conecte-se conosco


Política Nacional

Nova ponte Brasil-Paraguai terá nome de Jaime Lerner, aprova comissão

Publicado

A Comissão de Educação (CE) aprovou nesta quinta-feira (12) o Projeto de Lei 1.984/2021, dando ao trecho brasileiro da nova ponte de integração Brasil–Paraguai o nome de Jaime Lerner (1937—2021), arquiteto renomado e governador do Paraná entre 1995 e 2003. O projeto segue para a apreciação do Plenário do Senado.

A iniciativa do projeto foi do então deputado federal Evandro Rogério Roman (PP-PR). No Senado, o relator foi o próprio presidente da CE, senador Marcelo Castro (MDB-PI).

Hoje conhecida como Ponte da Integração, a segunda ponte Brasil-Paraguai sobre o Rio Paraná está sendo construída desde 2019 e sua inauguração está prevista para este ano. Ela ligará Foz do Iguaçu, no Paraná, a Presidente Franco, no Paraguai. É fruto de uma parceria entre os governos do Paraná e federal e Itaipu Binacional. Brasil e Paraguai já são ligados pela Ponte da Amizade, entre Foz do Iguaçu e Ciudad del Este, inaugurada em 1965.

O texto original dava o nome de Jaime Lerner a toda a ponte. Marcelo Castro apresentou substitutivo batizando apenas o trecho localizado em território nacional. Ele explicou que não seria correto aprovar uma proposta que concede, de maneira unilateral, nome a uma ponte binacional, sem a concordância do Paraguai.

Por sugestão do senador Esperidião Amin (PP-SC) durante a reunião, foi feita uma emenda de redação, trocando a expressão “trecho localizado em território brasileiro” por “trecho brasileiro”, simplesmente.

Requerimentos

Na reunião da CE desta quinta-feira, foram aprovados alguns requerimentos:

  • Dos senadores Rodrigo Cunha (União-AL) e Jorginho Mello (PL-SC), incluindo, respectivamente, a advogada Flavia Regina de Souza Oliveira e um representante da Associação Brasileira das Universidades Comunitárias (Abruc) na audiência pública sobre o PLC 158/2017, que permite a criação de fundo patrimonial nas instituições federais de ensino superior.
  • Do senador Flávio Arns (Podemos-PR), de promoção de audiência pública sobre o PL 1.837/2021, de autoria do próprio Arns, que institui o Dia Nacional da Saúde Única.
  • Da senadora Zenaide Maia (Pros-RN) e do senador Jean Paul Prates (PT-RN), de promoção de audiência pública sobre o PL 3.984/2019, do senador Veneziano Vital do Rêgo (MDB-PB), que prevê a dedução integral das despesas com educação no Imposto de Renda.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Política Nacional

MP que destina recursos à habitação vence no começo de setembro

Publicado

Há 16 medidas provisórias editadas à espera da análise de deputados e senadores. A MP 1.114/2022 é a que perderá a validade mais cedo, no dia 4 de setembro. A medida autoriza o uso do Fundo Garantidor de Habitação Popular (FGHab) em financiamentos do programa Casa Verde e Amarela.

Fonte: Agência Senado

Continue lendo

Política Nacional

Molon dribla PSB e faz sucesso com vaquinha virtual

Publicado

Alessandro Molon vai concorrer ao Senado
Reprodução/Twitter

Alessandro Molon vai concorrer ao Senado

Na última quinta-feira (11), o candidato ao Senado Alessandro Molon arrecadou R$ 100 mil para fazer sua campanha. Ele lançou uma vaquinha virtual após o PSB proibi-lo de ter acesso a recursos do fundo partidário.  A decisão do partido foi uma resposta a “desobediência” do deputado federal.

Molon gravou um vídeo nas redes sociais e agradeceu o apoio dos eleitores. Agora ele lançou uma segunda meta, que é alcançar R$ 250 mil. Até o momento, o parlamentar conquistou 42% do seu objetivo.

“A nossa candidatura é a única que tem condições reais de derrotar o candidato do bolsonarismo, que é Romário. Para isso a gente vai precisar de mais recursos, para fazer bom material de campanha e organizar nosso comitê”, comentou.

Confira o vídeo:

Molon está em segundo lugar nas pesquisas eleitorais para o Senado no Rio de Janeiro. Foi por esse motivo que ele desafiou o PSB e manteve sua candidatura ao cargo, prejudicando o acordo entre o partido com o PT.

A sigla comandada por Carlos Siqueira garantiu que abriria mão da corrida eleitoral pelo Senado para apoiar André Ceciliano (PT), enquanto a agremiação de Gleisi Hoffmann não lançaria um nome ao governo do Rio para estar ao lado de Marcelo Freixo (PSB).

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana