conecte-se conosco


Política Nacional

Paim aponta aumento da pobreza e cobra ações do governo em favor da saúde pública e da economia

Publicado


.

O senador Paulo Paim (PT-RS) cobrou do governo federal, em pronunciamento nesta terça-feira (19),  a implementação de políticas públicas capazes de ativar a economia e garantir emprego e renda. Ele pediu um consenso nacional para combater os efeitos da pandemia. E chamou atenção para o aumento da população mais pobre no país. O senador acusou o governo Bolsonaro de, ao desprezar medidas restritivas de proteção à saúde, prejudicar não só a saúde pública em meio à pandemia, mas a própria economia. Também apontou  a falta de iniciativa do governo para responder “com sinceridade” à crise econômica provocada pela pandemia da covid-19.

Paim defendeu o diálogo e a solidariedade como forma de o país superar a crise, e advertiu que, segundo especialistas, o Brasil chegará a 20 milhões de desempregados devido à pandemia.

— O Brasil não vai sair de toda essa crise se negar à conjunção de ideias sociais, humanistas e populares, resguardadas por uma concertação nacional que chame a todos, a todos mesmo, para o diálogo e para a solidariedade. A democracia dos nossos sonhos não combina com pobreza e com miséria. Os trabalhadores e o meio produtivo sério esperam de todos nós essa compreensão — enfatizou.

Extrema pobreza

Paim afirmou que a parcela mais desamparada da sociedade não pode ser ignorada. Ele citou dados divulgados pela Organização das Nações Unidas (ONU) segundo os quais, devido à pandemia da covid-19, o número de pessoas em situação grave de fome no mundo pode dobrar para 265 milhões.

Ainda conforme esses dados, o mundo poderá ganhar mais de meio bilhão de pessoas na pobreza, sendo mais de 54 milhões deles na América Latina.

O senador também destacou que dados do Banco Mundial apontam que o Brasil poderá ter mais de 5 milhões de pessoas na extrema pobreza ainda em 2020, vivendo com menos de U$ 2. Além disso, frisou Paim, há no Brasil 50 milhões de pobres e mais de 45 milhões de trabalhadores na informalidade, sem nenhum direito trabalhista e proteção social.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política Nacional

Marcos Rogério afirma que poderá apresentar voto em separado do relatório da CPI

Publicado


O senador Marcos Rogério (DEM-RO) afirmou nesta terça-feira (28) que um parecer elaborado pelo jurista Ives Gandra Martins a pedido do líder do governo, senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), não caracteriza defesa prévia do governo ou do presidente da República, Jair Bolsonaro. Marcos Rogério disse que poderá apresentar uma relatório alternativo na CPI da Pandemia, que tem como relator o senador Renan Calheiros (MDB-AL). 

Continue lendo

Política Nacional

Médicos da Prevent eram pressionados a prescrever kit covid, diz advogada à CPI

Publicado


A advogada Bruna Morato, representante de 12 médicos que trabalham ou trabalhavam na Prevent Senior, afirmou à CPI da Pandemia nesta terça-feira (28) que os profissionais não tinham autonomia para definir o tratamento da covid-19 e que a prescrição do kit covid era praticamente obrigatória.

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana