conecte-se conosco


Saúde

Pesquisa da USP descobre como vírus deixa leishmaniose mais agressiva

Publicado

Agência Brasil

Pesquisa desenvolvida pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FMRP-USP) mostrou como um determinado vírus faz com que a leishmania – protozoário causador da leishmaniose – torne-se mais agressiva aos humanos. A leishmaniose tegumentar, transmitida ao ser humano pela picada das fêmeas do mosquito palha, causa lesões localizadas na pele.

Leia também: Doenças que atingem mais de 1 bilhão de pessoas são “esquecidas” pela indústria

Leishmaniose arrow-options
Creative Commons/Wikimedia

Leishmaniose é causada pelo mosquito palha

No entanto, em casos mais graves, quando há a disseminação das feridas, as lesões passam a aparecer também nas mucosas, frequentemente no nariz, boca e garganta, podendo desfigurar o rosto do paciente. Neste estágio, conhecido como o  leishmaniose mucocutânea, a doença pode se tornar letal.

Os pesquisadores já tinham conhecimento de que leishmania, quando infectada com o vírus LRV (Leishmania RNA virus), era capaz de desenvolver os casos mais graves da doença. A pesquisa da USP mostrou agora como o vírus possibilita ao protozoário se desenvolver de forma agressiva.

“Quando a leishmania infecta as pessoas fica uma queda de braço. Ela querendo sobreviver e nosso sistema imunológico tentando eliminar o parasita. Mas, quando a leishmania tem o vírus, ele’ desliga’ alguns dos mecanismos do nosso sistema imunológico que combatem o parasita”, destaca o autor da pesquisa, Renan Carvalho, cientista do Departamento de Biologia Celular e Molecular e Bioagentes Patogênicos da FMRP-USP.

Leia Também:  Nova etapa de vacinação contra a gripe inclui forças de segurança

Leia também: Descoberto no Brasil novo parasita que já fez vítimas no Norte e Nordeste

De acordo com a pesquisa, quando a leishmania , infectada com o LRV, invade o corpo humano, o vírus ativa um receptor nas células chamado TLR3, o que faz com que o sistema imunológico comece a produzir a substância interferon do tipo 1. O interferon, por sua vez, induz a autofagia das células humanas, ou seja, o processo de degradação e reciclagem de componentes da célula.

Com isto, as células humanas ficam mais vulneráveis, já que a presença do interferon impede a ação do inflamassoma, um conjunto de proteínas do sistema imunológico que combate a leishmania.

“Como essa proteína que mata a leishmania está sendo silenciada pelo vírus, a leishmania consegue sobreviver melhor, proliferar melhor e causar aquela forma da doença mais grave que é a leishmaniose mucocutânea. O parasita migra para o rosto das pessoas, tanto para a boca quanto para o nariz, e desfigura o rosto do paciente”, destaca Carvalho.

Estudo abre caminho para avanços na prevenção da doença

De acordo com o pesquisador, o estudo abre caminho para novas formas de combater a leishmaniose e tratar os pacientes. “A gente propõe que, a partir de agora, o paciente que chegue com suspeita de leshmaniose, ele seja diagnosticado não apenas para ver se tem a leishmania, parasita, mas que seja também feita uma análise molecular para ver se a leishmania possui o vírus”, diz Carvalho.

Leia Também:  Hipertensão atinge 24,7% dos moradores de capitais brasileiras

Segundo o cientista, caso diagnosticado com a leishmania portadora do vírus, o paciente deverá receber, além do tratamento convencional contra a leishmaniose, drogas capazes de combater também a ação do vírus. Essa medicação, no entanto, ainda está em fase de pesquisa.

Leia também: Cientistas descobrem ação de virus Zika no cérebro de adultos infectados 

No Brasil, segundo o Ministério da Saúde, são registrados anualmente cerca de 21 mil casos de leishmaniose tegumentar. A região Norte apresenta o maior número de casos, seguida das regiões Centro-Oeste e Nordeste.

Fonte: IG Saúde
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Saúde

Saiba quais cuidados você deve ter com os dentes durante o Natal

Publicado

O período festivo está associado a muita comida e bebida saborosa, que as pessoas normalmente não consumiam em outros dias do ano. Doces, frutas secas, panetones, bolo com frutas podem causar danos significativos aos dentes devido ao alto teor de açúcar e à textura pegajosa.  Alguns desses alimentos podem até conter pedaços duros que poderiam lascar ou quebrar um dente fraco.

Leia também: Erros na escovação dos dentes que cometemos todos os dias 

Natal e dentes arrow-options
shutterstock

Bruno Puglisi, colunista do iG Saúde, explica quais cuidados são importantes com os dentes durante a época de Natal

Se como a maioria das pessoas, você vai comer e beber neste Natal , é importante que você tome cuidado extra com sua higiene bucal. Recomendamos escovar, usar fio dental e usar enxaguatório bucal pelo menos duas vezes por dia, certificando-se de remover todos os vestígios de substâncias pegajosas e placas.

Leia também: Tem dúvidas sobre radiografia odontológica? Doutor Bruno Puglisi responde

Dr. Bruno Puglisi dá algumas dicas para ajudar você a manter sua boca em excelentes condições durante as festividades deste ano: 

Leia Também:  SBP: Brasil desativou 16 mil leitos pediátricos desde 2010

Aprecie a comida de Natal

O Natal não seria completo sem muita comida . Terminar uma refeição com um pouco de queijo faz maravilhas para os dentes, pois retorna a boca a uma acidez neutra, ajudando a evitar cáries. 

Dentes não são ferramentas 

Os dentes não foram projetados para serem usados como ferramentas. Usar os dentes para abrir pacotes, arrancar etiquetas ou abrir garrafas nunca é uma boa ideia. Você pode lascar ou quebrar os dentes dessa maneira e até arrancar todo o dente pela raiz.

Alimentos açucarados com moderação 

É importante que você saiba a quantidade de açúcar que alguns de seus alimentos favoritos de Natal contêm e os consumir com moderação para proteger seus dentes da cárie.

Natal significa muitas fotos de família e, para muitas pessoas, isso é uma preocupação. Uma alta porcentagem de adultos está descontente com os dentes e tenta esconder o sorriso.

Leia também: Doutor Bruno Puglisi mostra oito hábitos que prejudicam os nossos dentes

Se este é você, por que não dar um impulso de confiança neste Natal e tratar os dentes ? Que tal fazer uma visita ao seu dentista, fazer uma limpeza para começar o ano bem, fazer um clareamento ou até planejar o inicio de um tratamento e boas festas 

Leia Também:  Saiba o que é herpes zóster – o popular cobreiro – e quem está propenso a ter

Fonte: IG Saúde
Continue lendo

Saúde

Saiba os sintomas do câncer no cérebro, doença que matou vocalista do Roxette

Publicado

A cantora sueca Marie Fredriksson , vocalista da dupla Roxette, morreu, aos 61 anos, por causa de um  câncer no cérebro . Em 2002, a artista foi diagnosticada com o tumor após desmaiar dentro de casa. Desde então, ela lutava contra a doença.

Marie Fredriksson arrow-options
Divulgação

Marie Fredriksson, vocalista do Roxette, morreu por conta de um câncer no cérebro, diagnosticado em 2002

O câncer no Sistema Nervoso Central (SNC) — que envolve o cérebro e a medula espinhal — representa de 1,4 a 1,8% de todos tumores malignos no mundo, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca). Cerca de 88% deles são no cérebro.

Os tumores que se desenvolvem no cérebro podem ser primários — quando as células cancerígenas são originárias do próprio tecido cerebral — ou secundários — quando ocorre por causa de metástase de outro câncer , como o de mama, pulmão e pele . Os tipos secundários são os mais frequentes.

Sinais de alerta

Pelo fato de não haver exames preventivos para diagnosticar o câncer no cérebro, é preciso ficar atento aos sinais de alerta. Eles podem surgir em momentos iniciais ou avançados do tumor, já que dependem de onde ele está localizado.

Leia Também:  Saúde disponibiliza vitamina A para tratamento de sarampo

Os sintomas mais frequentes são: dor de cabeça muito forte que pode estar associada a náuseas e vômitos, crise convulsiva, alterações de equilíbrio, de visão ou de audição, alterações da fala ou da capacidade intelectual (compreensão, raciocínio, escrita, cálculo, reconhecimento de pessoas).

Leia também: Entenda o que é o tumor retirado do cérebro de Gloria Maria e quais os sintomas

“Se você notou alguns desses sinais, procure um médico. O tratamento precoce é sempre melhor. Não negligencie os sintomas”, orienta Carolina Fittipaldi, médica oncologista da Oncoclínicas.

De acordo com a especialista, a maioria dos diagnósticos ocorre na emergência, quando os pacientes procuram ajuda médica após uma crise de dor de cabeça muito forte ou por causa de um episódio convulsivo. A lesão é identificadas por exames de imagem como tomografia computadorizada e ressonância magnética com contraste.

Fatores de risco

De acordo com o Inca, alguns fatores aumentam a chance de desenvolvimento do câncer cerebral , como exposição a radiação ionizante (profissionais que lidam com raios-X, pessoas que se submetem à radioterapia ou a exames excessivos com radiação) e deficiência do sistema imunológico (que pode ser causada pelo vírus HIV ou pelo uso de medicamentos ou drogas que suprimem o sistema imunológico).

Leia Também:  Estilo de vida saudável dribla risco genético de demência

“O tratamento depende muito do tipo de tumor e da localização dele no cérebro. Por tratar-se de uma área nobre é importante que seja avaliado por uma equipe médica especializada que conte com neurocirurgião, oncologista e radio-oncologista, já que para alguns tipos de tumores é necessário complementar o tratamento cirúrgico com radioterapia e/ou quimioterapia. Todos os casos devem ser avaliados de forma individual de acordo com as características do tumor”, diz Carolina.

Leia também: Entenda o que é espondilite anquilosante, doença que afeta o cantor Zé Felipe

Todo o tratamento do câncer de cérebro é conduzido por essa equipe multidisciplinar, que além do neurocirurgião, inclui oncologista clínico, fisioterapeuta, enfermeiro, fonoaudiólogo e nutricionista, por exemplo.

Fonte: IG Saúde
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana