conecte-se conosco


Nacional

Operação no Rio: perícia vai rastrear a origem das armas apreendidas

Publicado

source
Armas apreendidas na operação terão origem rastreada
Reprodução/Twitter Cláudio Castro

Armas apreendidas na operação terão origem rastreada

Vinte e dois fuzis e cinco pistolas usados na troca de tiros entre policiais e traficantes, que resultou em pelo menos 24 mortes, nesta terça-feira (24), na Vila Cruzeiro, na Penha, na Zona Norte do Rio, foram apreendidos por agentes da Delegacia de Homicídios da Capital. 

A especializada investiga as circunstâncias do confronto e como cada pessoa foi atingida pelos disparos. A 25ª vítima do tiroteio é a cabeleireira Gabrielle Ferreira da Cunha, de 43 anos, que foi morta por uma bala perdida a 300 metros de distância da entrada da Favela da Chatuba. 

A comunidade não era alvo de nenhuma operação policial, mas faz parte do Complexo da Penha e fica bem próxima da Vila Cruzeiro.

Todas as armas passarão por uma perícia que deverá descrever a eficácia e capacidade de funcionamento de cada uma delas. O exame também deve fornecer dados para ajudar a rastrear a origem do armamento que estava nas mãos dos bandidos — saber se o tráfico estava usando armas contrabandeadas ou supostamente desviadas de alguma força de segurança.

Do total apreendido, dez fuzis estavam nas mãos de traficantes envolvidos no confronto, além de cinco pistolas. Já nove fuzis foram apresentados pelos PMs do Batalhão de Operações Especiais e outros três por policiais rodoviários federais. 

Todos os agentes teriam participado de confrontos na Vila Cruzeiro. Também foram apreendidos vários carregadores, 210 balas de fuzil e 133 de pistola. 

O material faz parte do arsenal usado pela facção criminosa que controla o tráfico de drogas na comunidade, alvo da operação deflagrada pela Polícia Militar e Polícia Rodoviária Federal, nesta terça-feira, na Penha.

Além das armas, os polícias apreenderam pelo menos 1.600 embalagens de pó branco, 1700 de crack, 1600 de maconha, dois tabletes de crack e 160 saquinhos contendo a mesma droga. 

A Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) aguarda ainda o resultado dos exames periciais feitos pelos peritos do Instituto Médico-Legal (IML) nos corpos dos 25 mortos. 

O resultado vai descrever dados como a quantidade de tiros que cada uma das vítimas levou e possivelmente a trajetória dos disparos. 

No caso da cabeleireira Gabrielle Ferreira da Cunha, a Polícia Civil também aguarda para saber se os legistas encontraram ou não, no corpo da vítima, o projétil responsável pela morte de Gabrielle.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Nacional

Polícia encontra ‘coleção’ de 140 calcinhas com investigado em SP

Publicado

Policiais encontraram 140 calcinhas, além de HDs com pornografia infantil na casa de suspeito na Zona Leste de SP
Divulgação – 01.06.2022

Policiais encontraram 140 calcinhas, além de HDs com pornografia infantil na casa de suspeito na Zona Leste de SP

No âmbito da Operação Luz da Infância, a Polícia Civil de São Paulo acabou chegando, nesta quinta-feira (30), até um homem de 53 anos, no Parque São Rafael, na Zona Leste de SP, que armazenava conteúdos de pornografia infantil em pelo menos 24 HDs, encontrados em sua casa e apreendidos. Um outro material, no entanto, também chamou atenção dos agentes do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP): o suspeito guardava em casa, dentro de uma sacola, uma coleção com 140 calcinhas usadas.

Ele já era investigado por crime de pedofilia e acabou preso por armazenar fotos e vídeos de crianças. À polícia, ele afirmou que as calcinhas pertenciam a mulheres com quem ele se relacionou, mas os agentes seguem apurando se ele cometeu crimes de pedofilia. Após ter sido detido em flagrante por armazenar material pornográfico infantil, ele pagou uma fiança de R$ 5 mil e responderá em liberdade.

12 presos e 50 computadores apreendidos

A operação desta quinta-feira foi realizada pela Polícia Civil de SP em parceria com o Ministério da Justiça e Segurança Pública, polícias civis de outros estados, e até polícias judiciárias dos EUA, Argentina, Costa Rica, Equador, Panamá e Paraguai. No estado de São Paulo, foram 43 alvos sendo 15 na capital. Pelo menos 12 pessoas foram presas e mais de 50 computadores foram apreendidos na ação.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Nacional

Continue lendo

Nacional

Silveira receberá medalha dada para quem contribui com a literatura

Publicado

Daniel Silveira
Divulgação: Câmara dos Deputados – 30/03/2022

Daniel Silveira

O deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ) vai receber da Biblioteca Nacional a medalha da Ordem do Mérito do Livro, tradicionalmente dada pela instituição a pessoas que contribuem com a literatura. A informação foi dada inicialmente pela colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo.

A cerimônia de entrega da homenagem está marcada para as 15h30 desta sexta-feira (1). Antes, às 10h30, ex-funcionários da biblioteca também vão receber a medalha. Em seu site oficial, a Biblioteca Nacional informou que o prédio da instituição ficará fechado nesta sexta-feira “por motivos de força maior”.

Acadêmicos, escritores e intelectuais como o poeta mineiro Carlos Drummond de Andrade e o sociólogo e escritor pernambucano Gilberto Freyre já receberam a medalha da Ordem do Mérito do Livro. Neste ano, a medalha será entregue, ao todo, para 200 personalidades por conta do Bicentenário da Independência.

O GLOBO tentou falar com o presidente da Biblioteca Nacional, Luiz Carlos Ramiro Junior, e com Daniel Silveira, mas até o momento não obteve sucesso. Ramiro já exercia o cargo de coordenador-geral do Centro de Pesquisa e Editoração da BN, para onde foi levado por Rafael Nogueira, seu antecessor. Ele é graduado em Ciências Sociais (UFRJ) e Direito (UFF) e mestre e doutor em Ciência Política pela UERJ.

Em abril, Daniel Silveira foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal a 8 anos e 9 meses de prisão por agressões verbais a ministros da Corte e por tentar impedir o livre exercício dos Poderes. No dia seguinte, o presidente da república, Jair Bolsonaro, publicou um indulto presidencial perdoando a pena do parlamentar. O STF também havia suspendido o mandato de Silveira e de seus direitos políticos enquanto durassem os efeitos da condenação. No mês passado, a Procuradoria Geral da República pediu ao STF a extinção da pena do deputado, bem como a revogação de todas as medidas cautelares contra ele.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Nacional

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana