conecte-se conosco


Polícia Federal

Operação Weka II combate tráfico de pessoas, contrabando de migrantes e crimes conexos

Publicado

Brasília/DF – A Polícia Federal atuou, entre os dias 12 a 17 de junho, na Operação WEKA II, consistente em ação multilateral internacional, da qual participaram 50 países. O objetivo da ação conjunta é combater o tráfico de pessoas, o contrabando de migrantes e crimes conexos.

No contexto migratório, o Brasil é país de destino, haja vista que muitos migrantes objetivam fixar aqui sua nova residência; é país de origem, vez que muitos nacionais tentam fixação em novo país; e é também país de trânsito, pois muitos utilizam o Brasil como rota para chegar ao seu destino final.

A participação da Polícia Federal na Operação WEKA II se deu no Nível II, consistente no reforço da fiscalização em pontos estratégicos de imigração, com o estabelecimento de postos de inspeção e de entrevista policial, o que permitiu detectar atividades relacionadas aos crimes ora mencionados, ocorrendo ainda situação flagrancial de falsa identidade envolvendo passaporte.

Houve também a coleta de biometria com a utilização do Sistema Alethia, ferramenta desenvolvida pela Polícia Federal, possibilitando a fiscalização de mais de 3 mil pessoas.

Na África do Sul, a Polícia Federal auxiliou os trabalhos de imigração no Aeroporto de Oliver Tambo e atuou como ponto focal para identificação de suspeitos provenientes do Continente Africano que desembarcaram no Brasil.

A ação contou, ainda, com o apoio da U.S. Customs and Border Protection (CBP) – Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA.

A atuação da Polícia Federal, no âmbito da Operação WEKA II, bem como em outras operações de abrangência internacional, reforça o comprometimento da PF na área de direitos humanos.

Coordenação-Geral de Comunicação Social da Polícia Federal

Fonte: Polícia Federal

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Polícia Federal

Polícia Federal apreende grande quantidade de cigarros

Publicado

Maringá/PR – Na quinta-feira (18/8), durante diligências de repressão aos crimes de contrabando e tráfico de drogas, realizadas nas estradas da região de Maringá/PR, equipes da Polícia Federal prenderam um homem envolvido em transporte de cigarro ilícito de origem paraguaia, na cidade de Maringá/PR.

Durante as diligências, que consistiam em barreira policial para inspeção de carga e documentação dos veículos, um motorista dirigindo um caminhão não obedeceu a ordem de parada. Outra equipe policial, posicionada em outro trecho à frente, fez nova tentativa de abordagem, mas quase foi atropelada pelo motorista, que jogou o seu veículo contra os policiais em clara tentativa de homicídio. Em seguida, foi realizado acompanhamento tático, tendo a equipe interceptado o veículo no contorno sul da cidade. Quando a carga foi revistada, constatou tratar-se de cerca de 800 caixas de cigarro paraguaio, o equivalente a 400 mil maços.

O homem, de 35 anos, foi preso em flagrante e responderá pela prática do crime de contrabando, desobediência e tentativa de homicídio.

Comunicação Social da Polícia Federal em Maringá/PR

Telefone: (44) 3220-1436

Fonte: Polícia Federal

Continue lendo

Polícia Federal

PF apreende mais de R$ 14 mil em cédulas falsas no sudeste do Pará

Publicado

Redenção/PA – A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira (19/8), na cidade de Tucumã/PA, a Operação Hundred Falsus e apreendeu R$ 14.900 em cédulas de R$ 100, todas falsas. Essa foi a maior apreensão da PF na região de Redenção/PA, sudeste paraense.

O caso teve início a partir de comunicação do Setor de Inteligência dos Correios, que alertou a Polícia Federal acerca de uma correspondência com conteúdo suspeito destinada a cidade de Tucumã/PA, ainda no mês de abril.

Com base nas informações recebidas, policiais federais passaram a acompanhar a retirada do objeto da Agência dos Correios de Tucumã/PA, o que acabou por não acontecer, motivando a Polícia Federal a representar em Juízo pela busca e apreensão do objeto e autorização para a abertura da correspondência. Assim, com autorização judicial, a Polícia Federal confirmou a existência das notas falsas no interior do envelope.

A partir da confirmação de moeda falsa, iniciaram-se diligências objetivando a identificação do destinatário da encomenda e, na manhã de hoje, com nova autorização judicial, foi dado cumprimento a um mandado de busca e apreensão na residência do suspeito.

Caso confirmada a hipótese criminal de crime de moeda falsa, previsto no art. 289, §1º do Código Penal, o investigado poderá ser condenado a penas que variam entre 3 e 12 anos de reclusão, além de multa.

O nome Hundredum Falsus significa cem falso em latim, em referência à apreensão de 149 cédulas falsas.

Comunicação Social da Polícia Federal em Redenção/PA

Fonte: Polícia Federal

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana