conecte-se conosco


Mato Grosso

PCI lança ferramenta para que empresas apoiem desenvolvimento sustentável em MT

Publicado

Na Reunião Anual da Tropical Forest Alliance, o Instituto Produzir, Conservar e Incluir (PCI) lançou o PCI Pitchbook, um portfólio de projetos de desenvolvimento sustentável em andamento em Mato Grosso que estão prontos para o engajamento corporativo.

O PCI criou o Pitchbook para atender empresas que estão procurando novas formas de apoiar suas metas de sustentabilidade em suas cadeias de fornecimento. Mato Grosso detém enormes oportunidades para essas empresas, já que o estado produz quase 30% da soja brasileira e possui o maior rebanho bovino do Brasil.

“Em todo o mundo, muitas instituições se comprometeram a remover o desmatamento de suas cadeias de fornecimento até 2020, mas ainda estão lutando para encontrar soluções eficazes para atingir esses objetivos”, disse Fernando Sampaio, diretor executivo do PCI.

Com o Pitchbook, as empresas podem agora selecionar projetos em Mato Grosso com base em commodities – por exemplo, gado, soja, cacau e café – e atividades para engajamento, como aportes financeiros, suporte técnico ou compromissos de fornecimento.

“Graças ao PCI Pitchbook, as empresas podem aprender como se engajar em uma abordagem jurisdicional líder em Mato Grosso, Brasil, que pode servir de modelo para outras regiões na redução do desmatamento, aumentando a produtividade”, disse Katie Anderson, gerente da EDF + Business , que ajudou na criação do Pitchbook. “A publicação fornece medidas práticas para ajudar as empresas a avançarem no desenvolvimento sustentável, unindo esforços bem-sucedidos em campo”.

Leia Também:  Comissão do VLT trará solução para mobilidade urbana de Cuiabá e Várzea Grande

O comitê multissetorial do PCI selecionou os 11 projetos com base em um conjunto de critérios, como o compromisso do desmatamento ilegal zero e o potencial de expansão. O PCI continuará a adicionar projetos a essa lista, dando às empresas mais oportunidades de engajamento.

“O Estado continua comprometido com o desenvolvimento sustentável”, afirmou Alex Marega, secretário executivo de Meio Ambiente do Mato Grosso e representante do governo de Mato Grosso no evento. “Estamos fortalecendo a capacidade do governo de controlar o desmatamento e a gestão territorial por meio de inovações tecnológicas e de gestão”.

De 2004 a 2014, Mato Grosso demonstrou sucesso na redução do desmatamento, aumentando a produtividade. O governo do estado lançou a estratégia PCI na COP21 em 2015 como um instrumento para impulsionar a economia verde. Com o PCI Pitchbook, as empresas têm a chance de se unir à ambiciosa meta do estado de evitar mais de seis gigatoneladas de emissões até 2030.

“A América Latina é um celeiro de boas práticas, arranjos inovadores e conhecimento de vanguarda relacionado à questão do desmatamento zero”, afirma Fabíola Zerbini, coordenadora do TFA para a América Latina. “Precisamos ampliar e integrar esses elementos, reunindo todas as partes interessadas, e informações como as apresentadas pela iniciativa PCI são fundamentais para orientar decisões importantes que podem mudar o cenário atual.”

Leia Também:  Mulheres são detidas com drogas e celulares em unidades prisionais

 

Sobre o PCI

Determinado a aumentar a produtividade em todo o estado, mantendo a cobertura vegetal nativa e reduzindo o desmatamento, o governo de Mato Grosso e parceiros de diferentes setores criaram a estratégia Produzir, Conservar, Incluir (PCI) em 2015. Essa estratégia descreve uma nova visão sustentável para o futuro de Mato Grosso.

Em 2019, o PCI entrou em uma nova fase com a criação do Instituto PCI, que apoiará ações públicas e privadas e arrecadará fundos para promover a implementação da Estratégia. Até 2030, o PCI visa, entre outras metas, reduzir o desmatamento da Amazônia e do Cerrado em 90 e 95%, respectivamente, restaurar florestas naturais em 2,9 milhões de hectres de terra, aumentar a produção de soja e gado e fornecer assistência técnica para todos os 104.000 pequenos agricultores do estado. O PCI também planeja acabar com o desmatamento ilegal até 2020. Saiba mais sobre o PCI ou visite o site

Fonte: GOV MT
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Mato Grosso

Sema resgata 12 tartarugas nas Regiões do Araguaia e do Xingu; 8 pessoas foram presas

Publicado

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT), em parceria com a Diretoria de Unidade Desconcentrada de Confresa, ONG aliança da Terra e Polícia Militar, resgatou 12 tartarugas durante operação de 10 dias, realizada no fim de julho, que  abrangeu 13 municípios de Mato Grosso. A ação envolveu áreas de preservação permanente e do Parque Estadual do Xingu.

As tartarugas foram devolvidas ao seu habitat natural. Também foram apreendidos 110 quilos de peixes das espécies matrinchã, pacu, ferrada, piau, sardinha e pirarucu, carnes de caça e apetrechos proibidos de pesca como redes, espinhéis, arpão e bóias.

A operação ocorreu nos seguintes municípios: Bom Jesus do Araguaia, Serra Nova, Novo Santo Antônio, São Félix do Araguaia, Luciara, Santa Teresinha, Vila Rica, Confresa, Porto Alegre do Norte, Cana brava do Norte, Alto Boa Vista, Santa Cruz do Xingu e São José do Xingu.

Além das ações contra a pesca predatória, os fiscais atuaram também contra as queimadas florestais, ao se depararem com um foco de incêndio de grande porte em Jacaré Valente, Distrito de Confresa, atingindo cerca de 60 hectares de mata.

Leia Também:  Bope forma especialistas em Patrulhamento em Ambiente Rural de seis estados

Ao final da operação oito pessoas foram conduzidas para delegacia e os peixes apreendidos foram doados para o Hospital de São Félix do Araguaia.

Denúncias

O cidadão pode denunciar a pesca depredatória e outros crimes ambientais à Ouvidoria Setorial da Sema: 0800-65-3838 ou via WhatsApp no (65) 99281-4144. Outros telefones para informações e denúncias: (65) 3613-7394 (Setor Pesca), nas unidades regionais da Sema ou aplicativo MT Cidadão.

Fonte: GOV MT
Continue lendo

Mato Grosso

Curso de Técnicas de Controle da Rotam termina nesta segunda-feira (19)

Publicado

Depois de 27 dias, encerra nesta segunda-feira (19.08), às 9 horas, no auditório Comando Geral da Polícia Militar, o 2º Curso de Técnicas de Controle e Submissão, promovido pela Ronda Ostensiva Tático Metropolitana (Rotam). Os 17 alunos do aprimoramento receberam instruções de alternativas do uso da força, através de métodos de artes marciais adaptados para a atividade policial.

O objetivo do curso foi preparar os agentes públicos para situações críticas de manutenção da ordem, onde é necessário o emprego de técnicas, táticas e meios diferenciados de uso da força. Além de proporcionar aos alunos, maior capacidade técnica de resolução de conflitos, dentro dos princípios da legalidade, proporcionalidade, moderação e conveniência, resguardando os direitos e garantias fundamentais dos cidadãos. 

Participaram do curso policiais da Rotam, do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), Cavalaria, Força Tática do 1º CR, militares do 24º Batalhão,  Grupo Especial de Fronteira (Gefron), agentes penitenciários e investigadores da Polícia Judiciária Civil.

Na grade curricular, por exemplo, foram destacadas noções sobre Direitos Humanos; Legislação sobre o uso da força; História das algemas; Física aplicada à técnica policial; Sobrevivência policial; Defesa pessoal; Instrumentos de menor potencial ofensivo; Fundamentos de técnicas de solo e procedimentos de algemação tática, entre outros.

Leia Também:  Mulheres são detidas com drogas e celulares em unidades prisionais

Serviço

Encerramento do 2º Curso de Técnicas de Controle e Submissão

Data e hora: segunda-feira (19.08), às 9h

Local: Auditório do Comando Geral da Polícia Militar

Fonte: GOV MT
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana