conecte-se conosco


Polícia Federal

PF combate associação criminosa responsável por assalto a agências dos Correios

Publicado

Cabedelo/PB – A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira (4/10) a Operação PACIFICAÇÃO IV, com objetivo de combater associação criminosa dedicada à realização de roubos a Agências dos Correios.

Cerca de 15 policiais federais cumpriram dois mandados de busca e apreensão na cidade de Santa Rita/PB. As ordens foram expedida pelo Juiz Federal da Vara de João Pessoa/PB.

Os investigados responderão pelos crimes de roubo qualificado e tentativa de latrocínio

O nome da operação faz alusão aos efeitos benéficos da atuação do Estado, por intermédio da Polícia Federal, na investigação e elucidação de crimes patrimoniais violentos contra as agências dos Correios.

ENTENDA O CASO

Na data de 23/8, uma dupla de criminosos assaltou a Agência dos Correios de Água Fria, no bairro do Cristo Redentor, na cidade de João Pessoa/PB. Na fuga, os ladrões foram abordados por uma guarnição da Polícia Militar, houve uma troca de tiros e neste confronto uma pessoa foi baleada e presa. O homem foi levado à Polícia Federal, onde foi lavrado o procedimento. O outro envolvido ainda não foi identificado. Ele teria fugido com os valores subtraídos.

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia Federal

PF investiga supostos crimes contra a Administração Pública no Acre

Publicado


Cruzeiro do Sul/AC – Nesta quarta-feira (2/12), a Polícia Federal, no bojo da Operação Choro de Hipócrates, identificou que, na região de Cruzeiro do Sul, Rodrigues Alves, Mâncio Lima, dentre outras cidades do estado do Acre, Amazonas, Rondônia, Minas Gerais e Bahia, inúmeros agentes públicos da área da saúde estariam supostamente acumulando, de forma indevida, trabalhos com aparente incompatibilidade de horários, recebendo valores públicos sem realizar a devida contraprestação, gerando com isso prejuízos para os diversos entes da federação, em específico para a União, ante os indícios de fraude no programa federal Mais Médicos do Brasil e no Sistema Único de Saúde. 

Também foi possível identificar que o controle estatal de frequência e permanência dos médicos nos diversos estabelecimentos da rede pública de saúde é inócuo, não havendo sequer um sistema eletrônico de entrada e saída. 

Essa leniência da Administração Pública proporcionou e continua proporcionando um ambiente engenhoso e profícuo à prática de crimes. 

Diante desse estado inconstitucional que se encontra o atual sistema público de saúde da região, a Polícia Federal representou, perante o Juízo Federal competente, pelo sequestro de veículos, casas e demais bens adquiridos com dinheiro público obtido através de condutas supostamente criminosas (possíveis estelionatos contra a Administração Pública), bem como pelo bloqueio de ativos financeiros, buscas, apreensões e por medidas cautelares diversas da prisão. 

O Juízo Federal da Subseção Judiciária de Cruzeiro do Sul no Acre, em atenção à representação da Polícia Federal, expediu 14 mandados de sequestro de bens, 1 mandado de busca e apreensão e 1 mandado que impôs 3 medidas cautelares diversas da prisão em desfavor de um investigado. 
Ademais, bloquearam-se ativos financeiros que, quando somados, perfazem mais de R$ 3 milhões. 
Destaca-se que, em razão da atuação da Polícia Federal, o Diretor Técnico do Hospital Regional do Juruá foi afastado de suas funções, bem como de qualquer outra função congênere dentro do respectivo estabelecimento médico-hospitalar. 

Sobre o nome da operação, Hipócrates é considerado por muitos uma das figuras mais importantes da história da medicina, frequentemente considerado o pai da medicina. Hipócrates escreveu um juramento, comumente denominado de O Juramento de Hipócrates. Atualmente, este juramente é reproduzido pelos médicos contemporâneos por ocasião de sua formatura, no qual juram praticar a medicina honestamente.
 

Comunicação Social da Polícia Federal no Acre

Continue lendo

Polícia Federal

Polícia Federal e Polícia Suíça prendem criminosos que extorquiam funcionário da ONU

Publicado


Ribeirão Preto/SP – A Polícia Federal e a Polícia Federal Suíça deflagraram nesta quarta-feira (2/12) a Operação Geneve, para prender dois brasileiros e um homem com dupla nacionalidade, brasileira e suíça, os quais extorquiam funcionário da ONU, residente em Genebra, na Suíça.

As investigações se iniciaram quando o funcionário da ONU noticiou às autoridades suíças que estava sendo vítima de extorsão e ameaças de morte, que se estendiam a seus familiares, residentes na Suíça e no Brasil.

As autoridades suíças, por meio de pedido de cooperação internacional, solicitaram o auxílio do Ministério Público Federal em Ribeirão Preto/SP que, dentre outras providências, requisitou a instauração de inquérito policial para a apuração dos fatos.

Durante as investigações, conduzidas pela PF, foi possível apurar que o valor extorquido inicialmente era de 450 mil francos suíços, o equivalente a mais de R$ 2,8 milhões. Ainda, apurou-se que um irmão da vítima teria sofrido uma tentativa de atendado a bomba no Brasil.

A 6ª Vara da Justiça Federal em Ribeirão Preto e as autoridades suíças expediram mandados de prisão e de busca e apreensão e, deste modo, simultaneamente, os investigados foram presos na Suíça e no Brasil.

Os investigados poderão responder, no Brasil, pelos crimes de extorsão (art. 158 do CP) e associação criminosa (art. 288 do CP), cujas penas, somadas, ultrapassam 15 anos de reclusão.          

Outras informações poderão ser obtidas na Delegacia de Polícia Federal em Ribeirão Preto, às 15h.

 

 

Comunicação Social da Delegacia da PF em Ribeirão Preto

Fone: (16) 3238-5215

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana