conecte-se conosco


Policial

Pai de adolescente é indiciado a apresentar documentação de armas após morte no Alpahville

Publicado

Isabele Guimarães Ramos, que morreu no último domingo

O empresário Marcelo Martins Cestari foi indiciado a prestar novo depoimento à Polícia Civil sobre as armas encontradas em sua residência no condomínio de luxo Alphaville, no bairro Jardim Itália, em Cuiabá, onde a adolescente Isabele Guimarães Rosa, de 14 anos, morreu após ser atingida por um disparo de pistola calibre 380 efetuado acidentalmente pela filha dele, na noite de domingo (12). A decisão é do João Bosco Soares da Silval, da 10ª Vara Criminal de Cuiabá.

Na residência foram encontradas sete armas de fogo, sendo uma em nome de Cestari, quatro em processo de documentação junto ao Exército Brasileiro e mais duas em nome de uma terceira pessoa.

A decisão judicial determina que no depoimento, o empresário deverá apresentar descrição pormenorizada de todas as armas que foram apreendidas na residência, bem como, todos os documentos que comprovem a importação e registro das armas.

Disparo

Em depoimento terça-feira (14) ao delegado da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Olímpio da Cunha Fernandes Júnior, responsável pela investigação do caso, a menor apontada como autora do disparo acidental, explicou que a pistola foi lavada à sua casa na tarde de domingo pelo seu namorado, um menor de 16 anos, para ser mostrada aos seus familiares, todos praticantes de tiro esportivo. Ele pediu ainda para deixar o ‘case’ com as armas em sua casa, por medo de ser pego em uma blitz.

Marcelo Cestari concordou e pediu que alguém guardasse a arma no closet, sendo que a filha se prontificou a fazê-lo. No momento em que a menor ia guardar a arma, em uma caixa, o artefato caiu e houve um disparo acidental que atingiu a vítima que retornava do banheiro.

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Policial

Pai de acusada de matar Isabele alega dificuldades financeiras e vai pagar fiança de R$ 52,2 mil em duas parcelas

Publicado

Marcelo Cestari pagará as duas parcelas ainda este mês

O empresário Marcelo Cestari, pai da menor de 14 anos acusada de causar o disparo supostamente acidental que matou Isabele Guimarães Ramos, da mesma idade, no último dia 12 de julho em uma residência no condomínio de luxo Alphaville, em Cuiabá, foi autorizado pelo João Bosco Soares da Silva, da 10ª Vara Criminal de Cuiabá, a pagar a fiança de R$ 52.240 em 2 parcelas.

A decisão atende pedido da defesa que alegou que Cestari enfrenta dificuldades financeiras em sua empresa devido ao período de pandemia. Para comprovar a veracidade da alegação, foi apresentado a comprovação de dois  empréstimos recentes, que somam cerca de R$ 500 mil. “A empresa do investigado, no ano de 2020, faturou menos de um terço do que havia faturado até julho do ano passado, sendo que no corrente ano acumula prejuízo de R$ 636.965,50”

O primeiro pagamento será realizado no próximo dia 10 e o segundo, na data de 17 de agosto. Marcelo Cestari chegou a ser preso por porte ilegal de armas na noite em que a menor foi morta, porém, foi liberado, após pagamento de R$ 1 mil arbitrado pelo delegado plantonista. Logo depois, o juiz João Bosco Soares majorou o valor para R$ 209 mil, e por último, a valor ficou definido em R$ 52,2 mil.

O patrimônio de Marcelo Cestari é avaliado em R$ 15 milhões. Entre os bens do empresário estão um veiculo esportivo Lamborghini, adquirida pelo valor de R$ 425 mil, a residência no condomínio Alpahaville onde ocorreu a tragédia avaliada em R$ 2 milhões, bem como uma aeronave de R$ 2,5 milhões, além de sociedade em uma empresa com cota acima de R$ 10 milhões.

Continue lendo

Policial

Traficante é preso pela Polícia Militar com maconha e mais de R$ 3 mil enquanto fazia entrega em Várzea Grande

Publicado

Prisão foi efetuada na região do bairro Jardim Marajoara

Policiais militares da Companhia São Mateus prenderam um homem na noite desta terça-feira (4), por tráfico de droga, no bairro Marajoara, em Várzea Grande. A denúncia descrevia um casal que estaria realizando entrega de entorpecente pela região em um VW Gol branco. Em diligência, o veículo denunciado foi parado. Com o homem foram encontradas seis porções de maconha.

A mulher foi revistada na sede da companhia por uma policial feminina, porém, nada de ilícito encontrado. Ela foi liberada. A equipe foi para casa do suspeito, no bairro Jacarandá, onde encontraram porções maiores de maconha, uma balança e R$ 3 mil em dinheiro.

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana