conecte-se conosco


Geral

Pandemia atinge 84% dos bairros de Cuiabá; Jardim Imperial e Duque de Caxias lideram

Publicado

O Informe Epidemiológico sobre a COVID-19, publicado semanalmente pela Secretaria de Saúde de Cuiabá, com apoio de pesquisadores da Universidade Federal de Mato Grosso tem o objetivo de monitorar o padrão de morbidade e mortalidade e descrever as características clínicas e epidemiológicas dos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave – SRAG – pelo Coronavírus-2019 em residentes no município de Cuiabá. Neste informe apresentamos as informações desde a data da notificação do primeiro caso em Cuiabá até a 22ª Semana Epidemiológica, compreendendo o período de 14 de março a 30 de maio de 2020.

A notificação de SRAG é compulsória e, portanto, todos os profissionais e instituições de saúde do setor público ou privado, segundo legislação nacional vigente, devem realizar a notificação de casos suspeitos de SRAG dentro do prazo de 24 horas a partir da suspeita inicial do caso ou óbito.

Nesses setenta dias podemos verificar o crescente aumento de casos da COVID-19 em Cuiabá. Os casos aqui apresentados, assim como os de Mato Grosso e do Brasil, referem-se a casos que são detectados pelos serviços de saúde. Contudo, estudos nacionais e internacionais mostram que o número real de casos pode ser ainda maior. Pesquisa realizada recentemente estimou que no Brasil para cada caso confirmado de COVID-19 registrado oficialmente, existem 7 casos reais na população, tendo em vista que cerca de 80% da população apresenta sintomas leves ou são assintomáticos e não procuram os serviços de saúde.

Destaques da Semana Epidemiológica 22

– Em 30 de maio: 521 casos (residentes ou não em Cuiabá) em monitoramento, 193 recuperados e 181 internados (suspeitos e confirmados), sendo metade em leitos de UTI.

– Crescimento de 70% (298) de casos confirmados de COVID-19 em residentes em Cuiabá na semana.

– Aumento de 80% (4) de óbitos em residentes.

– 85% dos bairros de Cuiabá têm casos confirmados de COVID-19.

Casos notificados de SRAG até 30 de maio de 2020

Em 30 de maio de 2020, 72 dias após o primeiro caso registrado de COVID-19, foram notificados em Cuiabá 1.416 casos suspeitos de Síndrome Respiratória Aguda Grave, 512 casos nesta última semana. Entre os 1.416 casos, 7,2% (102) aguardam o resultado do exame para COVID-19. Entre aqueles que se conhecia o resultado (1.314), 350 (26,6%) foram descartados por tratar-se de outras SRAG e 964 (73,4%) resultaram positivo para COVID-19, sendo 723 residentes em Cuiabá (75%).

O número de casos notificados de residentes em outros municípios/estados cresceu 113%, tendo em vista que até a semana anterior haviam sido notificados 113 casos. A busca por atendimento hospitalar reflete neste aumento tendo em vista que a capital detém o maior número de leitos gerais e leitos de UTI no estado. Entre os casos de não residentes a maioria (145; 60,2%) era de Várzea Grande e dez eram de outros estados brasileiros.

Casos confirmados de residentes em Cuiabá-MT de 14 de março a 30 de maio

Até 30 de maio foram confirmados 723 casos de COVID-19 em residentes em Cuiabá indicando crescimento de cerca de 70% (298 casos), quase o dobro de casos novos confirmados nesta semana (Semana Epidemiológica 22) quando comparado com a anterior.

Tal fato tem ocorrido nas últimas quatro semanas epidemiológicas (SE) como observado na figura 2. Nesta semana (SE 22) foram cerca de 43 notificados diariamente, enquanto na anterior (SE 21) foram 23 casos/ dia; na SE 20 foram 11,7 casos/dia e na SE 19 foram 6/dia.

Do total de casos de COVID-19 em residentes em Mato Grosso (2.373) 30,5% foram de residentes na capital. A taxa de incidência foi de 117,7 casos/100.000 habitantes, bem mais elevada que a incidência em Mato Grosso (68,7/100.000 habitantes), mas muito inferior a taxa de incidência no Brasil que foi 235,0/100.0004, porém apresentando semelhança na proporção do crescimento semanal.

Desde a notificação do primeiro caso em 14 de março foram registrados 22 óbitos por COVID-19 em Cuiabá, sendo nove em residentes na capital e treze em outros municípios (seis em Várzea Grande, dois em Chapada dos Guimarães, um em Acorizal, Jangada e Querência, e dois em outros estados brasileiros). A taxa de letalidade em residentes Cuiabá se manteve (1,2%) e se mostrou inferior a taxa do estado (2,4%) e do Brasil (5,8%).

Entre os 723 casos confirmados de COVID-19, o primeiro caso notificado no dia 14 de março. Observa-se acentuado crescimento do número de casos notificados nas quatro últimas semanas epidemiológicas (19ª, 20ª, 21ª e 22ª): 42, 82, 160 e 298 respectivamente. O tempo médio entre a coleta de exames RT-PCR e a entrega dos resultados foi de 3,2 dias sendo cerca de 45,3% dos exames realizados pelo Laboratório Central de Mato Grosso (LACEN-MT). Destacamos que os testes rápidos são utilizados para triagem e não para diagnóstico, desta forma, esses não são de primeira escolha para o monitoramento de casos suspeitos, devendo ser avaliados em conjunto com a clínica e história epidemiológica. O uso sem critérios epidemiológicos pode representar risco, pois seus resultados podem ser falsonegativos. Neste sentido, Cuiabá optou por realizar, prioritariamente, o teste RT-PCR para indivíduos suspeitos e para contatos de casos confirmados de COVID-19, além de profissionais de saúde e segurança.

A taxa de internação no período foi de 21,7% com tempo médio de hospitalização de 6,7 dias. Entre os internados (115), trinta e seis (31,3%) ocuparam leitos de UTI e (33) fizeram uso de suporte ventilatório. Entre os casos confirmados de COVID-19 residentes em Cuiabá (723) 55,7% foi do sexo feminino e 52,1% era de cor/raça preta/parda (Figura 4). Somente onze indivíduos referiram ter viajado em período anterior ao início dos sintomas e desses seis para o exterior, evidenciando a transmissão comunitária no município.

A idade média foi 41,5 anos, sendo o mais novo com 10 meses e o mais velho com 102 anos. O grupo de 30 a 59 anos concentrou 71% dos casos e os idosos representaram 10,8% (78) dos casos; o número de casos em crianças cresceu 180% nesta semana. A taxa de incidência por faixa etária, revela que a taxa mais elevada foi de 40 a 49 anos (206,9/100.000 habitantes), seguida por 30 a 39 anos (204,2) e 50 a 59 anos (182,5); a taxa de incidência em idosos foi de 131,9/100.000 habitantes.

Cerca de 60% dos casos tinham nível superior e profissionais da área da saúde representaram 27,2% dos casos confirmados. Cerca de 20,3% (147) dos casos referiram comorbidades isoladas ou associadas, entre elas prevaleceram, hipertensão arterial (61) doença cardiovascular crônica (59), diabetes mellitus (33), asma (17), obesidade (13), imunodeficiência (12), entre outras.

Os principais sintomas relatados foram tosse (314), febre (267), desconforto respiratório (187), dor de garganta (167), mialgia (162), cefaleia (144), diarreia (136), dispneia (123), perda do olfato (92) e perda do paladar (84). Outros sintomas como dor (62), em especial dor torácica (28), fraqueza/cansaço (30), coriza (69) e calafrios (32) também foram reportados. Tosse e febre estiveram presentes em 209 indivíduos e 101 apresentaram simultaneamente desconforto respiratório, tosse e febre.

Observa-se o aumento gradativo do número de bairros com casos confirmados de COVID-19 na capital, tendo em vista que dos 125 bairros, 105 (84,0%) registraram casos, evidenciando o aumento de doze bairros em relação à semana anterior.

Cerca de 50% dos casos encontram-se distribuídos em 25 bairros, sendo os principais: Jardim Imperial (25), Duque de Caxias (18), Jardim Aclimação (15), Quilombo (14), Jardim Itália (13), Centro Sul (11), Jardim Vitória (10), Alvorada (10), Dom Aquino (9), Bosque da Saúde (9), Morada do Ouro (9), CPA 4 (9), Bela Vista (9), Areão (8), Santa Rosa (8), Jardim das Américas (8). Os bairros com maior número de casos na SE 22 coincide com as áreas identificadas como as áreas de maior intensidade no início do mês de maio.

Entre os nove óbitos por COVID-19 de residentes em Cuiabá cinco eram do sexo masculino e quatro do sexo feminino, com idade média de 67,4 anos, sendo o mais jovem com 46 anos e o mais velho com 86 anos; os idosos representaram 66,7% dos óbitos. Todos apresentaram pelo menos uma doença crônica: hipertensão (6), diabetes (2), obesidade (2), cardiopatia (4) e doença hepática crônica (1). Os principais sintomas foram desconforto respiratório (8), dispneia (7), tosse (7), febre (6), queda da saturação de oxigênio (4), diarreia (4), vomito (3) e dor de garganta (1). Em média cada indivíduo apresentou cinco sintomas simultaneamente. Entre os indivíduos que vieram a óbito, a média de dias de internação foi 11,4 dias, variando de 1 a 41 dias e mediana de 3,5 dias; seis foram internados em UTI e necessitaram de ventilação mecânica, sendo três suporte ventilatório invasivo.

Por meio de modelos matemáticos que consideram a proporção de infectados e o número acumulados de casos, e considerando que não haja alteração referente às medidas de controle, a previsão é que até 06 de junho Cuiabá terá registrado 1.250 casos de COVID-19, um aumento em torno de 65% no número de casos. Levando em conta os dados desta última semana, a análise nos parâmetros do modelo nos revela que houve um aumento na taxa de transmissibilidade do vírus. Esse aumento na taxa de transmissibilidade é o responsável pela diferença entre o valor predito pelo modelo e o valor real notificado. Assim, no atual cenário, o número de pessoas com infecção por COVID-19 deve crescer até o dia 01 de setembro. Por essa nova estimativa, o pico está antecipado e será em maior proporção do que na apresentada no Informe Epidemiológico 08 que considera os casos notificados na SE 21.

Um fator importante na análise da dinâmica de epidemias é o valor de R0 (valor inicial). Considerando os dados do último mês, o ajuste do modelo SIR indica que o R0 reside entre 2,41 e 2,57. No entanto, considerando apenas os dados da última semana epidemiologia (SE 21) o R0 está entre 2,11 e 2,26 indicando um leve declínio da dispersão da epidemia. Esse leve declínio é o responsável pelo adiamento do pico da epidemia para o início de setembro bem como a redução do número de casos na data do pico, no comparativo com os dados da semana anterior.

Vale destacar que os modelos matemáticos podem, e devem ser vistos como uma aproximação, ou caricatura, da realidade. A confiabilidade de tais modelos depende fortemente da confiabilidade das fontes de informações da realidade que temos acesso. Quanto mais precisas forem as informações disponíveis, maior será o grau de previsibilidade do modelo sobre a realidade.

Mesmo com a flexibilidade das medidas de controle da COVID-19, manter o distanciamento social, o isolamento de casos e a investigação de contatos, são ferramentas efetivas para o controle da pandemia até o presente momento. Tais medidas conjuntas propiciam a redução do número de reprodução da infecção, o aumento do tempo de duplicação do número de casos, o retardamento do pico da epidemia, a redução no número de casos dentro de uma cidade e a consequente redução da demanda hospitalar e do número de óbitos. Reiteramos que não existe vacina para prevenir a infecção por COVID-19 tão pouco medicamento antiviral específico para seu tratamento, portanto a melhor maneira de prevenir a infecção é evitar a exposição ao vírus.

Portanto, torna-se necessário fortalecer também as medidas individuais como estratégia para o controle da COVID-19. O uso de máscara é obrigatório e deve ser respeitado, pois elas servem como barreira mecânica à transmissão do vírus, impedindo ou reduzindo o contato dos indivíduos com aerossóis contaminados. Além disso, é necessário intensificar os cuidados de higiene pessoal, como lavar as mãos frequentemente, e evitar aglomerações, como eventos festivos, reuniões em bares e outros. Somente desta forma poderemos reduzir o número de casos e mortes.

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Geral

Emanuel amplia toque de recolher e impõe rodízio de veículos e de acesso a bancos, lotéricas e supermercados

Publicado

Toque de recolher começará às 20 horas e atendimento em mercados, bancos e lotéricas será por CPF

Em novas medidas restritivas anunciadas em live na tarde desta quinta-feira (2), cujo decreto será publicado nesta sexta-feira (3), o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), além de mudar o horário do toque de recolher, que agora será das 20 horas até às 5 da madrugada, determinou rodízio de veículos na Capital e regras mais duras para bancos, casas lotéricas e supermercados. O novo horário do toque de recolher começa amanhã, dia 3, e segue até 20 de julho.

O toque de recolher, segundo o prefeito, vale para toda a cidade e fica exceto de cumprimento por parte dos hospitais, clínicas veterinárias, odontológicas, atividades médicas de regime de urgência e emergência, funerárias, supermercados, farmácias, bem como profissionais que atuam na área fim da saúde, pastas de fiscalização da prefeitura ou comercialização de medicamentos e alimentos mediante delivery”, disse o gestor. No período do toque de recolher, os serviços de delivery de alimentos só podem funcionar até a meia-noite.

No caso de bancos, casas lotéricas e supermercados, conforme o prefeito, será feito um rodízio para atendimento e a adoção será o último algarismo do CPF de cada cidadão. Além disso, os supermercados, casas lotéricas e distribuidoras de bebida terão que disponibilizar 100% dos seus caixas para atendimento à população. A medida também é para o período de 6 a 20 de junho e a primeira hora de funcionamento tem que ser reservada para idosos e pessoas do grupo de risco

No rodízio de veículos, conforme o decreto 7975, que será publicado no Diário Oficial de amanhã, segundo informou o prefeito, os carros com placas final 1, 3, 5, 7 e 9 poderão trafegar pela cidade somente em dias ímpares. Já as placas com finais 0, 2, 4, 6 e 8 circularão em dias pares. A medida vale somente entre segundas-feiras e sábado, sendo a circulação de veículos liberadas aos domingos e feriados. O rodízio será para o período de 6 a 20 de julho.

Sobre o transporte municipal, o prefeito anunciou o funcionamento do sistema com a totalidade da frota. “O transporte coletivo deve funcionar com medidas severas de segurança, como exemplo, transportar somente passageiros com máscara, higienizar o veículo em todas as paradas no ponto final e só transportar passageiros sentados. Essa observação é importante para a fiscalização”, disse o prefeito.

Confira a lista com as principais medidas do decreto municipal 7.975 de 02 de julho de 2020:

– Art. 1º Fica determinada a proibição de locomoção de qualquer cidadão no território do Município de Cuiabá, no período compreendido entre as 20h:00m às 05h:00m, de 03 à 20 de julho de 2020.

  • 1º Excetuam-se da proibição disposta no caput do presente artigo:

I – estabelecimentos hospitalares;

II – clínicas veterinárias, clínicas odontológicas e clínicas médicas em regime de urgência e emergência;

III – farmácias e supermercados;

IV – funerárias e serviços relacionados;

V – serviço de segurança pública e privada;

VI – profissionais da área fim da Saúde desde que em efetivo serviço;

VII – servidores públicos das áreas de fiscalização das Secretarias Municipais de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano Sustentável, Mobilidade Urbana e Ordem Pública, quando em pleno exercício da função;

VIII – comercialização de medicamentos mediante sistema delivery, mediante a observância de todas as recomendações preconizadas pelos órgãos de Saúde quanto à necessidade de higienização do produto.

IX – comercialização de gêneros alimentícios mediante sistema delivery, limitado até as 00h:00m, mediante a observância de todas as recomendações preconizadas pelos órgãos de Saúde quanto à necessidade de higienização do produto.

– Art. 2º Fica estabelecido, no período de 06 à 20 de julho de 2020, o rodízio de veículos automotores nas vias públicas do Município de Cuiabá, o qual se dará da seguinte forma:

I – Veículos com placas final 1, 3, 5, 7 e 9 trafegarão nos dias ímpares;

II – Veículos com placas final 0, 2, 4, 6 e 8 trafegarão nos dias pares;

  • 1º O sistema de rodízio disposto no presente artigo não se aplica:

I – aos domingos e feriados;

II – aos veículos oficiais devidamente identificados;

III – Ambulâncias;

IV – Veículos utilizados nos serviços funerários;

V – Veículos utilizados para entrega de produtos via sistema delivery, devidamente identificados;

VI – Veículos utilizados no transporte público coletivo municipal;

VII – aos taxis e veículos utilizados por motoristas de transporte remunerado privado individual de passageiros, devidamente credenciados e identificados.

  • 2º O não atendimento do disposto no presente artigo, sujeitará os infratores as penalidades previstas na Lei nº 9.503 de 23 de setembro de 1997 – Código de Trânsito Brasileiro.

– Art. 3º Os servidores públicos municipais deverão exercer as atribuições de suas competências exclusivamente pelo sistema teletrabalho (home office), o qual será definido pelo gestor da respectiva Secretaria Municipal de lotação.

– Art. 4º Ficam suspensos os atendimentos presenciais aos cidadãos nos órgãos públicos municipais, inclusive na Procuradoria Fiscal da Procuradoria-Geral do Município de Cuiabá, Centro Integrado de Atendimento ao Contribuinte (CIAC) e Lojas de Atendimento ao Cidadão (LACs) da Secretaria Municipal de Fazenda e Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano Sustentável. Parágrafo único. Os órgãos públicos municipais deverão disponibilizar meios eletrônicos e/ou telefônicos para possibilitar o acesso pelos cidadãos aos serviços públicos ofertados.

– Art. 6º Fica estabelecido mecanismo de rodízio para atendimento presencial nas atividades econômicas abaixo relacionadas, no período de 06 à 20 de julho de 2020:

I – Bancos;

II – Lotéricas;

III – Supermercados;

IV – Distribuidoras de bebidas;

  • 1º A sistemática prevista no caput do presente artigo se dará mediante observância do último algarismo do CPF de cada cidadão, como limitador de atendimento nos estabelecimentos em atividade no município.

– Art. 7º As atividades de hotelaria e hospedagem funcionarão mediante a observância de medidas de biossegurança.

  • 1º Fica vedada a utilização de refeitórios e restaurantes nos estabelecimentos de que trata o presente artigo, permitida tão somente a disponibilização de alimentação mediante serviço de quarto.
  • 2º Fica suspenso o funcionamento de motéis localizados no Município de Cuiabá.

– Art. 8º Nos moldes da decisão liminar proferida pelo Juízo da 1º Vara Especializada da Fazenda Pública da Comarca de Várzea Grande, nos autos da Ação Civil Pública de nº 1015037.66.2020.8.11.0002, fica vedada a abertura ao público dos shoppings centers e congêneres, permitida tão somente o funcionamento das atividades essenciais mediante sistema “delivery”.

– Art. 9º O transporte coletivo municipal que funcionará com a totalidade da frota de ônibus, deverá observar as seguintes medidas de biossegurança:

I – disponibilização de álcool em gel 70% para utilização pelos usuários e funcionários das empresas prestadoras do serviço;

II – uso obrigatório de máscara de proteção, pelos funcionários das empresas prestadoras do serviço, bem como pelos usuários;

III – higienização de todos os veículos utilizados no transporte coletivo municipal em todas as viagens na respectiva parada final;

IV – transporte tão somente de passageiros sentados;

Parágrafo único. Fica determinado que o embarque pelos passageiros nos ônibus do transporte coletivo municipal somente será permitido quando estes portarem o cartão para pagamento da tarifa com saldo suficiente, sendo que a recarga do mesmo deverá ocorrer de forma prévia ao embarque.

 

 

Continue lendo

Geral

Estado pede que MPE notifique 12 cidades a adotarem lockdown devido alto risco de contaminação pela Covid

Publicado


Para estes municípios, recomenda-se lockdown para desacelerar o crescimento de doença

Como forma de auxiliar a conter o avanço do coronavírus em Mato Grosso, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) encaminhou ao Ministério Público do Estado (MPE) um pedido para que o órgão notifique os prefeitos das cidades que apresentam risco “muito alto” de contaminação pela Covid-19.

A solicitação – encaminhada às Promotorias de Juína e Cáceres –  enfatiza a importância da execução efetiva das medidas restritivas de prevenção do coronavírus nas cidades, contidas no Decreto n° 222, de 12 de junho de 2020.

O pedido de apoio surgiu após o acompanhamento semanal dos indicadores de classificação de risco dos municípios, que são monitorados pela SES e divulgados sempre às segundas e quintas-feiras. Foram considerados os dados do Boletim Informativo n° 108, divulgado no dia 24 de junho de 2020.

De acordo com o documento, a SES detectou um “crescimento significativo” da taxa de contaminação, com “risco muito alto” de disseminação da Covid-19 em 12 municípios: Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Sorriso, Primavera do Leste, Lucas do Rio Verde, Nova Mutum, Tangará da Serra, Campo Verde, Cáceres, Matupá e Querência, Pedra Petra, Nossa Senhora do Livramento e Porto Esperidião.

Para todas essas cidades listadas, recomenda-se “implementação de medidas de distanciamento social mais restritivas (lockdown), nos municípios com ocorrência acelerada de novos casos e com taxa de ocupação dos serviços atingidos níveis críticos”.

Os números negativos, que mostram o crescimento da doença, têm preocupado gestores do Governo do Estado que atuam intensivamente no combate à pandemia da Covid-19. O alto número de infectados tem ocasionado congestionamento nos hospitais da rede estadual. Mesmo com abertura em todo o Estado de dezenas de novos leitos exclusivos para o tratamento da doença, ainda há dificuldades devido ao expressivo crescimento de casos.

Diante da calamidade de saúde provocada pelo coronavírus, a SES busca apoio junto ao MPE, como forma de reforçar – com o auxílio de um órgão de controle – as ações que devem ser adotadas pelos gestores municipais em meio à pandemia.

 

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana