conecte-se conosco


Esportes

Palmeiras bate o Coritiba fora de casa e segue lider.

Publicado

O Palmeiras somou importantes três pontos fora de casa e se manteve na liderança do Campeonato Brasileiro nesta 11ª rodada, ao vencer do Coritiba, no Couto Pereira (PR), por 2 a 0, com gols de Dudu, aos 22 do primeiro tempo, e Rony, aos 17 da etapa final, na noite deste domingo (12). Além dos 17 jogos invictos no geral e da liderança, o Palmeiras também pôs fim a um tabu de 25 anos sem vencer no Couto Pereira.

Clique aqui para ver a ficha técnica, estatísticas e tudo sobre o jogo!

Mesmo tendo sido campeão da Copa do Brasil de 2012 no estádio do Coxa, o Palmeiras conquistou a taça com um empate (1 a 1) e não vencia no local desde 1997: desde então foram 17 jogos – 16 contra o Coritiba e apenas um ante o Paraná Clube, em 2002, pelo Brasileirão. Desta forma, com o resultado, o Palmeiras encerra um tabu de 25 anos.

De quebra, o resultado rendeu ao Alviverde mais três preciosos pontos, e o time de Abel Ferreira foi agora a 22 na tabela, defendo a liderança do certame (o rival Corinthians é o segundo colocado, com 21). O placar de 2 a 0 fez ainda com que o Verdão ampliasse seu saldo como dono do melhor ataque da competição (19 gols) e defesa menos vazada (cinco gols sofridos).

O Palmeiras, aliás, não é vazado há seis jogos completos no Brasileirão. Desde que sofreu o gol de empate na partida contra o Fluminense, em casa, aos 37 do segundo tempo, pela 5ª rodada do Brasileiro, anotado por Cano, o Maior Campeão do Brasil não foi vazado nos seus seis compromissos seguintes pela competição: contra o Bragantino (em casa), Juventude-RS (fora), Santos (fora), Atlético-MG (casa), Botafogo (casa) e agora Coritiba (fora).

A série atual sem sofrer gol já é a melhor no quesito desde 2018, quando o Verdão de Felipão ficou pelas mesmas seis partidas sem sofrer gols na campanha campeã do Brasileiro daquele ano, entre 29 de julho e 26 de agosto, contra o Paraná Clube (em casa), América-MG (fora), Vasco (casa), Vitória-BA (fora), Botafogo (casa) e Internacional (fora). No segundo lugar da lista de times da história do Palmeiras com mais jogos seguidos sem sofrer gol pelo Brasileirão está o time de 1978, com sete duelos intransponíveis, atrás só da campanha campeã de 1973, que acumulou dez.

Seis jogos seguidos sem sofrer gol pelo Brasileirão, quatro por qualquer competição e apenas um gol sofrido nas últimas oito partidas disputadas por qualquer campeonato (na vitória por 4 a 1 sobre o Deportivo Táchira-VEN) em casa, no último dia 24. Números que chamam a atenção. Não à toa, a temporada de 2022 vem se destacando como a menos vazada em toda a história palmeirense na média: são 0,51 gol sofrido por jogo (pois foi vazado 19 vezes nos 37 duelos que disputou, sendo que, destes 37 duelos, em 23 deles não sofreu gol – ou seja, passou em branco no quesito gols sofridos em 62,16%). A temporada que registra a segunda menor média de gols sofridos na história palmeirense é nada mais nada menos do que a Segunda Academia, de 1972, com 0,54 gol por jogo sofrido na média (o lendário time de Oswaldo Brandão foi vazado 44 vezes nos 81 duelos disputados na ocasião).

E como consequência da boa defesa, o Palmeiras registra série atual de 17 jogos seguidos de invencibilidade, na qual incluem-se 13 vitórias e quatro empates, sendo dez destes jogos pelo Brasileirão. Aliás, tanto a série de 17 partidas no geral (por qualquer competição) quanto os dez jogos sem perder pelo Nacional são as atuais maiores séries invictas dentre todas as equipes brasileiras. O último revés sofrido pelo Alviverde foi para o Ceará, por 3 a 2 no Allianz Parque, em 9 de abril, pela primeira rodada do Brasileirão.

Os bons números do Verdão como visitante também foram reforçados nesta noite. Já com o jogo de hoje, o time registra a marca de uma única derrota nas últimas 19 partidas neste cenário – ou seja, perdeu só uma vez fora de seus domínios desde as duas últimas rodadas do Brasileirão do ano passado, quando, na ocasião, o time atuou com jogadores predominantemente oriundos da base nos compromissos contra o Cuiabá-MT (37ª rodada, vitória 3×1) e Athletico-PR (38ª rodada, 1×1) – o fato ocorreu após férias antecipadas dos titulares devido à recente conquista da Libertadores e, inclusive, também contou com comando técnico interino (naqueles duelos fora de casa, a equipe foi comandada por Paulo Victor Gomes, treinador do Sub-20).

Desde que se iniciara a temporada 2022 já com Abel novamente no comando, o único revés como visitante foi sofrido em março, por 3 a 1, para o São Paulo, no jogo de ida da final do Campeonato Paulista. Apenas pelo Campeonato Brasileiro 2022 o Verdão não perdeu longe de casa: foram cinco jogos, três vitórias (Juventude, Santos e Coritiba) e dois empates (Goiás e Flamengo). O último revés como visitante do Verdão no Brasileirão aconteceu em 20/11/2021, pela 34ª rodada do Nacional daquele ano, quando foi superado por 3 a 1 no Castelão. Desde então, são sete jogos sem perder como visitante no Brasileiro – dois em 2021 e outros cinco pela edição de 2022.

E se nos aspectos coletivos o Verdão vem esbanjando boas estatísticas em 2022, no núcleo individual não é diferente. O meia Zé Rafael e o atacante Dudu atingiram marcas expressivas em decorrência deste duelo: o camisa 8 chegou a 184 partidas completadas desde que chegou ao Palmeiras em 2019 e, com isso, entrou para o Top 100 dos que mais jogaram em toda a história palmeirense. Já o baixinho Dudu, dono de diversas estatísticas no Verdão, com o gol marcado, passou a somar 81 gols desde que chegou ao clube, saltando da 27ª para a 25ª posição dos maiores artilheiros palmeirenses em todos os tempos, igualando os 81 gols que Canhotinho e Julinho Botelho fizeram pelo Palmeiras. Eterno ponta-direita do Verdão entre 1958 e 1965 e destaque em super-esquadrões lendários do clube, Julinho agora divide a 25ª posição com Dudu e Canhotinho – ídolo do Verdão no final dos anos 40 e começo dos anos 50 (ele foi um dos campeões mundiais de 1951).

Os destaques não acabam por aí. Ao fazer o segundo gol palmeirense que decretou a vitória por 2 a 0, Rony chegou a 36 gols pelo Palmeiras e, dentre os principais goleadores só no Século XXI, superou os 35 de Edmundo e, agora, divide a 10ª posição do Top 10 de artilheiros palmeirenses neste século com Borja. Do grupo atual, fazem parte deste ranking o atacante Dudu (líder da lista, com 81 gols), o meia Raphael Veiga (3º, com 61), e o meia Gustavo Scarpa (8º, com 37 tentos pelo clube).

Além disso, este foi o sexto gol do camisa 10 só neste Brasileirão, o que faz dele o artilheiro isolado do Palmeiras no Nacional. Na temporada 2022, de forma geral, ele é o vice-goleador, agora com 13 bolas na rede, atrás só de Raphael Veiga, com 16.

Aliás, em decorrência da vitória, outros jogadores também se deram bem em termos estatísticos. A começar por Weverton, que se tornará o oitavo goleiro com mais vitórias pelo clube na história: agora são 134 resultados positivos 234 vezes que esteve em campo. Com este número de vitórias, o camisa 21 empatou com o goleiro Primo, com quem agora divide esta oitava posição – Primo foi um dos primeiros ídolos do Palestra Italia, tendo defendido a equipe entre 1918 e 1927, titular da campanha campeã do primeiro título da história palmeirense (o Paulista de 1920) e também do bicampeonato estadual de 1926 e 1927.

Marcos Rocha foi outro jogador que se beneficiou estatisticamente em decorrência do resultado. Ao participar do triunfo, o lateral chegou à marca de 122 vitórias pelo Palmeiras em 210 partidas realizadas. Isso coloca o camisa 2 como 7º jogador do Top 10 de palmeirenses com mais vitórias pelo Palmeiras neste século, ao lado do chileno Valdivia.

O JOGO

Desde o início, o Palmeiras não tomou conhecimento de estar jogando fora de casa e impôs o ritmo da partida, e ainda com menos de dez minutos, assustou o Coxa, que jogou fechado, com três zagueiros. O time alviverde paulista obrigou o goleiro Rafael Willian a trabalhar com chutes de Scarpa e Dudu.

Depois do bombardeio de ataques palmeirenses logo de início, os donos da casa até conseguiram demonstrar certa movimentação, mas a resposta não veio à altura. O Alviverde seguiu superior e, aos 22 minutos, abriu a contagem com um golaço de Dudu, após receber a bola na entrada da área e colocá-la no canto direito. (Coritiba 0x1 Palmeiras)

Até o fim do primeiro tempo, o Verdão ofereceu os maiores perigos, com Dudu, Scarpa e Rony. Para a segunda etapa, o Palmeiras voltou do vestiário com time igual – ressaltando que Marcos Rocha havia sido substituído aos 28 do primeiro tempo por Gustavo Garcia após sentir desconforto.

Após algumas movimentações mais intensas do Coritba, que voltou modificado e até uma paralisação devido a uma confusão envolvendo a torcida do Coxa e gás de pimenta da polícia, o Palmeiras respondeu aos 17 minutos com um gol em bela jogada de contra-ataque: Zé Rafael lançou para Gabriel Veron. Veron, por sua vez, tocou de primeira para Rony, de pé direito, concluir livre de marcação. (Coritiba 0x2 Palmeiras)

Após abrir vantagem por 2 a 0 com menos de 20 minutos do segundo tempo, o Palmeiras sem muitos problemas administrou o resultado até o fim, principalmente depois da expulsão do meia Thonny Anderson, aos 25 minutos, após uma entrada violenta em Rony confirmada até pelo VAR.

Desta forma, com um a mais em campo, o Palmeiras sobrou e não só segurou o placar como também balançou as redes mais duas vezes nos minutos finais, com Dudu e com Jorge, mas as jogadas estavam em posição de impedimento.

Para compensar a paralisação no início do segundo tempo, dez minutos de acréscimos foram concedidos, mas o placar final da partida se consolidou mesmo em 2 a 0 pró Verdão, líder por outra rodada.

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha (Gustavo Garcia, aos 28’/1ºT), Murilo, Luan e Piquerez (Jorge, aos 37’/2ºT); Danilo (Fabinho, aos 34’/2ºT), Zé Rafael e Gustavo Scarpa; Gabriel Veron (Wesley, aos 34’/2ºT), Dudu e Rony (Navarro, aos 34’/2ºT). Técnico: Abel Ferreira.

Gols: Dudu (22’/1ºT) (0-1) e Rony (17’/2ºT) (0-2).

fonte: https://www.palmeiras.com.br/noticias/invicto-ha-17-jogos-palmeiras-bate-coritiba-fora-de-casa-e-segue-na-lideranca-do-brasileirao/

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esportes

Nos pênaltis, Corinthians elimina o Boca e avança na CONMEBOL Libertadores

Publicado

O Corinthians foi a Buenos Aires, nesta terça-feira (5), para enfrentar o Boca Juniors no Estádio La Bombonera pela partida decisiva das oitavas de final da CONMEBOL Libertadores.
Após o empate em 0 a 0 no tempo normal, a partida foi decidida nos pênaltis. E brilhou a estrela do GIGANTE Cássio: o goleiro do Timão pegou dois pênaltis e o Alvinegro avançou para as quartas de final da competição.
Os gols do Corinthians nos pênaltis foram convertidos por: Fábio Santos, Cantillo, Róger Guedes, Roni, Lucas Piton e Gil, finalizando a série com um placar de 6 a 5.
O Timão agora espera o próximo adversário da CONMEBOL Libertadores, que sairá do confronto entre Flamengo e Tolima. A partida ocorre nesta quarta-feira (7).
Escalação
O técnico Vítor Pereira escalou o Corinthians com a seguinte formação: Cássio; Rafael Ramos, João Victor, Raul e Fábio Santos; Du Queiroz, Cantillo e Giuliano; Gustavo Mantuan, Lucas Piton e Róger Guedes. Entraram no decorrer da partida: Gil, Giovane, Roni, Bruno Méndez e Bruno Melo. Ainda ficaram à disposição no banco de reservas: Matheus Donelli, Robson, Willian, Biro, Robert, Xavier, Felipe.
Primeiro tempo
Logo aos três minutos de partida, o Boca Juniors foi ao ataque. O atacante argentino fez o drible em João Victor e avançou para a área, mas Cássio estava atento e fez a defesa. A bola escapou do camisa 12 e bateu no argentino, dando tiro de meta para o Timão. Aos seis, mais uma vez a equipe argentina chegou com perigo. Em um chute pela esquerda, Cássio mais uma vez fez uma excelente defesa.
Em um contra-ataque muito rápido do adversário, aos 18 minutos, a bola sobrou sozinha para o atacante argentino, que na cara do gol furou e mandou pra fora. Aos 26 minutos, Raul Gustavo foi afastar a bola e acertou com o cotovelo o jogador argentino. Após a checagem do VAR, o árbitro marcou pênalti. Na cobrança, o atacante adversário chutou na trave! O placar seguiu zerado em Buenos Aires.
O restante do primeiro tempo foi de pressão do Boca sobre o Timão. Ao final dos 45, o árbitro deu quatro minutos de acréscimo.
Neste período, o zagueiro João Victor se machucou e teve de ser substituído. No lugar dele entrou Gil. Com a parada para o atendimento, o árbitro acrescentou mais dois minutos antes de encerrar o primeiro tempo.
Segundo tempo
A segunda etapa iniciou sem mais alterações no Alvinegro.
Logo no primeiro minuto de jogo, Mantuan tentou ligar o contra-ataque, foi derrubado e o adversário tomou cartão amarelo. O camisa 31 acabou se contundindo e foi substituído por Giovane. Aos 13 minutos, o Boca chegou mais uma vez: o camisa 9 do time argentino tentou cavar por cima de Cássio, mas a bola foi por cima do gol.
O técnico Vítor Pereira fez mudança tripla no Timão aos 22 minutos: saíram Du Queiroz, Giuliano e Rafael Ramos e entraram Roni, Bruno Méndez e Bruno Melo.
O Corinthians tentou buscar espaços, mas o Boca Juniors estava bem postado defensivamente e não deixou o Timão avançar. Nas chegadas da equipe argentina, a zaga alvinegra afastou o perigo da área.
Ao final no tempo regulamentar, o árbitro deu cinco minutos de acréscimo. No último minuto de jogo, o Boca arriscou de fora da área e a bola foi para fora. O árbitro finalizou e a partida foi para as cobranças de penalidades máximas.
Decisão nos pênaltis
A série foi iniciada com o Boca cobrando. Rojo foi pra bola e converteu, 1 a 0. Fábio Santos abriu a série pelo Timão: o camisa 26 foi para a bola e também converteu, 1 a 1.
A segunda cobrança da equipe argentina foi feita por Isquerdoz, que colocou o time novamente em vantagem, 2 a 1. Cantillo então bateu o pênalti pelo Timão e empatou a série, 2 a 2.
Na terceira rodada de cobrança, Villa foi para a bola pelo Boca e CÁSSIO FEZ A DEFESA!! Foi a fez de Raul cobrar para o Timão. O zagueiro foi para a bola e o goleiro argentino também fez a defesa, seguiu 2 a 2.
A quarta cobrança do Boca foi de Fernandez. O jogador colocou o adversário em vantagem novamente, 3 a 2. Bruno Melo foi para a bola pelo Timão e errou a cobrança.
Benedetto cobrou o pênalti pelo Boca e também errou!!! A última cobrança da série normal foi feita por Róger Guedes. O camisa 9 empatou a série, 3 a 3.
A decisão foi para as alternadas. O primeiro a cobrar foi Romero, que converteu, 4 a 3. Roni foi para a cobrança pelo Timão e fez o gol! 4 a 4.
Varella foi o próximo a bater pelos argentinos e converteu, 5 a 4. Lucas Piton foi para a bola pelo Timão e empatou, 5 a 5.

Defesa de Cássio. Foto: Rodrigo Coca/ Agência Corinthians
A terceira cobrança das alternadas foi iniciada por Ramirez. O camisa 20 do Boca cobrou e CÁSSIO DEFENDEU! A cobrança do Timão foi feita por Gil. O camisa 4 cobrou a classificação do Timão foi garantida.
Placar final: 6 a 5 para o Corinthians.

Cobrança de Gil que garantiu a classificação alvinegra. Foto: Rodrigo Coca/ Agência Corinthians
Próximo jogo
O próximo jogo do Corinthians ocorre no próximo domingo (10), às 16h, na Neo Química Arena, contra a equipe do Flamengo, pela 16ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro.

Categoria(s): Futebol

fonte: https://www.corinthians.com.br/noticias/nos-penaltis-corinthians-elimina-o-boca-e-avanca-na-conmebol-libertadores

COMENTE ABAIXO:

Fonte: Agência Esporte

Continue lendo

Esportes

Sofrido, suado e histórico! É o Furacão de novo nas quartas!

Publicado

Com o coração explodindo no peito do torcedor! Assim foi a classificação rubro-negra para as quartas de final da CONMEBOL Libertadores. No Paraguai, o Furacão saiu atrás e foi buscar no último minuto o gol de empate. Da vitória no confronto com o Libertad!

E o gol veio com a estrela de um piá do Caju! Rômulo entrou em campo aos 30′ do segundo tempo, no lugar de Vitor Roque. E aos 45′, finalizou duas vezes na mesma jogada para colocar na rede a bola que deixou o Athletico entre os oito melhores do continente.

O campeão paraguaio ficou pelo caminho!

É o Rubro-Negro repetindo o feito de 2005 e voltando às quartas de final após 17 anos! Agora, é esperar pelo adversário, que sairá do confronto entre Estudiantes, da Argentina, e Fortaleza, que estão empatados e fazem o jogo de volta nesta quinta-feira (7).

A busca pela glória eterna continua!

O Jogo

Uma finalização de Caballero, dando trabalho a Bento ainda no primeiro minuto de jogo, foi uma mostra do que seria a partida no Defensores del Chaco. O bom e experiente time do Libertad não daria um instante para o Athletico respirar.

O Rubro-Negro teve bons contra-ataques no início. Em passe de Vitor Roque, Erick bateu cruzado e Martín Silva defendeu. Cuello finalizou da entrada da área e mandou por cima do gol. E Vitor Roque foi puxado dentro da área, em um lance não marcado pela arbitragem.

A equipe paraguaia, porém, era quem tinha a bola quase o tempo todo a seus pés. E tocando pelo centro do campo, criava grandes dificuldades à marcação athleticana. Aos 31′, Bento evitou o gol adversário, com uma grande defesa em chute de Roque Santa Cruz.

A maioria dos ataques do Libertad não terminavam em chances reais. Mas bola rondando sempre a área era um perigo constante para o Furacão. E no último lance da primeira etapa, aos 48′, saiu o gol do time da casa, em uma bela jogada de Roque Santa Cruz.

No segundo tempo, o Athletico conseguiu reduzir os espaços para a criação do Libertad. Mas também não conseguiu chegar muitas vezes de forma contundente ao ataque.

O Libertad parou novamente em Bento, que salvou em uma cabeçada de Roque Santa Cruz. E o Furacão teve sua melhor chance em uma arrancada de Vitor Roque, que terminou com uma bomba da entrada da área e uma grande defesa de Martín Silva.

Isso até os 45′. Foi então que o Rubro-Negro teve uma falta pela direita em seu campo de ataque. E dois piás do Caju que saíram do banco definiram a classificação. Khellven cruzou. Rômulo cabeceou. Martín Silva defendeu. Mas no rebote, Rômulo estava lá para mandar para a rede e fazer um pouco de história!

Ficha técnica: Libertad 1×1 Athletico Paranaense
CONMEBOL Libertadores 2022: Oitavas de final – Jogo de volta
Data: 05/07/2022
Horário: 21h30
Local: Estádio Defensores del Chaco, em Assunção (Paraguai)

Árbitro: Andrés Cunha (Uruguai)
Assistentes: Richard Trinidad (Uruguai) e Andrés Nievas (Uruguai)
Quatro árbitro: Guillermo Guerrero (Equador)
Árbitro de vídeo: Carlos Orbe (Equador)

Libertad: Martín Silva; Piris, Viera, Barboza e Samudio; Cabellero, Díaz (Campuzano, aos 32′ do 2º tempo), Gómez (Mendieta, no intervalo) e Merlini (Bareiro, aos 32′ do 2º tempo); Melgarejo e Santa Cruz (Cardozo, aos 41′ do 2º tempo)
Técnico: Daniel Garnero
Gol: Santa Cruz, aos 48′ do primeiro tempo
Cartões amarelos: Piris e Barboza

Athletico Paranaense: Bento; Orejuela (Khellven, aos 16′ do 2º tempo), Pedro Henrique, Nico Hernández e Abner; Erick, Hugo Moura (Matheus Fernandes, no intervalo) e David Terans (Vitor Bueno, aos 16′ do 2º tempo); Canobbio (Marcelo Cirino, aos 30′ do 2º tempo), Vitor Roque (Rômulo, aos 30′ do 2º tempo) e Tomás Cuello
Técnico: Luiz Felipe Scolari
Gol: Rômulo, aos 44′ do segundo tempo
Cartões amarelos: Abner, Vitor Roque, Pedro Henrique e Matheus Fernandes

Foto: José Tramontin/athletico.com.br

Fonte: Agência Esporte

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana