conecte-se conosco


Economia

PEC Eleitoreira avança e dólar bate R$ 5,33 com risco fiscal no radar

Publicado

Dólar chega a bater os R$ 5,32 e Ibovespa cai, com riscos externos e locais
Luiza Eiterer

Dólar chega a bater os R$ 5,32 e Ibovespa cai, com riscos externos e locais

Após aprovação da PEC do estado de emergência  no Senado, vista como eleitoreira por especialistas , o dólar voltou a bater R$ 5,33 na manhã desta sexta-feira (1º). O patamar do câmbio é o mais alto desde fevereiro de 2021. 

No início daquele mês, a moeda americana chegou a operar a R$ 5,3228 no dia 07 para fechar em R$ 5,2531. 

Entre no canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG 

No dia 4 de fevereiro, foi alcançado o patamar de R$ 5,3507 durante o pregão para a divisa fechar em R$ 5,3206.

O Ibovespa cai 0,65%, com 97.898 pontos. Menor pontuação desde outubro de 2021. 

“Estamos vendo uma queda das bolsas lá fora ligada ao receio de recessão nos EUA. No front doméstico, nós também temos componentes negativos, através do risco fiscal, com os receios sobre quanto vai custar para os cofres públicos essa tentativa do presidente Jair Bolsonaro de melhorar a sua popularidade”, destaca o diretor da FB Capital, Fernando Bergallo.

Ibovespa abre 2º semestre em baixa

Após um início de ano animador, o Ibovespa, principal índice do mercado de ações brasileiro, sucumbiu as pressões externas e fechou o primeiro semestre em baixa . A lista de motivos não é nada modesta. Pressões inflacionárias seguidas de altas nos juros, aqui e lá fora, risco de recessão global cada vez maior e o imbróglio fiscal agravado ontem com a  aprovação no Senado da PEC Eleitoral que cria estado de emergência para permitir aumento de gastos públicos pelo governo Bolsonaro a menos de três meses das eleições, são alguns dos fatores que prejudicaram o desempenho da Bolsa de São Paulo, a B3, na primeira metade de 2022.

O Ibovespa fechou o semestre com baixa de 5,99%, voltando a retrair numa primeira metade de ano pela primeira vez desde 2020, no auge da pandemia. As perdas foram intensificadas em junho, quando o principal índice da B3 despencou 11,50%, o pior desempenho para um mês desde março de 2020, o mês em que a Covid-19 se espalhou pelo país.

Com informações de Agência O GLOBO.

Fonte: IG ECONOMIA

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Economia

Quais desafios presidenciáveis enfrentam na economia? iGdeias debate

Publicado

iGDeias - Os desafios dos candidatos na agenda econômica para as eleições
Brasil Econômico

iGDeias – Os desafios dos candidatos na agenda econômica para as eleições

A menos de três meses para as eleições, os candidatos à Presidência já travam debates nas redes sobre as medidas econômicas de seus eventuais mandatos. Mas só planos não bastam, os mandatários terão que lidar com uma série de desafios para conseguir implementar suas ideias. Pensando nisso, o iG convida Alexandre Pires, professor de Economia e Relações Internacionais do Ibmec SP, e Ricardo Carneiro, professor Titular do Instituto de Economia da UNICAMP e Editor do blog Observatório da Economia Contemporânea, para uma conversa nesta terça-feira (9), ao meio-dia (12). A live será transmitida no LinkedInYouTubeFacebookTwitter e Twitch

Além de lidar com problemas na esfera política, como a reformulação do Congresso Nacional, precisando, portanto, garantir maioria para aprovação dos projetos, o próximo presidente enfrentará um cenário adverso na economia. 

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

Os gastos com prazo de validade, como o Auxílio Brasil de R$ 600 e o corte no ICMS de produtos essenciais terminam no fim de 2022. Mas a conta vem em 2023. 

As privatizações, mote da atual gestão do Ministério da Economia, também estão no centro do debate. Enquanto alguns candidatos falam em “vender até a Petrobras” , outros prometem recomprar ações de empresas já vendidas, como a Eletrobras , por exemplo. 

Outro ponto central para as campanhas é a ancoragem fiscal das contas públicas, já que o teto de gastos sofreu diversas alterações nos últimos quatro anos, como no caso da PEC Eleitoral e dos Precatórios, que permitiu despesas fora da regra. 

No último Boletim Focus, projetado por mais de 100 economistas do mercado financeiro, a inflação também estoura a meta no ano que vem. Conciliar crescimento econômico com baixa inflação será o principal desafio do próximo chefe do Executivo, já que é o que influencia diretamente na mesa do brasileiro. 

Os bancos e corretoras continuaram elevando suas expectativas de inflação para 2023 mesmo após a nova alta na taxa básica de juros, a Selic, anunciada pelo Banco Central (BC) na semana passada. A nova projeção é de 5,36%, contra 5,09% há quatro semanas. É a 18ª semana seguida de elevação.

Com a  inflação nesse patamar em 2023, a projeção é de não cumprimento da meta de inflação, que é de 3,25% com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual (p.p) para cima ou para baixo.

Para saber o que esperar desses e de outros desafios dos próximos anos, envie sua pergunta para aos convidados no chat das plataformas.


Fonte: IG ECONOMIA

Continue lendo

Economia

Auxílio Caminhoneiro: pagamento inicia hoje; confira valor e datas

Publicado

Auxílio caminhoneiros já está disponível nesta terça-feira (9)
Reprodução: ACidade ON

Auxílio caminhoneiros já está disponível nesta terça-feira (9)

Nesta terça-feira, (9) o Auxílio Caminhoneiro começa a ser pago pela Caixa Econômica Federal. Referente a julho e agosto, o valor de R$ 2.000 será depositado nas contas de poupança social digital dos motoristas de carga autônomos, e estará disponível para movimentação pelo aplicativo do Caixa Tem. 

O Benefício Emergencial aos Transportadores Autônomos de Carga, ou BEm Caminhoneiro, é previsto para até dezembro deste ano e se formou a por conta do drástico aumento de preço dos combustíveis no último semestre. A medida foi concedida por meio Proposta de Emenda Constitucional (PEC) Eleitoral.

Não será necessária a apresentação de nenhum comprovante de compra de combustíveis ou de número de veículos que os motoristas possuírem para receber o auxílio. Nos próximos meses, o valor do benefício será de R$ 1000 e será pago mensalmente. 

O valor estará disponível para saque por 90 dias. Após o período, o dinheiro será retornado para as contas federais caso não tenha sido movimentado. 

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

Quem tem direito ao benefício?

Poderão ter acesso ao auxílio transportadores autônomos de cargas cadastrados no Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Cargas (RNTRC) até 31 de maio de 2022 e com carteira de habilitação válida. O MEI Caminhoneiro também poderá receber o benefício desde que também tenha se registrado até a data prevista. 

Para a consulta da possibilidade de saque do benefício pode-se consultar o site do Governo Federal, onde há uma seção para  taxistas e uma para caminhoneiros

O pagamento será revisado mensalmente pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e o Ministério do Trabalho e Previdência (MTP) terá acesso a situação do trabalhador para confirmar se o mesmo está com a profissão “ativa” no RNTR-C.

Para regulamentar sua situação, esteja ela “pendente” ou “suspensa”, basta regularizar o registro na ANTT e habilitar para receber as parcelas a partir da data da regularização. Aquele que se regularizou após a data inicial terá direito penas as parcelas que não tenham sido pagas.

Os taxistas também poderam sacar seu benefício dia 16 de agosto desde que estejam com a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) válida e alvará para prestação do serviço cadastrado nas prefeituras em funcionamento até o dia 31 de maio de 2022.

Calendário de pagamentos para caminhoneiros

  • 1ª e 2ª parcelas – 9 de agosto – R$ 2.000
  • 3ª parcela – 24 de setembro – R$ 1.000
  • 4ª parcela – 22 de outubro – R$ 1.000
  • 5ª parcela – 26 de novembro – R$ 1.000
  • 6ª parcela – 17 de dezembro – R$ 1.000

Fonte: IG ECONOMIA

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana