conecte-se conosco


Carros e Motos

Novo cortador de grama da Honda passa dos 242 km/h. Veja vídeo

Publicado

Depois de bater o recorde do cortador de grama mais rápido do mundo em 2014 (188.08 km/h) e em 2018 (215 km/h), a Honda acaba de se superar novamente, na pista de testes da Dekra Lausitzring, em Dresden (Alemanha). Equipada com a mecânica da CBR1000RR Fireblade SP, conseguiu três resultados quase impossíveis de acreditar: uma aceleração de 0 a 100 km/h em 3 segundos, até 160 km/h em meros 6,29 segundos e a velocidade máxima de 242.99 km/h, homologados pelo Guinness World Record.

LEIA MAIS: Enfim, as novas Honda CBR 1000RR Fireblade

Sob o comando do cortador de grama — que ainda é capaz de exercer essa função — estava a piloto de manobras radicais com passagens no kart e no automobilismo, Jess Hawkins. Com quase o dobro da potência do primeiro recordista, seus 200 cv empurram meros 69,1 kg (sem piloto e fluidos), resultando em uma relação peso-potência de 0,345 kg/cv — outra insanidade quase impossível de se imaginar.

LEIA MAIS: BMW lança linha de “tatuagens” para motos, vendidas em kits. Veja

Por baixo da “casca” de cortador

Cortador de Grama
Divulgação

Cortador de grama da Honda vem com motor V2 de 200 cv da CBR 1000RR Fireblade

Além da mecânica da Honda CBR 1000RR Fireblade lista de componentes da moto superesportiva também inclui sistema de troca de marchas programável com hastes fibra de carbono próximas do volante Sparco, rodas de 10 polegadas da Goldspeed ATV montadas em pneus slick Hoosier e freios bem reforçados: na frente, discos com pinças de quatro pistões e de seis na traseira, tudo ventilado. Na estrutura, o chassi é de aço T45, para suportar tanta força e velocidade em um veículo tão inusitado.

LEIA MAIS: Confira quais são as 5 motos mais caras do Brasil, legalizadas para as ruas

Cortador de grama
Divulgação

Recordista atual ao lado do primeiro modelo, pioneiro na concepção para altas velocidades

Segundo o diretor administrativo da Honda no Reino Unido, Dave Hodgetts: “O cortador de grama original era uma máquina incrível, mas desta vez nós o levamos para um nível totalmente novo. Depois de conquistar o recorde de velocidade máxima em 2014, e aprimorar em 2018, queríamos fazer algo um pouco diferente. A Team Dynamics foi além no desenvolvimento e construção desta verdadeira façanha de engenharia, partindo do zero para o que acabamos de testemunhar, com mecânica das motocicletas da Honda . Sem falar da coragem de Jess para encarar o volante!”.

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Carros e Motos

VW Tiguan estreia novo visual e vira semiautônomo

Publicado


source
VW Tiguan
Divulgação

VW Tiguan ganha nova frente e fica mais próximo da linguagem visual dos lançamentos mais recentes da marca no mundo

Lançado no exterior em 2016, o VW Tiguan da segunda geração acaba de passar pela sua primeira restilização visual, que veio acompanhada da adoção de novos equipamentos como o sistema de direção semiautônomo.Na Europa, começa a ser vendido ainda este ano. No Brasil, o mais provável é que chegue em 2021.

LEIA MAIS: 5 coisas que ninguém te contou sobre o Volkswagen Tiguan Allspace

As principais mudanças externas no VW Tiguan ficaram concentradas na dianteira, que ganhou novas grade, para-choque e faróis de LED. Na traseira, além das lanternas com novo arranjo de luzes, o logotipo com o nome Tiguan passou a ficar posicionado sob o logo “VW”, seguindo o padrão estabelecido pelo Golf de 8ª geração.

No interior, além das alterações de acabamento, a montadora alemã trocou o volante multifuncional (que adotou o mesmo desenho de Nivus e novo Golf ) e mexeu também nos controles de ventilação (abandonando os comandos giratórios) e na central multimídia, de nova geração e disponível em variações com telas de 8″ ou 10,25″.

Pela primeira vez, o SUV começa a ser oferecido com o Travel Assist, sistema de direção semiautônomo que fez a sua estreia no ano passado, no Passat, e permite que o veículo freie, acelere e controle a direção sozinho em velocidades de até 210 km/h.

LEIA MAIS: Novo VW Tiguan: versão R-Line em detalhes

As vendas do VW Tiguan reestilizado começam em breve no mercado europeu, trazendo novidades como a versão esportiva R (equipada com um motor 2.0 TSI de 320 cv) e uma variação híbrida plug-in de 245 cv. Já a variação Allspace, de entre-eixos mais longo e que é feita no México para as Américas, estreia apenas em 2021. A marca ainda não revelou se vai haver mudanças na mecânica.

Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Carros e Motos

VW Passat SLE: versão topo de linha não era a preferida na época

Publicado


source
VW Passat
Divulgação

VW Passat LSE: Versão que não era tão procurada, mesmo trazendo equipamentos inéditos em períodos de importações fechadas

O VW Passat foi um dos maiores sucessos da marca alemã, mundialmente falando. O médio alemão conseguiu mostrar toda a versatilidade da marca em diferentes mercados. Conjunto sólido, design genial de Giorgetto Giugiaro e robustez mecânica sempre foram palavras-chave para seu grande êxito.

LEIA MAIS: VW Saveiro com motor a ar com turbo rede mais de 200 cavalos

No Brasil, o VW Passat chegou em 1974. Na época vale lembrar que a marca enfatizava as qualidades dos motores boxer refrigerados a ar em detrimento dos refrigerados a água da concorrência. Os folhetos de propaganda deixam claro que essa era uma escolha da Volkswagen, já que todos os modelos vendidos naquele momento usavam aquela configuração mecânica.

Mas o Volkswagen Passat chegaria para mudar – definitivamente – a história. Após um período inicial ele foi bem aceito pelo público e logo passou a liderar o segmento, com a já falada confiabilidade mecânica e conjunto excepcional, além de acerto visual.

O modelo tinha versões para todos os gostos e bolsos. Desde a básica até a esportiva conquistou o público de forma definitiva. A versão TS, lançada em 1976, trazia um aspecto esportivo e logo conquistou o público jovem com desempenho e design.

LEIA MAIS: Fiat Dardo: Fora-de série nacional com estilo puramente italiano

Mas hoje é dia de falar da versão de topo: o Passat LSE , que chegou às lojas no final de 1977. O diferencial era a carroceria de quatro portas, interior mais luxuoso, inclusive com ar-condicionado, um acessório incomum, e a frente de quatro faróis do TS.

O ano de 1979 trouxe uma mudança visual. Quatro anos mais tarde um novo facelift colocou o Passat em sintonia com o mercado. Novas versões foram lançadas nessa época, com destaque para a GLS e GTS Pointer. A LSE seguia no mercado atendendo quem buscava um quê a mais.

LEIA MAIS: VW Gol Copa 1982: versão especial e limitada a 3 mil unidades

A dirigibilidade do VW Passat se destaca. O Motor MD-270 trazia bielas mais longas e torque generoso para rodar bem na cidade e na estrada. Além disso a ergonomia e câmbio com engates precisos se tornaram um sinônimo dos modelos Volkswagen na época. Nos vemos na próxima semana.

Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana