conecte-se conosco


Carros e Motos

Novo Citroën C3 terá versão elétrica em mercados emergentes

Publicado

Nova geração do Citroën C3 já foi lançada no mercado indiano e deve chegar ao Brasil até o início de setembro
Divulgação

Nova geração do Citroën C3 já foi lançada no mercado indiano e deve chegar ao Brasil até o início de setembro

Apesar dos diversos adiamentos para o lançamento da nova geração do Citroën C3 do Brasil, mais informações vão surgindo conforme a data de anuncio do modelo se aproxima.

As novidades do momento apontam que a Citroën prepara uma versão 100% elétrica do SUV compacto , e que fará sua estréia global no mercado indiano, assim como a versão a combustão, vendida desde julho por lá.

O C3 elétrico está em fase de testes e irá utilizar a plataforma e-CMP, que já utilizada pelo Peugeot e-208 , mas vem para o Brasil importado da Europa. A novidade provavelmente também virá importada, e deve receber as mesmas especificações técnicas.

A nova geração do Citroën C3 já é fabricada em Porto Real (RJ), mas não foi lançada oficialmente, devido à falta de chips semicondutores.

O modelo será voltado para os segmentos de entrada e irá medir 3,98 metros de comprimento, 2,54 m de entre-eixos e porta-malas de 315 litros, a distância livre do solo de 18 cm dará ao C3 as características de SUV que o mercado vem aceitando cada vez mais.

Citroën C3 já teve interior revelado, mostrando que terá estilo descolado, seguindo a tradição da marca
Divulgação

Citroën C3 já teve interior revelado, mostrando que terá estilo descolado, seguindo a tradição da marca

A motorização da versão a combustão não foi divulgada, mas analisando as recentes movimentações da Stellantis , o motor 1.0 Firefly que equipa o Fiat Argo e Peugeot 208 deve ser utilizado, pelo menos até as versões intermediárias.

No caso de uma versão elétrica, é provável que a motorização seja exatamente a mesma apresentada no Peugeot e-208 , que conta com um motor elétrico de 136 cv e 26,5 kgfm de torque.

As baterias são de apenas 50 kWh, mas são suficientes para 340 km, aferidos no ciclo de testes WLTP da Europa.

O maior inimigo de uma versão elétrica do C3 seria o preço. No caso do e-208, apesar de oferecer o máximo de tecnologia embarcada, custa R$252.061, R$ 142.071 mais caro que a versão topo de linha a combustão. Entretanto, os planos parecem ser de fato oferecer uma versão elétrica do modelo, que promete revolucionar a atuação da Citroën no Brasil, e a fabricante inclusive vem expandido sua rede de concessionários autorizados a comercializar e reparar modelos elétricos, apesar de só vender o furgão ë-Jumpy no momento.

Fonte: IG CARROS

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Carros e Motos

Sobe número de carregadores elétricos em São Paulo, diz estudo da Elev

Publicado

Infraestrutura para carregar carros elétricos está longe do ideal no Brasil, segundo relatório da Elev
Divulgação

Infraestrutura para carregar carros elétricos está longe do ideal no Brasil, segundo relatório da Elev

Carros eletrificados vêm se tornando cada vez mais presentes nas ruas brasileiras, e segundo um relatório da Elev, empresa especializada em soluções para o ecossistema de carros elétricos, a cidade de São Paulo registrou um aumento de 11% na quantidade de carregadores.

O levantamento considera os meses de junho e agosto, e após o aumento, a capital paulista conta com 445 carregadores elétricos . Mas apesar do pequeno crescimento de carregadores, a estrutura ainda é insuficiente.

“Tivemos um crescimento importante no número de postos na principal capital do país, a cidade de São Paulo. Ao mesmo tempo, o número ainda é baixo quando consideramos outras capitais do mundo, como é o caso de Oslo, na Noruega, onde os postos de gasolina estão se convertendo em eletropostos .” afirmou Ricardo David, sócio-fundador da Elev.

O número de novos carregadores não acompanha ainda o número de automóveis 100% elétricos vendidos, somente nos seis primeiros meses do ano, o crescimento do número de carros exclusivamente elétricos foi de 19%.

 “Por mais que tenhamos uma diminuição no valor dos combustíveis no último mês, essa diminuição não torna a gasolina e o diesel como algo que traz um custo benefício a longo prazo. Deste modo, cada vez mais pessoas vão migrar para os veículos híbridos e elétricos , aumentando cada vez mais a demanda por carregadores”, completou  Ricardo.

O Brasil atingiu a marca de 100 mil veículos eletrificados em circulação, e segundo o executivo, muitos consumidores em potencial não conhecem os benefícios da mobilidade elétrica a longo prazo, e isso se torna uma eventual barreira à adesão de elétricos.

A Tupinambá Energia é uma das empresas que trabalham com carregadores e soluções de mobilidade elétrica
Divulgação

A Tupinambá Energia é uma das empresas que trabalham com carregadores e soluções de mobilidade elétrica

“A manutenção está na ordem de 15% a 25% do valor gasto nos automóveis a combustão, e ainda há uma economia de cerca de 84%, em média, no valor de recarga em comparação aos carros movidos a combustíveis fósseis”. Acrescentou o especialista.

O executivo ainda afirma que o aumento da frota de carros elétricos não traria impactos negativos para a matriz energética do Brasil. Apesar do eventual aumento da demanda, o empresário afirma que a energia brasileira é suficiente para abastecer casas, industrias e também os automóveis. “A nossa matriz energética não sofreria com o aumento de carros elétricos, nem mesmo se eles avançassem para as nossas frotas de caminhões e o impacto ambiental seria mínimo, principalmente quando consideramos que a geração de energia em nosso país é majoritariamente limpa”, encerrou o especialista.

Apesar do número veículos eletrificados leves ter superado a marca simbólica das 100 mil unidades , o presidente da Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE), Adalberto Maluf, afirma que ainda há muito a ser feito para os eletrificados no país:

“Precisamos de uma política nacional de eletromobilidade , ou seja, de políticas públicas alinhadas e coordenadas entre o governo federal e os governos estaduais e municipais para incentivar a transição do veículo a combustão para o veículo elétrico”.

Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Carros e Motos

Kawasaki Ninja ZX-10R recebe novos gráficos para linha 2023

Publicado

Kawasaki Ninja ZX-10R
Divulgação

Kawasaki Ninja ZX-10R

Com grande sucesso no cenário global de corridas, a Kawasaki ZX-10R é uma das motos de maior sucesso no WSBK – considerado o principal campeonato ao nível mundial de corrida de superbike – tendo vencido o campeonato por seis anos consecutivos.

Com tantas qualidades em seu currículo, a ZX-10 R 2023, a Kawasaki atualizou a Ninja ZX-10R no mercado indonésio, com lançamento no mercado global praticamente certo. Quanto às mudanças, elas foram concentradas na parte visual, principalmente nos gráficos.

A moto continua continua com a pintura da Kawasaki Racing Team (KRT) , embora ligeiramente ajustada para corresponder mais às motos de corrida do WSBK com mais elementos verde-limão e menos seções brancas, e detalhes  vermelho no painel e na carenagem inferior.

Fora os gráficos, a Ninja ZX-10R permanece a mesma, lembrando que a moto passou em 2021 por uma atualização na parte estética e motorização atendendo às exigências do Euro 5, além de novo radiador de óleo, e relação secundária ligeiramente mais curta, para retomada de velocidade mais rápida em saída de curvas.

A versão de produção da Kawasaki Ninja ZX-10R é uma das superesportivas mais potentes atualmente disponíveis. Ele possui um motor de quatro cilindros em linha de 998 cc, refrigerado a líquido, com injeção de combustível e que produz 203 cv de potência e 11,40 kgfm de torque.

No mercado indonésio, o modelo está previsto para ser lançado em março de 2023. 

Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana