conecte-se conosco


Tribunal de Justiça MT

Nosso Judiciário visita 106ª escola e aproxima Justiça de estudantes

Publicado

Direito do consumidor, o que são os juizados especiais e como funcionam, crimes cibernéticos e de redes sociais foram alguns dos assuntos levados aos alunos e alunas do ensino médio da Escola Estadual Joaquina Cerqueira Caldas, em Cuiabá, em mais uma visita do projeto Nosso Judiciário, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, na manhã desta sexta-feira (27 de maio).
 
Com intuito de aproximar o Judiciário da população e neste caso, dos estudantes da Capital e Várzea Grande, durante as visitas são distribuídas cartilhas informativas que complementam a palestra. Uma abordagem diferenciada e voltada ao público jovem para que conheçam um pouco mais sobre a Justiça.
 
E foi o que o aluno Pedro Eduardo Leite Vailant falou sobre essa oportunidade de poder ouvir e conhecer um pouco mais sobre o assunto. “Achei muito interessante e gostei bastante porque nos ensinou várias coisas para o nosso dia a dia. Achei interessante sobre os juizados especiais que eu não sabia, que é algo muito mais rápido para quando a gente tentar resolver um problema com facilidade, e maior velocidade. O Judiciário vindo até aqui a gente aprende muito até para saber o que pode acontecer conosco e poderemos usar o que aprendeu aqui nessas desventuras da vida”, afirma.
 
A aluna Myllena Leite Jardim pretende ser juíza e disse que conhecer um pouco mais sobre o Judiciário é muito importante, principalmente pelas informações que foram repassadas. “Não conhecia muita coisa que foi falado, como por exemplo vários serviços da Justiça que são de graça, como nos juizados especiais.”
 
Para a diretora da Escola, Alexandra de Souza Maia os temas da palestra e da cartilha serão de grande valia para só alunos e alunas, principalmente pela forma com que utilizam a internet. “Antes o uso da internet era para lazer, mas hoje existem muitas questões que eles precisam de orientação. Esse projeto do Judiciário ligado às escolas é muito importante para aprendizagem, também no seu contexto social e respeito ao próximo, cuidados com os crimes cibernéticos que assola o país e a nossa escola, assim como todas as outras por ser uma problemática muito grande”, comenta.
 
A palestra é realizada pelo servidor do Tribunal de Justiça, Neif Feguri Neto, que reforça o propósito do projeto que é aproximar o Judiciário da população. “Estamos atendendo a 106ª unidade escolar e já ultrapassamos 25.300 alunos nos últimos oito anos do projeto, que tem aproximado a Justiça estadual do público estudantil. O objetivo é levar informação a eles, procurar fazê-los entender a importância da utilização da internet para coisas boas, além de conhecer um pouco mais o Judiciário com a cartilha.”
 
Esta matéria possui recursos de texto alternativo para promover a inclusão das pessoas com deficiência. Imagem 1 –Servidor Neif Feguri fala sobre o Judiciário para alunos. Ele está em pé, de calça e sapatos escuros, camisa de manga comprida branca, segurando microfone com mão esquerda. Todos os alunos estão sentados em cadeiras de frente para o servidor.
Imagem 2 – Foto posada, da cintura para cima, do aluno Pedro Vailant está sorrindo. Ele usa uniforme da escola, na cor azul, um casos de manga comprida na cor bege e capuz verde e óculos de grau.
Imagem 3 – Foto posada, da cintura para cima, da diretora da Escola, Alexandra Maia, sorrindo. Ela usa óculos de grau, cabelos curtos, na altura do pescoço, camiseta branca com o desenho de uma folha em azul.
 
Dani Cunha
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT
 
 

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Tribunal de Justiça MT

Judiciário e prefeitura de Primavera celebram parceria para redução de conflitos em sala de aula

Publicado

Mais de 9.200 crianças e jovens matriculados na rede municipal de ensino de Primavera do Leste serão impactados com as atividades da Justiça Restaurativa. As ferramentas como os círculos de construção de paz vêm fazendo a diferença na redução dos conflitos em sala de aula, além de refletir na pacificação dos lares.
 
Durante o encerramento da Semana de Práticas Restaurativas, que ocorreu entre os dias 27 e 30, promovido pelo Núcleo Gestor da Justiça Restaurativa (Nugjur), coordenado pela desembargadora Clarice Claudino, o Poder Judiciário formalização parceria com a prefeitura de Primavera do Leste.
 
O município é o primeiro de Mato Grosso a concretizar uma politica pública municipal, com lei sancionada, que institui as práticas restaurativas em todas as 15 unidades da educação infantil e 7 de ensino fundamental.
 
A magistrada, precursora no tema na Justiça Estadual, explica que o Núcleo tem como meta a expansão dos círculos de construção de paz nas escolas para todas as comarcas. O trabalho atual é de difusão do conhecimento e divulgação dos círculos como ferramenta de pacificação social. Ela destaca que o município de Primavera do Leste já é um caso de sucesso com resultados importantes a servirem de inspiração a outros locais.
 
“O município é um exemplo de resultados concretos de que a prevenção dos conflitos nas escolas também reflete nas famílias. Crianças e jovem possuem formas muito particulares de apreenderem o conhecimento sobre como lidar com as divergências, dificuldades de relacionamento e conseguem levar para suas casas essa experiência positiva. Eles passam a ser multiplicadores”, pontuou.
 
A desembargadora ministrou um seminário na tarde de quinta-feira (30), explanando as inciativas do Nugjur, mas também seus fundamentos e resultados. Ao longo da semana, as atividades no município ocorreram de maneira intensa com círculos de paz em escolas estaduais, municipais, Cejusc, Delegacia da Mulher, Câmara de Vereadores, órgãos municipais como Unidades de Saúde, entre outros.
 
O prefeito de Primavera, Leonardo Bortolin, comemorou a formalização do termo de cooperação e garantiu empenho para as próximas ações que incluem formação de facilitadores que irão promover os círculos nas escolas.
 
“Os conflitos, sem dúvida nenhuma, aumentaram após a pandemia. Imagina que os alunos ficaram afastados dos amigos, da escola e, algumas crianças nem chegaram a ocupar a sala de aula, principalmente aquelas com faixas de 3 a 4 anos, tendo um prejuízo imensurável na educação infantil. Aí quando essa criança se expõe ao ambiente escolar, o conflito acaba sendo levado para as demais etapas. Então, os círculos de paz vêm ajudar nesse contexto”, considerou o gestor.
 
O juiz coordenador do Nugjur, Tulio Dualib, enalteceu o envolvimento dos Poderes Executivo e Legislativo que tornaram Primavera do Leste como a primeira comarca a instituir as práticas restaurativas como política pública municipal de pacificação social.
 
“Diferentes autoridades participaram dos círculos nessa semana e sabemos que, com isso, eles passam a ajudar a implantar a política pública na comunidade. A Justiça Restaurativa não pertence com exclusividade ao Judiciário, ela pertence à comunidade”, afirmou.
 
Diretor do Foro da Comarca, juiz Alexandre Delicato Pampado, agradeceu o trabalho desenvolvido pelo Nugjur e afirmou que as ferramentas oferecidas tem contribuído para melhoria visível de situações complexas que acabam desaguando no Judiciário. A coordenadora do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania, Myrian Pavan Schenkel, reforçou a fala do diretor do Foro e acrescentou que vê o mesmo respaldo do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (Nupemec), presidido pelo desembargador Mario Kono. “O que mostra que todo o Tribunal de Justiça trabalha unido em fortalecer a pacificação social”, pontuou.
 
#Paratodosverem
Esta matéria possui recursos de texto alternativo para promover a inclusão das pessoas com deficiência visual.
Primeira imagem: Foto colorida onde estão as autoridades que participaram do evento.
Segunda imagem: Foto colorida onde aparece a desembargadora Clarice Claudino em pé segurando um microfone enquanto fala ao público. Ao lado dela estão o prefeito e o juiz diretor da Comarca.
Terceira imagem: Foro colorida onde aparece o juiz Tulio Dualib em pé, segurando um microfone e falando ao público.
Nos links abaixo você tem acesso a outras matérias sobre o tema:
 
 
Andhressa Barboza/ Fotos: Vinícius Balosio
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do Tribunal de Justiça
 
 
 

Fonte: Tribunal de Justiça de MT

Continue lendo

Tribunal de Justiça MT

Esmagis-MT inicia 2ª chamada do curso “Filosofia e nós com isso?” e lança curso “Estante do Clóvis”

Publicado

Na próxima segunda-feira (4 de julho), magistrados e magistradas que se inscreveram para dois cursos ofertados pela Escola Superior da Magistratura de Mato Grosso (Esmagis-MT) iniciarão a capacitação. A segunda chamada do curso “Filosofia e Nós com Isso?”, ministrado pelo professor Mario Sergio Cortella, e “Estante do Clóvis”, do professor Clóvis de Barros Filho, são os cursos on-line que estarão disponíveis aos inscritos.
 
Segundo o diretor-geral da Esmagis-MT, desembargador Marcos Machado, a iniciativa visa fomentar a reflexão filosófica, com ênfase na cidadania, dignidade da pessoa humana, ética, educação, igualdade e trabalho, fomentando o pensamento crítico com base em valores sociais e servindo como ferramenta de aprimoramento da prestação jurisdicional.
 
O curso do professor Mario Sergio Cortella apresenta disposição técnica sobre política, trabalho, mundo digital e outros temas sociais, com exercícios para análises e reflexões.
 
Já as aulas gravadas do professor Clóvis de Barros Filho têm o propósito de trazer questões filosóficas que possuam íntima relação com os temas enfrentados pelo operador do Direito, através de grandes pensadores como Platão, Aristóteles, Kant, Rousseau, Spinoza, Nietzsche, Sartre, Gramsci, Bauman e Bourdieu. Integra o curso a palestra “A ética e o lucro”.
 
Em ambos os casos, o acesso à plataforma será encaminhado via e-mail pela agência Sophya (responsável pelo conteúdo dos dois professores) na segunda-feira (4 de julho). São aulas gravadas, que poderão ser assistidas por meio de celular, notebook ou tablet. Há também a possibilidade de assistir ao conteúdo de maneira off-line, fazendo o uso do aplicativo Hotmart Sparkle.
 
Em cada curso, serão ofertadas 10 videoaulas, disponíveis entre o período de 4 de julho (termo inicial) e 30 de outubro (termo final para certificação). O certificado de conclusão do curso será encaminhado para todos os concluintes até o dia 1º de dezembro.
 
Magistrados inscritos que tiverem dúvida sobre a plataforma ou acesso ao curso deverão entrar em contato com a assessora Sarah Arruda, pelo telefone (65) 99273-8401.
 
Lígia Saito
Coordenadoria de Comunicação do TJMT
 
 

Fonte: Tribunal de Justiça de MT

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana