conecte-se conosco


Policial

Paciente com coronavírus foge do Hospital Metropolitano é é recapturado pela PM

Publicado

Um paciente infectado com coronavírus (Covid-19) fugiu nessa quinta-feira (11) do Hospital Metropolitano em Várzea Grande, e foi recapturado por policiais militares.

De acordo com a Polícia Militar, o paciente, de 43 anos, alegou que não estava satisfeito com o atendimento, tratamento e com os protocolos do hospital. Por causa disso, resolveu fugir e queria ir para casa. Ele estava internado no Hospital Metropolitano, no bairro Cristo Rei, uma das unidades equipadas para tratamento da doença.

Os funcionários chamaram a polícia depois que perceberam a fuga. O paciente foi encontrado perto de um banco próximo. Ele estava segurando uma sonda urinária que estava inda no corpo dele. O paciente foi recapturado, colocado em uma ambulância e levado novamente ao Hospital Metropolitano de Várzea Grande.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Policial

Dois adultos são presos com quatro diferentes tipos de drogas em Lucas do Rio Verde, além de R$ 4 mil

Publicado


Raquel Teixeira/Polícia Civil-MT 

Dois adultos foram presos e um menor apreendido em flagrante nesta terça-feira (18.01) durante cumprimento de mandados de buscas em uma investigação sobre tráfico de drogas, em Lucas do Rio Verde.

Quatro tipos de entorpecentes – maconha, haxixe, pasta base de cocaína e cocaína -, além de apetrehcos usados para embalar drogas foram apreendidos na residência alvo das buscas, no bairro Parque das Américas. A ação foi coordenada pela Delegacia de Lucas do Rio Verde e contou com apoio da Polícia Militar. Mais de R$ 4 mil foram apreendidos com o principal suspeito. 

Os policiais civis realizaram monitoramento de um dos alvos das buscas, que já vinha sendo investigado pela Polícia Civil por suspeita de se associar a outros criminosos no tráfico de drogas. No momento em que o suspeito, de 25 anos, saía de uma área de mata próxima à sua residência, junto com mais dois rapazes, para fazer a entrega de entorpecentes, as equipes policiais realizaram a abordagem.

Com o mandado judicial, foram feitas buscas no veículo usado pelos suspeitos, na casa e na mata na frente do imóvel. Com o suspeito de 25 anos foi encontrada a quantia de R$ 4.229,00 em dinheiro, uma porção de maconha e um pino de cocaína. Com os outros dois, um de 20 anos e o adolescente de 16 anos, foram apreendidas porções de maconha.

No interior da casa foram encontrados, escondidas em móveis, outras porções de maconha, de cocaína, de haxixe e também balanças de precisão. O suspeito, dono da casa, se alterou durante as buscas e foi imobilizado pelos policiais.

Os três foram encaminhados à Delegacia de Lucas do Rio Verde. Os adultos serão autuados em flagrante por tráfico e associação para o tráfico de drogas e o adolescente responderá por ato infracional análogo aos dois crimes.

Fonte: PJC MT

Continue lendo

Policial

Organização criminosa comprava imóveis e negociava veículos para lavar dinheiro

Publicado

Há quase um ano começaram as investigações que culminaram na Operação Mandatário, deflagrada pela Força-Tarefa de Segurança Pública (FTSP-MT) para o cumprimento de 51 mandados judiciais que resultaram no sequestro de diversos bens móveis e imóveis, apreensão de dinheiro em espécie e joias e bloqueio de contas bancárias no valor de até R$ 5 milhões. As ordens judiciais foram cumpridas entre a segunda e esta terça-feira (18).

Entre os imóveis sequestrados estão um apartamento em edifício de alto padrão e um prédio com 20 quitinetes. De acordo com a investigação conjunta realizada pela Polícia Civil e Polícia Federal em Mato Grosso, os imóveis e veículos sequestrados eram utilizados para lavar o dinheiro proveniente de atividades ilícitas praticadas por uma facção criminosa.

Os mandados expedidos pela 7ª Vara Criminal da Comarca de Cuiabá foram cumpridos em cidades dos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul e miram integrantes do núcleo contábil e financeiro da maior facção criminosa presente em Mato Grosso. Seis investigados foram presos preventivamente e um em flagrante.

Modo de agir

O nome da operação faz menção à pessoa de confiança de um dos líderes e tesoureiro da facção, que também teve mandado cumprido durante a operação. O suspeito atuava como braço direito e era responsável pela execução das ordens do tesoureiro nas ruas, recolhimento de dinheiro, ou seja, atuava como mandatário do criminoso.

O principal alvo da operação foi preso com mais de meio milhão de reais em espécie e se passava por advogado, mesmo sem ter concluído o curso de direito. Ele era responsável por recolher semanalmente o dinheiro em bocas de fumo e de outras atividades ilícitas. Depois era feita a contabilidade dos valores e o lucro distribuído entre os líderes da organização criminosa.

De acordo com o delegado da Polícia Civil de Mato Grosso, Frederico Murta, um dos responsáveis pela investigação, a força-tarefa chegou também a outros alvos, entre eles um contador e empresários, que atuavam na lavagem, camuflagem e aplicação do dinheiro da organização criminosa.

O contador era responsável pela abertura de empresas utilizadas para lavar o dinheiro da facção e fornecia contas bancárias para que que os criminosos pudessem fazer movimentações rápidas, a fim de não deixar vestígios que pudessem atrair a fiscalização. As empresas eram criadas para movimentar vultosas quantias de dinheiro e logo depois, encerradas, com o intuito de burlar a investigação. Quando os órgãos de fiscalização detectavam as movimentações atípicas, as empresas já estavam encerradas.

Outra modalidade exercida pela organização criminosa para a lavagem do dinheiro era a locação e compra e venda de veículos, que eram adquiridos em nome de terceiros, inclusive advogados. Com a operação, foram sequestrados 15 veículos de diversos modelos.

Conforme a Força-Tarefa neste período de quase um ano de investigação, foi apurado que a organização também lavava o dinheiro com a aquisição de patrimônio, entre eles imóveis, como casas e apartamento. Entre os imóveis sequestrados estão um apartamento em um edifício de alto padrão e um prédio com 20 quitinetes.

Sequestro de bens e apreensões

Além dos veículos, foram sequestrados sete imóveis e efetuadas 10 ordens de bloqueio de contas bancárias e de investimentos totalizando um valor estimado em cerca de R$ 10 milhões de reais.

Foram cumpridos ainda 12 mandados de busca e apreensão em residências, empresas e em um escritório de contabilidade. Durante as buscas, além de documentos, foram apreendidos uma arma de fogo, joias de alto valor e mais de meio milhão de reais em espécie.

Força-Tarefa

É composta em Mato Grosso pela Polícia Federal, Polícia Civil, Polícia Militar, Polícia Rodoviária Federal e Sistema Penitenciário e tem por objetivo realizar a atuação conjunta e integrada no combate ao crime organizado no estado.

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana