conecte-se conosco


Polícia Federal

PF apreende meia tonelada de cocaína e um helicóptero no interior de SP

Publicado

São Paulo/SP – A Polícia Federal deflagrou neste sábado (13/4) a Operação Flying Low, com objetivo de combater organização criminosa envolvida com tráfico ilícito de entorpecente, realizado por meio aéreo. As investigações duraram cerca de um ano. Foi apreendida aproximadamente meia tonelada de cocaína, transportada num helicóptero.

Cerca de 25 policiais federias participaram do trabalho, contando com o apoio aéreo da CAOP – Comando de Aviação Operacional da PF e da Polícia Militar do Estado de São Paulo.

A organização criminosa buscava a droga no Paraguai e a levava para o estado de São Paulo. Pelo fato de a aeronave, avaliada aproximadamente em R$ 4 milhões, não ter autonomia para o percurso todo, fazia uma parada para reabastecimento em matagal ermo localizado na região de Presidente Prudente, local em que os traficantes foram abordados pelos federais.

Até o momento, duas pessoas foram presas e foram apreendidos arma, veículos e dinheiro em espécie. Diligências continuam, com o apoio da Polícia Militar, para desarticulação da ORCRIM.

O nome da operação é traduzido do Inglês como “voando baixo” e se refere ao modo como era feito o deslocamento aéreo.

Leia Também:  Operação Ponto Final detecta fraude em concurso público na Paraíba

Haverá entrevista coletiva, às 15h, na Superintendência Regional da Polícia Federal em São Paulo.

 

 

 

Fonte: Polícia Federal
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Polícia Federal

PF deflagra terceira fase da Operação Ex tunc no Amapá

Publicado

Macapá/AP – A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (16/7) a terceira fase da Operação Ex tunc, para desarticular organização criminosa que praticava fraudes ao benefício de auxílio-reclusão, no estado do Amapá.

A ação, que resulta de trabalho em conjunto com o Ministério Público Federal (MPF) e com a Coordenação Geral de Inteligência Previdenciária (COINP), é um desdobramento da segunda fase da Operação Ex tunc, deflagrada em maio deste ano.

Estão sendo cumpridos seis mandados judiciais expedidos pela 4ª Vara da Justiça Federal no Amapá, sendo três mandados de prisão preventiva e três mandados de busca e apreensão em Macapá/AP e Santana/AP, além de medidas de sequestro e indisponibilidade de valores e de bens móveis e imóveis.

Nesta fase, com o avanço das investigações, logrou-se êxito em identificar as participações de três prováveis integrantes da organização criminosa, entre eles um ex-Secretário Parlamentar do Gabinete da Presidência da Câmara Municipal de Santana.

Os investigados poderão responder, na medida das suas responsabilidades, pelos crimes de estelionato majorado contra o INSS, falsificação e uso de documentos falsos, organização criminosa, dentre outros que poderão ser identificados no decorrer das investigações. Se condenados, poderão cumprir pena de até 21 anos de reclusão.

Leia Também:  PF combate corrupção, obstrução de justiça e violação de sigilo funcional

 

Fonte: Polícia Federal
Continue lendo

Polícia Federal

Operação Especialista combate grupo criminoso agia contra agências bancárias e estabelecimentos

Publicado

Natal/RN – A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (16/7) a Operação Especialista, para desarticular grupo criminoso que praticou crimes de furto qualificado contra as agências da Caixa Econômica Federal em Goianinha/RN e Banco do Brasil em João Pessoa/PB.

Cerca de 40 policiais federais estão cumprindo 6 mandados de busca e apreensão e 7 mandados de prisão expedidos pela 2ª. Vara da Justiça Federal/RN, nas cidades de Natal, Parnamirim/RN e Cuiabá/MT.

Além das agências bancárias, a quadrilha ora investigada também agia contra estabelecimentos comerciais, tais como: lojas, supermercados e casas de câmbio, sendo registrada nos últimos 11 meses pelo menos 10 ocorrências delituosas. 

Os suspeitos responderão pelos crimes de furto multiplamente qualificado, associação criminosa, receptação majorada, uso de documento falso e organização criminosa.

 

 

***“Especialista” – O nome da operação deriva do fato de que os furtos eram realizados mediante o emprego de ferramentas e técnicas especializadas na abertura de cofres.

Fonte: Polícia Federal
Leia Também:  PF resgata venezuelanos submetidos à condição análoga à de escravo
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana