conecte-se conosco


Internacional

ONU: mais de 8.500 crianças foram usadas como soldados em 2020

Publicado


Mais de 8.500 crianças foram usadas como soldados no ano passado em vários conflitos pelo mundo, e quase 2.700 foram mortas, informou a Organização das Nações Unidas (ONU) nessa segunda-feira (21). 

O relatório anual do secretário-geral da ONU, António Guterres, ao Conselho de Segurança da ONU sobre crianças e conflitos armados abrange assassinatos, mutilações e abuso sexual de crianças, além da abdução ou recrutamento, negação de acesso a atendimento de saúde e ataques a escolas e hospitais.

O documento mostra que violações foram cometidas contra 19.379 crianças em 21 conflitos. A maioria das violações em 2020 foi cometida na Somália, República Democrática do Congo, no Afeganistão, na Síria e no Iêmen.

De acordo com o relatório, 8.521 crianças foram utilizadas como soldados no ano passado, enquanto 2.674 foram assassinadas e 5.748 ficaram feridas em diversos conflitos. 

O documento também inclui uma lista negra que tem a intenção de constranger as partes em conflitos, com a esperança de puni-las para implementar medidas de proteção a crianças. A lista tem sido objeto de polêmica, com diplomatas afirmando que a Arábia Saudita e Israel fizeram pressão nos últimos anos para ficar de fora dela. 

Israel nunca figurou na lista, enquanto a coalizão militar liderada pelos sauditas foi removida da lista em 2020, anos após ter sido apontada e constrangida por causar mortes e ferir crianças no Iêmen.

Em uma iniciativa para atenuar as controvérsias em torno do relatório, a lista publicada em 2017 por Guterres foi dividida em duas categorias. Uma delas lista as partes que colocaram em vigor medidas para proteger crianças e a outra inclui partes que não tomaram nenhuma atitude. 

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Internacional

Vulcão na Indonésia volta a ficar ativo e número de mortos sobe para 22

Publicado


source
Erupção deixou pelo menos 22 mortos
Reprodução/Twitter

Erupção deixou pelo menos 22 mortos


O vulcão Semeru, na Indonésia, voltou a ficar ativo nesta segunda-feira (6). Dois dias após a primeira erupção, ele voltou a lançar nuvens quentes de cinzas. O número de mortos subiu para 22 pessoas e dezenas estão desaparecidos.

O Monte Semeru, a montanha mais alta da ilha de Java, entrou em atividade no último sábado (4) . Mais de 900 pessoas já foram evacuadas da região.

Moradores e policiais agiram no resgate de vítimas que estavam cobertas por lama. Nuvens de cinza tomaram a paisagem, cobrindo casas e prédios.

Leia Também

O Centro Indonésio de Mitigação de Desastres de Vulcanologia e Geologia confirmou em sua conta no Twitter a nova atividade do vulcão e alertou uma atividade sísmica.

Liswanto, chefe do Observatório do Vulcão Semeru, disse em entrevista à Reuters que esse é um dos vulcões mais ativos da Indonésia e que deve permanecer em atividade. 

Ele também alertou moradores para que sejam mais cuidadosos. Algumas pessoas estão voltando para a região a fim de resgatar pertences e gado. 

“As pessoas precisam ser mais vigilantes, porque a ameaça em potencial persiste”, acrescentou.

Fonte: IG Mundo

Continue lendo

Internacional

Artista posta foto nua com filho de sete anos e é presa em Gana

Publicado


source
Artista posta foto nua com filho de sete anos e é presa em Gana
Reprodução

Artista posta foto nua com filho de sete anos e é presa em Gana

A atriz Rosemond Brown, de Gana, foi condenada pela Justiça ganesa e presa após publicar uma foto nua com seu filho de sete anos. Na imagem, a artista surge sem roupas, agachada, com o cabelo cobrindo os seios e olhando para os olhos do garoto enquanto segura suas mãos. A criança encontra-se de cueca.

A publicação foi realizada em julho de 2020 e, na ocasião, Brown apagou o post após muitas críticas. Em abril deste ano, a juiza Christiana Cann a condenou e ela recorreu da sentença. A magistrada Ruby Aryeetey, do Tribunal Superior, manteve a decisão na última quarta-feira (05).

Tanto a família quanto a defesa da condenada pediram para que Rosemond não fosse presa, mas as juizas consideraram que a punição servirá “como um exemplo” devido a “decadência moral”. Sua condenação foi de três meses de detenção.


“Filho, eu te amo, e Deus está com você, sempre, você sabe. Fique bem até que a mamãe volte. Deus está sempre no controle”, afirmou Brown em nova publicação antes de se despedir do seu filho.

Fonte: IG Mundo

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana