conecte-se conosco


Economia

Novo golpe no Whatsapp promete 13º para beneficiários do Bolsa Família

Publicado

Beneficiários do Bolsa Família estão caindo em um golpe no Whatsapp que promete liberar o 13º salário do programa por meio de um link de acesso. As informações são da Polícia Federal de Pernambuco, que afirma que a farsa está circulando nas redes há pelo menos sete dias.

Leia também: Novo golpe do FGTS alcança mais de 70 mil pessoas no WhatsApp em um dia

Mensagem enviada para usuários do Whatsapp
REPRODUÇÃO/WHATSAPP

Pessoas que estão caindo no golpe estão recebendo mensagens como essa, redirecionando para um link que pede dados pessoais

Quem é pego pelo golpe  recebe uma mensagem no Whatsapp com o endereço de um site que, supostamente, seria possível fazer a consulta para ver se a pessoa teria direito ou não ao benefício.

Ao clicar no link, o usuário é redirecionado para um endereço eletrônico onde o logotipo do Bolsa Família aparece junto de um questionário com espaço para preencher com dados pessoais, como nome completo, endereço e CPF.

Tela que induz o usuário a verificar se tem direito ao 13º salário do Bolsa Família
Reprodução

O link abre uma tela como essa, com o logotipo do Bolsa Família e um questionário para o usuário preencher

Depois de preencher o formulário, uma mensagem surge na tela e pede para que a pessoa compartilhe o link do site para seus contatos do Whatsapp com a desculpa de que é importante divulgar as informações a outras pessoas – disseminando a armadilha para os outros – e também pede para que o usuário aceite receber notificações sobre o programa – permitindo que novos golpes sejam aplicados nessa pessoa.

Leia Também:  Mudança de carreira dentro da empresa pode garantir emprego; entenda

Para concluir a farsa, uma outra tela com opções de downloads de aplicativos aparece e induz o usuário a baixá-los. Conturo, esses arquivos estão infectados com vírus.

Segundo a Polícia Federal, o link está recebendo cerca de mil acessos a cada hora. Mas  essa não é a primeira vez programas do governo federal são utilizados como iscas para atrair pessoas para a armadilha. Aliás, esses são os assuntos mais usador pelos golpistas porque, como o tema tem apelo popular, é mais fácil de viralizar.

Tanto quem tem smartphone com sistema operacional Android quanto quem tem iPhone e usa IOS são pegos. No entanto, os donos de aparelhos da Apple só são induzidos a permitirem o envio de novas ameaças e fraudes.

Segundo a Polícia Federal, as informações pessoais fornecidas podem ser usadas para outro golpe, como clonagem de cartão de crédito, abertura de empresas falsas ou contas bancárias e em lojas comerciais, além de funcionarem para conseguir empréstimos, compras online e até mesmo aplicar novas armadilhas em outros usuários.

Leia Também:  Saiba o que fazer se você não consegue pagar as parcelas de um imóvel na planta

Leia também: Esquema de fraude contra aposentados do INSS teria movimentado R$ 189 milhões

Como se proteger de golpes?

Pessoa mexendo no Whatsapp
shutterstock

Sempre que receber alguma informação no Whatsapp que pede que informe seus dados, verifique a veracidade antes de compartilhar

Para não ser pego por essas armadilhas, especialistas destacam a importância dos usuários criarem o hábito de se certificar da veracidade de qualquer informação antes de compartilhá-la com seus contatos. Além disso, é importante utilizar soluções de segurança que contam com função de bloqueio anti-phishing, que previne contra esse tipo de tática.

Vale destacar também que, na maioria das situações, as mensagens pedem que o usuário compartilhe o conteúdo com seu grupo de amigos. A ideia é atingir sua rede de relacionamentos e fazer o golpe chegar a mais pessoas. No entanto, isso não significa que todos que receberem a mensagem pelo WhatsApp serão hackeados. A campanha maliciosa atinge apenas aqueles que efetivamente abrirem o link e seguirem o que a página determina.

Fonte: IG Economia
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Economia

Pagamento de abono do PIS/Pasep é liberado: veja quem tem direito

Publicado

source

Agência Brasil

carteira de trabalho arrow-options
Reprodução

Parte dos saques do abono do PIS/Pasep começam nesta quinta-feira e vão até 30 de junho de 2020

O abono salarial dos programas de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) do calendário 2019/2020 começa a ser pago nesta quinta-feira (14) para os beneficiários nascidos em novembro e servidores públicos com final de inscrição 04.

A Caixa Econômica Federal é responsável pelo pagamento do abono salarial do PIS. Os pagamentos são disponibilizados de forma escalonada conforme o mês de nascimento do trabalhador.

Caixa e BB perdem exclusividade de pagar seguro-desemprego e abono PIS/Pasep

Os titulares que possuem conta individual na Caixa com cadastro atualizado já receberam o crédito automático antecipado na última terça-feira (12).

Os primeiros a receber o abono foram os nascidos em julho, no caso dos trabalhadores da iniciativa privada. Quanto aos servidores públicos, os que têm inscrição iniciada em zero.

Os trabalhadores que nasceram até dezembro recebem o PIS ainda este ano. Os nascidos entre janeiro e junho terão o recurso disponível para saque em 2020.

Os servidores públicos com o dígito final de inscrição do Pasep de 0 e 4 também recebem este ano. Já no caso das inscrições com o final entre 5 e 9, o pagamento será no próximo ano.

Saque do FGTS aumentou para R$ 998: saiba quando você poderá tirar o dinheiro

O limite para sacar os recursos do exercício 2019/2020 será no dia  30 de junho  de 2020.

Quem tem direito

O benefício é pago ao trabalhador inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos , que tenha trabalhado formalmente por pelo menos 30 dias ao longo de 2018 com remuneração mensal média de até dois salários mínimos .

Para ter direito ao abono também é necessário que o empregador tenha informado os dados do empregado na Relação Anual de Informações Sociais (Rais) 2018.

Para os trabalhadores que tiverem os dados declarados na Rais 2018 fora do prazo e entregues até 25 de setembro de 2019, o pagamento do abono salarial ficou disponível no último dia 4. Após esse prazo de entrega da declaração, o abono será pago no calendário seguinte.

Leia Também:  IPCA desacelera em maio ao variar 0,13%, a menor alta desde 2006

Os trabalhadores que tiverem os dados dos últimos cinco anos corrigidos e declarados pelos empregadores na Rais também terão seu abono liberado conforme o calendário regular . Se os empregadores encaminharem correções do cadastro a partir de 12 de junho de 2020, os recursos serão liberados no próximo calendário.

O teto pago é de até um salário mínimo (R$ 998), com o valor calculado na proporção de 1/12 do salário. A quantia que cada trabalhador vai receber é proporcional ao número de meses trabalhados formalmente em 2018.

Governo extingue multa adicional de 10% do FGTS em demissões sem justa causa

Os herdeiros também têm direito ao saque. No caso de falecimento do participante, herdeiros têm que apresentar documentos que comprovem a morte e a condição de beneficiário legal.

Como sacar o PIS

O pagamento do PIS é feito pela Caixa e o do Pasep, pelo Banco do Brasil. Os clientes da Caixa e do Banco do Brasil recebem o dinheiro diretamente na conta.

Segundo a Caixa, beneficiários que não têm conta no banco, mas possuem Cartão do Cidadão com senha cadastrada podem pegar o recurso em casas lotéricas, ponto de atendimento Caixa Aqui ou terminais de autoatendimento da Caixa.

Caso não tenha o Cartão do Cidadão, o valor pode ser retirado em qualquer agência do banco. Nesse caso, é preciso apresentar um documento de identificação oficial .

O valor do benefício pode ser consultado no aplicativo Caixa Trabalhador , no site da Caixa ou pelo Atendimento Caixa ao Cidadão pelo 0800 726 0207.

De acordo com o banco, o total disponibilizado para o pagamento do PIS no atual calendário é de R$ 16,4 bilhões, beneficiando 21,6 milhões de trabalhadores .

Leia Também:  Procons vão fiscalizar concessão de empréstimo consignado a aposentados

Como receber o Pasep

No caso do Pasep, pago pelo Banco do Brasil , mais de 2,9 milhões de trabalhadores têm direito ao abono, totalizando R$ 2,6 bilhões.

Este ano, a novidade é que correntistas de outras instituições financeiras podem enviar transferência eletrônica disponível (TED) sem custos. Para os clientes Banco do Brasil, o crédito automático em conta será feito dois dias antes da liberação dos pagamentos.

Entre os servidores públicos e militares, com direito ao saque do abono no exercício 2019/2020, cerca de 1,6 milhão não têm conta no Banco do Brasil. Para facilitar o recebimento, esse público não precisará se deslocar a uma das agências do banco.

Na página da internet criada pelo BB para o pagamento do benefício, o servidor poderá solicitar a transferência bancária do valor do seu abono, de acordo com o calendário de pagamento. A transferência também pode ser feita em qualquer terminal de autoatendimento do Banco do Brasil.

Os demais beneficiários (cerca de 1,3 milhão de trabalhadores) são correntistas do banco. Para saber se tem direito ao abono, o trabalhador pode consultar o site  www.bb.com.br/pasep ou telefonar para a Central de Atendimento do Banco do Brasil, nos telefones 4004-0001 e 0800-729-0001.

Histórico

As leis complementares nº 7 e 8 de 1970, respectivamente, criaram o PIS e o Pasep . A partir de 1976, foi feita a unificação dos programas no Fundo PIS/Pasep.

Até outubro de 1988 os empregadores contribuíam ao Fundo de Participação PIS/Pasep, que distribuía valores aos empregados na forma de cotas proporcionais ao salário e tempo de serviço.

Após a promulgação da Constituição de 1988 , as contribuições recolhidas em nome do PIS/Pasep não acrescentam saldo às contas individuais.

Os recursos passaram a compor o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) , para o custeio do Programa do Seguro-Desemprego, do Abono Salarial e a financiamento de programas do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O abono salarial que não for retirado dentro do calendário anual de pagamentos será devolvido ao FAT.

Fonte: IG Economia
Continue lendo

Economia

Dólar volta a fechar no segundo maior valor desde criação do real

Publicado

Em um dia de oscilações no mercado financeiro, a moeda norte-americana voltou a fechar no segundo maior nível da história. O dólar comercial encerrou esta quinta-feira (14) vendido a R$ 4,193, com alta de R$ 0,006 (0,15%). A divisa está no segundo maior valor desde a criação do real, só perdendo para a cotação de R$ 4,196 registrada em 13 de setembro de 2018.

O dólar iniciou a manhã em baixa, mas reverteu a tendência à tarde e firmou-se acima de R$ 4,19 na hora final de negociação, até fechar próxima da máxima do dia. A moeda acumula valorização de 4,59% no mês.

Bolsa

No mercado de ações, o dia também foi de recuperação. O índice Ibovespa, da B3, fechou o dia em alta de 0,47%, aos 106.557 pontos. O indicador voltou a subir depois de dois dias consecutivos de queda.

Nos últimos dias, o mercado financeiro tem sido afetado pelas turbulências em países da América Latina. Diversos países da região enfrentam problemas políticos, que pressionam investidores estrangeiros. As incertezas em relação ao fechamento de um acordo entre Estados Unidos e China, que enfrentam tensões comerciais, também têm contribuído para a instabilidade nos mercados globais.

 
Edição: Fernando Fraga

Fonte: EBC Economia
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana