conecte-se conosco


Polícia Federal

Operação Tifeu combate lavagem de dinheiro do tráfico internacional de drogas

Publicado

São Paulo/SP – A Polícia Federal deflagrou nesta manhã (17/3) a Operação TIFEU, decorrente de mais um desdobramento da denominada Operação Spectrum, deflagrada em julho de 2017, na qual foi preso mega traficante de drogas. Esta fase é continuidade do trabalho de desmantelamento de complexa organização criminosa – ORCRIM, especializada em tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro.

Cerca de 80 policiais federais estão cumprindo 33 ordens judiciais, sendo 24 mandados de busca e apreensão e 9 mandados de prisão temporária, nos estados do Paraná, São Paulo, Rondônia, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina.

Durante a investigação conduzida pela PF, foi apurado que membros da ORCRIM de origem estrangeira vinham até o território brasileiro para, em conjunto com nacionais, organizarem a remessa de cocaína por meio marítimo. A droga era remetida para Bélgica oculta em cargas de pedras. Por intermédio de cooperação policial internacional, uma carga de cocaína de duas toneladas foi apreendida no Porto de Gent/Bélgica.

Materializado o delito de tráfico internacional de drogas, as investigações financeiras subsequentes descortinaram um possível esquema de lavagem de dinheiro, onde foram identificadas empresas ligadas ao grupo criminoso, que movimentavam grandes valores financeiros. De acordo com o que foi apurado, apenas uma das empresas ligada a organização criminosa apresentou movimentação financeira de mais de R$ 1 bilhão, a crédito, em cerca de 4 anos, destacando-se o fato de haver várias origens suspeitas.

Apura-se, ainda, o vazamento de informações sigilosas por um escrevente autorizado de cartório de notas para um dos investigados, com possível embaraço às investigações.

As ações reforçam a diretriz de atuação da Polícia Federal relativa a desestruturação das grandes organizações criminosas, com a responsabilização penal de seus integrantes e a compressão dos recursos patrimoniais, garantindo que os bens e valores obtidos com as práticas ilícitas retornem ao Estado e à sociedade.

Por suas condutas, os investigados poderão ser indiciados pela prática dos crimes de Tráfico Internacional de Drogas e Associação para o Tráfico (Lei 11.343/06), Organização Criminosa (art. 2º da Lei nº 12.850/2013) e lavagem de dinheiro (Lei 9.613/98).

Os presos serão conduzidos às respectivas Superintendências da Polícia Federal nos estados onde forem encontrados e permanecerão à disposição da Justiça Federal.

 

Comunicação Social da Polícia Federal em São Paulo

Contato: (11) 3538-5013

 

 

*** O nome da Operação, Tifeu, vem da mitologia grega, que significa o gigante responsável pelos ventos ferozes e violentos, numa analogia ao poder da organização criminosa de transportar drogas do continente sul americano para o europeu e movimentação financeira bilionária.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia Federal

PF deflagra Operação Carne de Panela para combater a caça ilegal de animais silvestres

Publicado


.

Cruzeiro/SP – A Polícia Federal e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade – ICMBIO deflagraram nesta semana (14/9 a 17/9) a operação Carne de Panela, com o objetivo de realizar ações de repressão e investigação a crimes ambientais, principalmente o combate à caça ilegal de animais silvestres, no interior do Parque Nacional da Serra da Bocaina, unidade de conservação federal que abrange os Estados de São Paulo e Rio de Janeiro.

As ações de campo se desenvolveram ao longo da semana.  No dia 10/9, foi cumprido um mandado de busca e apreensão, no Distrito de Campos Novos de Cunha/SP, relacionado ao principal investigado por comércio de cachorros que são comumente utilizados para a caça.

 Após o cumprimento da medida judicial, as equipes fizeram incursões no interior do PARNA-Serra da Bocaina, na região conhecida como Sertão da Paca, onde foram promovidas autuações administrativas decorrentes de danos ambientais encontrados e foram realizadas várias perícias relativas a inquéritos policiais já instaurados.

No dia 16/9, as equipes cumpriram mais um mandado de busca em imóvel, cujos moradores são suspeitos de dar suporte a caçadores na região denominada Sertão dos Mineiros, também no interior da Unidade de Conservação.

Por fim, no dia 17/9, foram realizadas novas incursões no interior do PARNA-Serra da Bocaina, atingindo uma grande extensão daquela unidade de conservação, onde foi possível apreender armas de fogo e vários apetrechos utilizados para a caça ilegal. Ainda nas ações foram destruídos alguns pequenos ranchos clandestinos utilizados pelos caçadores no interior do parque.

Durante as investigações foi possível obter imagens de treinamento de cães para a caça, diversas fotos de animais abatidos e dos cachorros efetivamente caçando.  A partir dos trabalhos conjuntos realizados pela POLICIA FEDERAL e o ICMBio, com o até então colhidos nas apurações, objetiva-se colher mais informações sobre uma rede de caçadores e de pessoas que fomentam a caça clandestina, principalmente no interior do PARNA-Serra da Bocaina.

 

 

Comunicação da Polícia Federal em Cruzeiro/SP

Contato: (12) 2122-2901

 

“Operação Carne de Panela”

Nome dessa operação se dá pelo fato que região a carne de animais silvestre é muito apreciada e ela é feita e consumida pelos caçadores ilegais como uma receita de “carne de panela”.

Continue lendo

Polícia Federal

PF incinera quase 33 toneladas de entorpecentes em usinas de Dourados/MS

Publicado


.

Ponta Porã/MS – Pela oitava vez consecutiva apenas este ano, a Polícia Federal realizou nesta quinta-feira (17/9) uma operação para incineração de 32,7 toneladas de entorpecentes apreendidos entre agosto e primeira quinzena de setembro pela Delegacia da PF em Ponta Porã/MS.

A maior parte da droga destruída consiste em tabletes de maconha, já que o Paraguai é um dos maiores produtores da planta. Ao longo de 2020, apenas pela Delegacia da PF de Ponta Porã/MS, foram incineradas cerca de 178 toneladas de drogas (356 mil tabletes) nas oito ações de queima em altos fornos.

O transporte das quase 33 toneladas de droga foi realizado por policiais federais e policiais da Força Nacional de Segurança Pública até os fornos de duas usinas localizadas no município de Dourados/MS.

Para realização da queima, são necessárias autorizações prévias de diversos órgãos, como Justiça Federal, Justiça Estadual e Vigilância Sanitária.

 

Comunicação Social da Polícia Federal no Mato Grosso do Sul

Fone: (67) 3368-1105
E-mail: [email protected]

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana