conecte-se conosco


Polícia Federal

Operação Feudo desarticula esquema de fraudes em RO

Publicado

Ji-Paraná/RO – A Polícia Federal deflagrou nesta manhã (10/4) a Operação Feudo, com o objetivo de desarticular organização criminosa que desviava recursos públicos a partir de fraude em processo licitatório envolvendo recursos direcionados à obra de saneamento básico no município de Ministro Andreazza/RO. O trabalho conta com a participação de servidores da Controladoria-Geral da União–CGU, visando robustecer os dados coletados.

Estão sendo cumpridos 16 mandados de busca e apreensão, 5 mandados de prisão preventiva e 4 mandados de prisão temporária nos municípios de Cacoal, Ministro Andreazza e Santa Luzia, em Rondônia, e no município de João Pessoa, na Paraíba, bem como a apreensão de bens.

As investigações tiveram início ainda em 2015, com a finalidade de apurar suposta prática de fraude em licitação, corrupção ativa e passiva entre outros, tendo em vista notícia-crime de suposta fraude no caráter competitivo do processo licitatório das obras de implantação de saneamento básico no município supramencionado, o que foi confirmado no decorrer das investigações.

As análises indicam que os membros da ORCRIM agiram em conluio para direcionar o vencedor do milionário contrato da obra de saneamento básico do município.

O valor da licitação vencida pela empresa para execução do saneamento básico foi de R$ 18 milhões e até a presente data foram executados aproximadamente 65% dos serviços, porém já foram identificados aproximadamente R$ 3 milhões em prejuízos.

Mais informações serão apresentadas em coletiva de imprensa agendada para às 14h30 na sede da Delegacia da Polícia Federal em Ji-Paraná.

 

                                                                                           Comunicação Social da Polícia Federal em Rondônia/RO

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia Federal

PF desarticula esquema de contrabando de cigarros e agrotóxicos no noroeste do Paraná.

Publicado


Maringá-PR – A Polícia Federal deflagrou hoje (1/12), em Maringá/PR, a Operação ZEPHYROS, visando desarticular organização criminosa atuante no contrabando de cigarros e agrotóxicos no noroeste do Estado do Paraná. Cerca de 80 Policiais Federais cumprem 12 mandados de busca e apreensão e 3 mandados de prisão preventiva expedidos pela 1ª Vara Federal de Umuarama/PR.

 

A Operação detectou a existência de grupo criminoso, baseado principalmente em Ivaté/PR e Umuarama/PR, responsável pela internação por via fluvial e distribuição pela malha rodoviária, de cigarros e agrotóxicos oriundos do Paraguai, com destino à região metropolitana de Curitiba/PR e outras unidades da federação.

 

A atividade delituosa gerou a obtenção de farto patrimônio – principalmente em propriedades rurais – sendo que diversas medidas de sequestro de bens foram judicialmente determinadas. Na data de hoje, um administrador judicial também toma posse da extensa criação de gado de um dos investigados.

 

Ao longo da Operação, foram realizadas sete ações em flagrante, que culminaram na apreensão de aproximadamente 1.200 caixas de cigarros contrabandeados, 900 quilos de agrotóxicos de origem estrangeira e de 3.529 kgs de maconha, esta última apreendida em um dos portos clandestinos utilizados pela organização criminosa.

 

As buscas acontecem nas cidades de Ivaté/PR, Umuarama/PR, Icaraíma/PR, Foz do Iguaçu/PR, Maringá/PR e Nova Olímpia/PR.

 

O nome da Operação guarda relação com a etimologia da palavra, que significa “Vento do Oeste”, em alusão à região onde a organização criminosa atuava.

 

Comunicação Social da Polícia Federal em Maringá/PR

Telefones: (44) 3220-1408/1436

Continue lendo

Polícia Federal

PF investiga crime contra a saúde pública

Publicado


Belo Horizonte/MG – A Polícia Federal deflagrou hoje, 1/12/2020, ação no interesse de investigação que apura suspeita de crime contra a saúde pública. As investigações tiveram início em agosto último, em Porto Alegre/RS, após a PF ter identificado, por meio de perícia, que álcool gel adquirido para uso em suas dependências em RS estava em desconformidade com as exigências medicinais.

De acordo com o que foi apurado, a disparidade de informações entre as especificações técnicas de rotulagem e o conteúdo do produto torna este inócuo à sua finalidade de prevenção à Covid-19.

Tendo os fornecedores sedes na Capital mineira e em sua região metropolitana, a apuração dos fatos passou a ser feita em Minas Gerais, que representou por quatro mandados de busca e apreensão. Os mandados foram expedidos pela 35ª Vara Criminal da Justiça Federal em Belo Horizonte, sendo cumpridos em São José da Lapa/MG e na Capital, em ação conjunta com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e a Vigilância Sanitária da Prefeitura de Belo Horizonte (VISA).

Se constatada a prática de infração penal, os envolvidos poderão responder pelo crime de falsificação, corrupção, adulteração ou alteração de produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais e pelo crime de estelionato, cujas penas podem chegar a 15 e 7 anos de prisão, respectivamente.

Seguindo todos os protocolos de cuidados do Ministério da Saúde em face da pandemia do Covid-19, a Polícia Federal continua trabalhando.

 

 

 

Comunicação Social da Polícia Federal em Minas Gerais

Contato: [email protected]

www.pf.gov.br

(31) 3330-5270

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana