conecte-se conosco


Mato Grosso

Pesquisa da Unemat avalia efeito da variação de temperatura sobre a pressão arterial

Publicado

Considerada a epidemia do milênio, a doença renal crônica tem como principais causas a pressão arterial alta e a diabetes. É sabido que o descontrole da pressão arterial está presente em até 90% dos pacientes em hemodiálise, e muitos estudos apontam a influência dos fatores meteorológicos na pressão arterial. O perfil dos pacientes renais crônicos é composto, em sua maioria, por homens, idosos, hipertensos e que fazem uso de vários medicamentos para o controle da pressão alta.

Quando a enfermeira nefrologista Shaiana Vilella Hartwig fez a revisão bibliográfica para a sua tese de doutorado, “Fatores Meteorológicos e as alterações na pressão arterial e laboratorial dos pacientes em hemodiálise no Pantanal Mato-Grossense”, descobriu que não havia quantificação do efeito da temperatura sobre a pressão arterial dos pacientes em hemodiálise e, consequentemente, para pessoas em hemodiálise em clima tropical, como é o caso do Brasil.

A pesquisadora constatou que outras variáveis clínicas também influenciam na pressão arterial, e esses dados serviram de ajuste para descobrir o efeito da temperatura.

Shaiana é professora no curso de Enfermagem da Universidade de Mato Grosso (Unemat), em Cáceres, e leciona disciplinas de Epidemiologia, Saúde do Trabalhador, Bioestatística e Evolução do Trabalho em Enfermagem e ainda é membro do projeto Mudanças Climáticas e Saúde Humana da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

O efeito encontrado por ela aponta que “para o aumento de cada 1ºC na temperatura média externa, diminui em 0,73 mmHg (milímetro de mercúrio) a pressão arterial sistólica e 0,28 mmHg a pressão diastólica e o inverso também é verdadeiro. Se a temperatura diminuir 1ºC, aumentará 0,73 mmHg de pressão arterial sistólica e 0,28 mmHg na diastólica”.

Quer dizer, a cada 1 grau que a temperatura ambiente externa esquenta, a pressão arterial do indivíduo se torna mais baixa e a cada 1 grau que a temperatura esfria, a pressão arterial do indivíduo se torna mais alta.

Segundo a pesquisadora, a determinação do efeito da temperatura ambiente em graus sobre a pressão arterial dos pacientes em hemodiálise passa a oferecer aos profissionais de saúde referência para o controle da mudança da pressão arterial em função da temperatura.

E o quadro piora quando se leva em conta que a maior dificuldade no tratamento do paciente em hemodiálise é o controle da pressão arterial, e devido às mudanças climáticas a temperatura do ar está aumentando de uma maneira jamais vista. As variações de temperatura diárias são em média de 5 a 9 ºC em países de clima tropical.

Em Cáceres e nos outros municípios do bioma Pantanal a amplitude térmica é ainda maior, variando na média de 9,7ºC em um único dia, podendo chegar à máxima de 17°C de variação.

De acordo com a pesquisadora, o perigo mora nessas oscilações de temperatura. “Para pacientes em hemodiálise as alterações de pressão, tanto para alta como para baixa, são prejudiciais, por conta da sobrecarga cardíaca, o que pode levar a internações e à morte”, explicou Shaiana, que também ressaltou a importância de que sejam tomadas medidas de controle climático.  

Ela aconselha atenção e cuidados junto aos pacientes renais crônicos em hemodiálise para mudanças na temperatura. “É importante controlar mudanças bruscas, manter o paciente aquecido nos dias frios e controlar a temperatura interna do ambiente nos dias de calor”, esclareceu Shaiana.

Hemodiálise

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mato Grosso

Ministério da Justiça abre consulta pública para atualização do Plano Nacional de Segurança Pública

Publicado


.

O Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) disponibilizou para consulta pública a proposta de atualização do Plano Nacional de Segurança Pública e Defesa Social (PNSP), com o propósito de coletar contribuições, sugestões e críticas do público em geral. Os interessados poderão enviar contribuições pelo portal e-Democracia até o dia 28 de agosto. A consulta pública, iniciada no dia 14 de julho, já recebeu 11 sugestões.

O MJSP disponibilizou o portal e-Democracia para que a sociedade possa contribuir na construção de atos normativos de Segurança Pública. O objetivo da ferramenta é aumentar a participação social na criação das normas e aproximar os cidadãos e seus representantes por meio da interação digital.

O Plano Nacional é o principal instrumento de implementação da Política Nacional de Segurança Pública e Defesa Social. De acordo com a Lei nº 13.675/18, que institui o Sistema Único de Segurança Pública (SUSP), o Plano deve ter duração de dez anos e ser estruturado em ciclos de implementação de dois anos até o ano de 2030.

Publicado em dezembro de 2018, o Plano Nacional de Segurança Pública passou por um processo de revisão por meio de uma Consultoria da Controladoria Geral da União (CGU) e, por isso, está novamente disponível para consulta. A participação da sociedade é fundamental para a construção de ações efetivas na área de segurança pública e defesa social.

Qualquer interessado, pessoa física ou jurídica, poderá participar após cadastrar-se por meio do link e seguir os seguintes passos:

1. Clique no em “CADASTRAR”, localizado no canto superior direito.

2. Preencha o cadastro.

3. Valide seu cadastro de acordo com as instruções remetidas para o e-mail informado no cadastro.

A consulta pública ocorrerá exclusivamente por meio da ferramenta eletrônica e-Democracia. O edital pode ser acessado AQUI. O MJSP está disponível para dúvidas e esclarecimentos pelo telefone (61) 2025-9378 ou pelo e-mail [email protected].

Fonte: GOV MT

Continue lendo

Mato Grosso

Beneficiários do interior podem fazer exame de Covid-19 pelo Mato Grosso Saúde

Publicado


.

Os beneficiários do Mato Grosso Saúde residentes em Cáceres, São José dos Quatro Marcos, Mirassol D’Oeste e municípios adjacentes, já podem realizar os testes que detectam a Covid-19. O laboratório São Matheus foi credenciado e, além dos exames RT-PCR e sorológico para o novo coronavírus, também realiza todos os tipos de análises clínicas.

Para a presidente do Mato Grosso Saúde, Misma Thalita dos Anjos, a interiorização dos atendimentos é de extrema importância para levar atendimentos médicos e qualidade de vida aos beneficiários que não estão localizados na capital mato-grossense.

“Estamos em um grande trabalho de levar os atendimentos para o interior, principalmente, durante a pandemia do novo coronavírus. Estamos restabelecendo o elo comercial, outrora perdido, com os prestadores dos municípios de Mato Grosso, e o credenciamento com mais este laboratório nessas cidades, demonstra que estamos no caminho certo para abrangermos o Estado com os serviços de saúde aos nossos beneficiários”, reforçou.

A presidente ainda ressalta que os prestadores de saúde das demais localidades de Mato Grosso, podem procurar o setor de credenciamento para iniciar os processos de habilitação dos seus serviços junto ao Plano.

Os exames de Covid-19 são liberados de forma digital pelo Instituto e o paciente precisa apresentar o pedido médico datado, carimbado e assinado para realizá-lo.

Os pacientes que necessitarem de atendimento médico poderão realizar marcações de consultas por meio da telemedicina. O serviço permite que os beneficiários de qualquer localidade tenham acesso às consultas médicas de forma virtual e, durante a pandemia do novo coronavírus, esse serviço se torna importante para a proteção da saúde de todos, pois a consulta é realizada sem que o paciente precise sair de casa.

O Mato Grosso Saúde conta com prestadores e especialidades cadastradas para esta modalidade. Veja aqui as especialidades médicas disponíveis.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana