência continha notas falsas de R$ 50 e R$ 100, totalizando o valor de R$ 8 mil em cédulas falsas, as quais foram apreendidas.

O trabalho foi coordenado pela Polícia Federal, com a participação dos órgãos de segurança dos Correios.

As cédulas falsas continham características semelhantes às verdadeiras, com reprodução dos elementos de segurança e tonalidade própria das cédulas reais, porém com numerações de séries repetidas, o que aponta a falsidade destas, a ser corroborada por exame pericial.

A flagranteada foi indiciada pelo crime de moeda falsa, tipificado no artigo 289, §1º do Código Penal e poderá ser condenada a pena que varia de 3 a 12 anos de reclusão e multa.

As investigações prosseguirão no intuito de descobrir eventuais outros envolvidos na prática delitiva.

Comunicação Social da Polícia Federal no Maranhão

Telefone: (98) 31315105

(98) 991286428

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana