conecte-se conosco


Turismo

Os ETs estão entre nós! 10 lugares no Brasil para fazer turismo ufológico

Publicado

Alienígenas, óvnis e abduções são assuntos que fascinam e amedrontam as pessoas ao redor do mundo. Diversos lugares são conhecidos por supostas aparições de seres de outros planetas e um dos mais famosos é a Área 51, uma instalação da força aérea americana que “esconde” provas de que os extraterrestres existem.

nave espacial arrow-options
Divulgação/Observatório de Greenwich

O turismo ufológico é muito difundido no Brasil e tem diversos locais para os apreciadores de ETs

Leia também: Quais destinos estão em alta no Brasil e o que fazer em cada um deles

Na semana passada, um grupo de pessoas criou um evento no Facebook, com data de 20 de setembro de 2019 , para invadirem a Área 51 e ter contato com os óvnis. A notícia se espalhou tão rapidamente que até o Exército dos Estados Unidos precisou se pronunciar sobre o  turismo ufológico.

A ideia é bem maluca e é provável que não dê certo, mas para você que é fã dos extraterrestres ainda há um jeito de conhecê-los. No Brasil, há diversos locais para o turismo ufológico, aquele em que você visita os locais de aparições de óvnis. E para saciar a sua curiosidade separamos 10 lugares em diversos estados para que você tenha um contato sobrenatural .

1. Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, Goiás

chapada dos veadeiros arrow-options
Divulgação/Vivalá

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em Goiás, é conhecido por muitos avistamentos de óvnis

Parece que os Objetos voadores não identificados (óvnis) costumam aparecer em locais bem bonitos pelo Brasil. O primeiro ponto da lista é o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Naquela região existe um misticismo bem grande e é possível encontrar com facilidade templos, comunidades e santuários.

Os moradores da região afirmam ver constantemente UFOs e ETs na região. As experiências são compartilhadas em grupos que se reúnem para visitar o local em busca do inimaginável. Uma das aparições mais famosas da Chapada dos Veadeiros foi em 1995 quando um objeto sobrevoou o local, aumentando sua luminosidade, e depois de 15 minutos desapareceu.

Também é comum pessoas ‘desaparecerem’ por lá durante horas ou dias e retornarem dizendo que foram abduzidas por seres estranhos.

2. Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, Mato Grosso

chapada dos guimarães arrow-options
Divulgação/CVC

Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso, é um dos pontos do turismo ufológico no Brasil

A 65 km de Cuiabá, capital do Mato Grosso, o Parque Nacional da Chapada dos Guimarães é outro polo que atrai muitos alienígenas. Especialistas apontam questões naturais, como grande concentração de energia e magnetismo, para que esses fenômenos ocorram.

Leia Também:  Dormir ou voar? Hotel japonês constrói quarto com simulador de voo

Existe uma lenda de que no Mato Grosso há passagens subterrâneas que ligam o Brasil à cidade de Machu Pichu, no Peru, e que elas servem de caminho para que os ETs apareçam na região. Uma das cavernas fica na Chapada dos Guimarães e outra na Serra do Roncador, local próximo e também muito visitado que tem até um “discoporto” para os óvnis .

3. Barra do Garças, Mato Grosso

cachoeira barra dos garças arrow-options
Reprodução/ Prefeitura Barra dos Garças

A cidade de Barra dos Garças fica em Mato Grosso e atrai muitos visitantes pelos fenômenos ufológicos

Seguindo a misticidade de Mato Grosso, Barra do Garças é um município conhecido também por seus fenômenos UFO . Os índios das etnias Xavante e Bororo, moradores da região, já relataram experiências com seres de outro planeta.

Desde 1995 a cidade tem um “discoporto” para receber os extraterrestres e alguns painéis e esculturas para divertir os visitantes. No ano de 2015, a cidade iniciou as comemorações do Dia do Extraterrestre no segundo domingo de julho.

4. Varginha, Minas Gerais

nave do e.t. arrow-options
Reprodução/ Instagram @imagensdedronevarginha

Nave do E.T. na praça de Varginha, em Minas Gerais

De toda a lista do turismo ufológico brasileiro, a cidade de Varginha, em Minas Gerais, é a mais conhecida. Depois que uma série de aparições de discos voadores em 1996 foi relatada pelos moradores o local passou a ser apontado como o segundo maior caso ufológico do planeta, atrás apenas do Caso Roswell, de 1947, no Novo México.

A aparição foi bastante aproveitada pelos políticos e a cidade hoje exibe uma grande caixa d’água no formato de disco voador no centro, além de ter uma “praça do E.T.” com esculturas e construir um Memorial do ET, no bairro da Vila Paiva, que está há mais de dez anos em construção.

5. São Thomé das Letras, Minas Gerais

são thomé das letras arrow-options
Reprodução/ site saotomedasletras.net.br

São Thomé das Letras é o segundo ponto em Minas Gerais do turismo ufológico no Brasil

O Estado de Minas Gerais registra o maior índice de aparições de UFOs no território brasileiro. Depois de Varginha, outro local muito visitado pelos ufólogos é a cidade de São Thomé das Letras. Saiba mais clicando aqui .

No ano de 1996 também existem relatos de pouso de naves espaciais na cidade e de avistamento de naves durante o dia e no pôr do sol. Para quem pensa em viajar a cidade é importante procurar o Seu Tatá, um comerciante local que é pioneiro na pesquisa ufológica na região.

Leia Também:  Saiba quanto custa visitar os cenários de “Game of Thrones” na vida real

6. Itacuruba, Pernambuco

observatório em itacuruba arrow-options
Reprodução/ itacurubba.pe.gov.br

A cidade de Itacuruba, em Pernambuco, é sede do Observatório Astronômico do Sertão de Itaparica

Itacuruba é uma pequena cidade no agreste pernambucano. Base do Observatório Astronômico do Sertão de Itaparica (Oasis), a região virou palco do turismo científico para observar astros e, quem sabe, óvnis.

7. Caçapava do Sul, Rio Grande do Sul

caçapava do sul arrow-options
Reprodução/ Instagram Prefeitura de Caçapava do Sul

Caçapava do Sul é muito conhecida pelo avistamento de óvnis

Em Caçapava do Sul, o fenômeno das ‘ondas ufológicas’, que são momentos de numerosos avistamentos, chama atenção e atrai diversos turistas. O fluxo de visitantes é tão grande que os governos estaduais e municipais criaram projetos para o turismo ufológico no local.

O turista conhece a região do sul que engloba o Alto da Boa Vista, Pinheiro e Tarumã; a região oeste da Pedra Furada e Pedro do Segredo e a leste e norte a localidade de Santa Bárbara.

Existe um site do UFO Turismo na cidade que contem fotos e matérias relacionadas aos aparecimentos. 

8. Peruíbe, São Paulo

praia de peruíbe arrow-options
Reprodução/Flickr

Peruíbe é a primeira cidade do Brasil a criar um roteiro ufológico

Peruíbe, no litoral sul de São Paulo, foi a primeira cidade a montar um roteiro ufológico no Brasil. Sede do Congresso Brasileiro de Ufologia, Peruíbe é uma cidade com grande incidência de ocorrências ufológicas.

No roteiro o turista visitará a Barra do Una, a Ruína do Abarebebê, os bairros de Guaraú, Perequê e São José, além do costão de Peruíbe e a Pedra da Serpente onde, segunda lendas, vive um sobrevivente alienígena. Inclusive o local foi tema de um filme, assista ao trailer.


A própria prefeitura de Peruíbe organiza os passeios e você pode entrar em contato pelo telefone (13) 3455-9426 para agendamento. Também existem agências para os tours como a Caiçara Expedições  e a  Roteiro Eco Trilhas .

9. Serra da Beleza, Rio de Janeiro

serra da beleza arrow-options
Reprodução/ Facebook Restaurante e Camping Serra da Beleza

A Serra da Beleza é um dos polos para avistamento de disco voador

A cidade de Serra da Beleza está localizada no interior do Rio de Janeiro, no distrito de Santa Isabel do Rio Preto. Os primeiros relatos de aparição de UFOs foi em 1982 e desde então os relatos só cresceram. Moradores já relataram ter visto discos voadores e até alguns seres estranhos nas redondezas.

Vizinha de Serra da Beleza está a cidade de Conservatória, no município de Valença, que tem há alguns anos o UFO Tour idealizado por Marco Antonio Petit, um estudioso da ufologia que mora no local.

A Serra da Beleza chegou a aparecer na série De Carona com os Óvnis , do canal The History Channel. Assista abaixo o episódio.

10. Parque Nacional de Sete Cidades, Piauí

castelo do piauí arrow-options
Reprodução/ Blog Arte Tapuio by Juscelino Reis

A Pedra Castelo do Piauí é uma formação rochosa misteriosa que dizem abrigar um ser de outro planeta

Entre os municípios de Piracuruca e Piripiri, no norte do Estado do Piauí, está o Parque Nacional de Sete Cidades com 6.303 hectares de fauna e flora e cavernas/grutas que possuem inscrições rupestres com vários desenhos não identificados.

Da mesma maneira que algumas lendas apontam cavernas dimensionais no Mato Grosso, em Sete Cidades também dizem haver uma dessas passagens secretas para os extraterrestres.

Leia também: Airbnb disponibiliza hospedagem de “outro planeta” por US$ 11; veja mais

Além do Parque existem outros pontos muito interessantes no Piauí para o turismo ufológico como Cadós e Buriti dos Cavalos, uma região de cachoeiras e cavernas; a cidade de José de Freitas; o Parque Nacional Serra da Capivara e a Pedra Castelo do Piauí, ao leste de Teresina, uma formação rochosa com fama de aparições de ETs.

Fonte: IG Turismo
publicidade
2 Comentários

2
Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
2 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
LeandroEdie Meireles Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Edie Meireles
Visitante

Juntando os dez ainda não ganham para a Chapada Diamantina na Bahia. Conheço estes todos.

Leandro
Visitante
Leandro

Faltou Colares no Pará, palco da operação prato!

Turismo

Fuja das roubadas: saiba o que não fazer em Caraguatatuba e Ubatuba

Publicado

source

Não existe nada mais frustrante do que planejar uma viagem, chegar ao destino e ele não ser exatamente como você imaginou. Essa situação acontece com muita frequência e como as férias de fim de ano estão se aproximando, seria incrível se alguns destinos tivessem dicas sobre o que não fazer (para evitar a fadiga).

Leia também: Conheça as praias paradisíacas para conhecer no litoral norte de São Paulo

Pensando nessa questão, o iG Turismo juntamente com alguns viajantes, montou uma breve lista de o que não fazer em Caraguatatuba e Ubatuba , no litoral norte de São Paulo. As dicas podem te ajudar a se livrar de furadas e aprender a aproveitar os melhores pontos da viagem.

O que não fazer em Caraguatatuba e Ubatuba #1: aquário de Ubatuba

aquário de ubatuba arrow-options
Reprodução/ Facebook

O aquário de ubatuba pode ser uma das decepções na viagem até o litoral norte

O aquário de Ubatuba está na lista de quase todos os turistas que visitam a praia do litoral norte paulista. Porém, o passeio pode ser um pouco frustrante. Isso é o que diz a jornalista Bruna Vieira que já visitou o local várias vezes.

“A única coisa interessante [do aquário] são os pinguins. E os ingressos são caros para o que o aquário oferece. Já fui algumas vezes e nem sempre tem todas as espécies que eles anunciam”, comenta.

Os ingressos de entrada para o aquário custam R$ 30,00 a inteira para adultos. A meia-entrada (R$ 15) contempla idosos, estudantes e pessoas entre 03 e 17 anos. Existem também quatro modelos de ingresso familiar: 2 adultos e 1 criança = R$ 70; 2 adultos e 2 crianças = R$ 85; 2 adultos e 3 crianças = R$ 100 e 2 adultos e 4 crianças = R$ 110.

O que não fazer em Caraguatatuba e Ubatuba #2: praias do centro

Bruna, que passou alguns meses morando na cidade, também aponta que a praia central de Caraguatatuba não é um dos pontos turísticos mais desejados. “Ela é suja, cheia de buracos e apesar dos anúncios por fora, quem mora lá mesmo nunca frequenta ali”, opina.

O problema das praias sujas também foi indicado pela cabelereira Jéssica Dias, que todos os anos no mês de janeiro, viaja com a família para a cidade. “A grande maioria [das praias] são ruins. As únicas praias boas de lá são da Cocanha, Pedra da Freira e a praia de Martín de Sá”.

O que não fazer em Caraguatatuba e Ubatuba #3: excursão para Praia do Porto Novo

praia do porto novo arrow-options
Reprodução/ aluguetemporada.com.br

Apraia do porto novo é afastada do “agito” de Caraguatatuba e não é recomendada por moradores

Ex-moradora da região, a tatuadora Giovanna Santanna Seabra também aponta a decepção com uma tradicional excursão para a praia do Porto Novo, em Caraguatatuba. “Sem ondas e sujinhas, além de longe do centro e do agito”, comentou à redação do iG Turismo .

O que não fazer em Caraguatatuba e Ubatuba #4: ir de uma praia à outra de carro

trânsito arrow-options
Reprodução

rodovia Tamoios é a única via de acesso ao litoral norte de São Paulo e sempre está congestionada no fim do ano

O problema universal das praias do litoral paulista no fim de ano é o trânsito. Muitas turistas resolvem passar o período de festas nas praias mais badaladas e acabam deixando um caos nas ruas.

A dica da jornalista Larissa Sant’ana é evitar ao máximo o carro. “Quando é alta temporada, pegar o carro para conhecer as praias de Ubatuba pode não ser uma boa ideia. Já fiquei duas horas para chegar numa praia que sem trânsito chegaria em 15 minutos. A dica é se hospedar em uma praia legal e ficar por lá mesmo”, comenta.

Leia Também:  Dormir ou voar? Hotel japonês constrói quarto com simulador de voo

Fazer o trajeto Caraguá – Ilha Bela também não traz muitas alegrias. “É difícil ir para Ilha bela que tem um trânsito muito intenso”, comenta Jessica.

O que não fazer em Caraguatatuba e Ubatuba #5: tomar banho muito tarde

chuveiro arrow-options
Reprodução

A água costuma acabar cedo durante a alta temporada e a solução é tomar banho cedo

Quem já viajou para o litoral em época de festas sabe que a multidão de turistas causa uma pane na estrutura das cidades com falta de água, falta de comida nos supermercados e etc. E essa é uma dica valiosa para não passar perrengue.

“Nos feriados e final de ano muita gente vai para Ubatuba e a estrutura da cidade não dá conta. A água acaba sempre e geralmente na hora que geral tá voltando da praia (19h). Então a dica é voltar um pouco antes para garantir o banho”, lembra Larissa.

O que não fazer em Caraguatatuba e Ubatuba #6: voltar para São Paulo cedo

carro arrow-options
undefined

Voltar para SP nos horários de pico é uma das coisas sobre o que não fazer em Caraguatatuba e Ubatuba

O acesso ao litoral norte de São Paulo é complicado. A Rodovia dos Tamoios é cheia de curvas e rodeada de árvores, o que causa, às vezes, deslizamentos de terra que chegam a fechar o caminho por muitas horas – a estrada há passou 80 horas bloqueada. Então o jeito é ter paciência.

“Quando vamos para Caraguatatuba tem um problema da decida que ainda é por uma via antiga. Estão fazendo uma obra para melhorar, porém tem um trânsito intenso, pois as obras ainda não terminaram”, lembra Jéssica.

Mas e se eu estiver lá embaixo? Seja esperto e fuja do trânsito. “Não pegue estrada para voltar para São Paulo durante o dia. Depois do almoço e final da tarde é a hora que todo mundo sai e a viagem pode demorar mais de 10h. Sempre saio de madrugada, umas 3h e não pego transito nenhum”, finaliza Larissa.

Leia também: 10 opções de praias em SP para fazer um bate e volta no fim de semana

Você pode se perguntar “Com tudo isso sobre o que não fazer em Caraguatatuba e Ubatuba , é tudo tão ruim assim?”. A resposta é não. Todo destino tem seus perrengues, assim como suas belezas, e saber quais sãos as furadas evita perder tempo e ajuda a aproveitar melhor a cidade. 

Fonte: IG Turismo
Continue lendo

Turismo

Noruega quente e Mônaco para todos: veja mitos e verdades sobre 4 destinos

Publicado

source

Nunca se deixe enganar pelas fofocas a respeito de destinos turísticos pelo mundo. Principalmente no caso de lugares famosos, existem diversos mitos e verdades que podem mais atrapalhar do que ajudar sua experiência.

Leia também: 11 atrações turísticas tão famosas quanto decepcionantes

Turista pensativa sobre fundo amarelo arrow-options
shutterstock

Já se perguntou quais os mitos e verdades de destinos como a Noruega ou a Jordânia? Pois é hora de tirar as dúvidas

Com essa lista, você conseguirá distinguir alguns desses mitos e verdades sobre destinos de todo o mundo, indo desde a Noruega, no gélido extremo norte do planeta, até as ilhas Seychelles, arquipélago tropical no Oceano Índico.

Mitos e verdades sobre a Noruega: um país sempre frio?

Pessoas nadando em praia na Noruega arrow-options
shutterstock

Mitos e verdades no turismo: a Noruega pode ser bem fria no inverno, mas também oferece calor no verão

Sim, é verdade: explorar os pontos turísticos da Noruega pode ser um teste de resistência climática para os turistas, especialmente durante o inverno, quando os termômetros no país podem cair até -40ºC em algumas regiões.

Mas isso não quer dizer que o país viva num estado permanente de congelamento. Durante o verão, as temperaturas ficam bem mais amenas, podendo inclusive bater na casa dos 30ºC nas regiões mais ao sul da Noruega – um clima ideal para aproveitar uma praia.

Leia Também:  Navio pirata é nova opção de hotel para quem viaja para os EUA

Mitos e verdades sobre Mônaco: só para os ricos?

Vista panorâmica de Monaco a partir das montanhas arrow-options
shutterstock

Mitos e verdades no turismo: Mônaco pode ser um destino luxuoso, mas também pode ser aproveitado sem gastar muito

Quando se fala em viagem pelo mundo de alto custo, Mônaco é um dos primeiros destinos que aparecem na imaginação dos turistas. Mas fazer uma viagem para lá sem gastar uma fortuna também é possível e pode se mostrar uma ótima decisão.

Existem diversos hotéis três estrelas com preços equivalentes ao de outras capitais europeias, museus com entradas acessíveis, passeios e pontos turísticos gratuitos e restaurantes com bom custo-benefício. Além disso, devido a seu tamanho, o país pode facilmente ser explorado a pé, barateando os custos da viagem ainda mais.

Leia também: Confira 10 mitos e verdades sobre fazer uma viagem de navio

Mitos e verdades sobre as ilhas Seychelles: o arquipélago de lua de mel?

Famoso entre os casais à procura de um paraíso para a lua de mel, não se pode negar que o arquipélago de Seychelles acabou ficando associado a esse tipo de viagem. Contudo, essas ilhas do Oceano Índico também oferecem estrutura completa para famílias e grupos de amigos.

Isso vale principalmente para os amantes da natureza, que contarão com uma estrutura de hospedagem completa próxima de um ecossistema bastante preservado e diverso, com animais únicos como as tartarugas gigantes e atividades como mergulho,  snorkeling e passeios de barco.

Mitos e verdades sobre a Jordânia: o país de uma atração só?

Ruína de anfiteatro romano em Jerash arrow-options
shutterstock

Mitos e verdades no turismo: a Jordânia também reserva outras surpresas, como as ruínas romanas de Jerash

A cidade histórica de Petra talvez seja o atrativo turístico mais famoso da Jordânia, mas não é o único. A começar pelo fato de que existem diversas atrações para se explorar no caminho de dois dias até uma das 7 maravilhas do mundo moderno.

Outros atrativos do país incluem o Monte Nebo e Madaba, cidade onde fica um mosaico do mapa de Jerusalém e da Terra Santa, o Mar Morto, o Wadi Rum, também conhecido como Vale da Lua, as ruínas romanas de Jerash e a capital do país, Amã.

Leia também: YouTuber dá dicas do que fazer numa viagem pelo mundo para explorar as suas 7 maravilhas

Com os mitos e verdades sobre esses destinos esclarecidos, você já pode programar uma viagem de verão para a noruega ou um tour ecológico pelas ilhas Seychelles sem medo de errar.

Fonte: IG Turismo
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana