conecte-se conosco


Tecnologia

Nintendo anuncia Switch Lite; mais barato, menor e somente portátil

Publicado

Olhar Digital

A Nintendo anunciou o Nintendo Switch Lite, uma versão com menos recursos que a versão padrão, e que foca na somente na portabilidade – ele não pode ser ligado à TV. O novo console chega ao mercado no dia 20 de setembro e estará disponível em três cores: amarelo, cinza e azul turquesa.

Leia também: Fifa 20, GTA… Os jogos mais usados por criminosos para ocultar malware e vírus

Switch Lite arrow-options
Divulgação

Switch Lite chega em setembro por US$ 200 e vai estar disponível em três cores: amarelo, cinza e azul turquesa

Ele é menor do que o Switch convencional – a tela tem 5,5 polegadas, enquanto o primeiro modelo tinha 6,2 polegadas. A resolução é a mesma: 720p, embora isso varie dependendo do jogo que está rodando.

Ao contrário do console padrão, o Switch Lite não oferece a opção de desacoplar os controles, conhecidos como joy-cons, para que games que usam o sensor de movimento sejam jogados. Para jogar títulos como Pokémon Let’s Go, por exemplo, que necessitam que o controle esteja na mão dos usuários, os consumidores devem adquirir um par de joy-cons a parte.

Leia Também:  Não são só as três câmeras: inteligência artificial dá a Apple as melhores fotos

Leia também: Atenção visual e laços mais estreitos: veja por que continuar no mundo dos games

Para saber quais jogos rodam perfeitamente na nova versão portátil do Nintendo Switch, as capas dos jogos serão atualizadas com um símbolo que destaca essa compatibilidade. Os jogos que não puderem ser totalmente aproveitados no novo modelo também devem vir com algum tipo de identificação, para que o consumidor não seja induzido ao erro.

Por conta desse foco em jogabilidade portátil, o console não possui o dock para ser conectado na TV. Além disso, foram removidas algumas funções como o sistema de vibração e o sistema de reconhecimento de movimento.

Além dos Joy-Con fixos, outra alteração do console é a substituição dos quatro botões D-Pad presentes em um dos controles por um direcional digital padrão.

No vídeo de apresentação, Yoshiaki Koizumi, um dos principais responsáveis pela concepção do Nintendo Switch, explica as vantagens do console e mostra que o Switch Lite funciona da mesma forma que o console original, inclusive no que diz respeito ao sistema multiplayer.

Leia Também:  11 recursos do WhatsApp que você precisa começar a usar o quanto antes

Como dito, o Nintendo Switch Lite chega em setembro. Seu preço, obviamente, será menor do que a versão convencional. Ele custará US$200 (aproximadamente R$754 em conversão direta). A Nintendo vende jogos oficialmente no Brasil, mas até agora não trouxe unidades do Switch para vender por aqui – resta saber se, com o novo modelo Lite, essa história vai mudar.

Leia também: Jogos de videogame: vale mais a pena comprar a versão digital ou física? 

Confira o vídeo de apresentação do console:

Via: MS Power User

Fonte: IG Tecnologia
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Tecnologia

Publicado

source

Olhar Digital

celular aplicativos arrow-options
shutterstock

Veja quais aplicativos podem estar acabando com a bateria do seu iPhone


Os aparelhos da Apple são famosos por muitas razões. Seja por sua câmera, poder de processamento ou sistema operacional; mas uma coisa que incomoda alguns é a bateria dos dispositivos. Em alguns modelos a carga não dura muito tempo , o que obriga que ele seja carregado mais de uma vez por dia.

Um dos fatores que pode contribuir para isso é a otimização de alguns apps do sistema. Em muitos casos, um único aplicativo é o grande vilão dos usuários de iPhone . Pensando nisso, o site Yahoo listou cinco aplicativos famosos por “sugarem” a bateria dos aparelhos. Além de desmascará-los, a postagem oferece dicas de como modificar suas configurações para reestabelecer a vida útil da bateria.

Leia também: iPhones devem deixar de existir; veja qual gadget é a próxima aposta da Apple

Facebook

No caso do Facebook , um dos grandes problemas é o fato de ele rodar muitos processos em segundo plano. Um deles, o de rastrear a localização do usuário, é um dos menos utilizados, por isso, ele pode ser desabilitado enquanto o usuário não estiver precisando dele .

Leia Também:  Crianças francesas aprenderão sobre Bitcoin nas escolas

Além disso, o iPhone possui uma opção que atualiza a home dos aplicativos em segundo plano – o que é bastante útil no caso de apps de notícias, por exemplo, mas que, no caso do Facebook , pode ser desativado sem grandes problemas para o usuário.

Leia também: Vídeo compara primeiro iPhone com iPhone 11, mostrando evolução; assista

Desativar as notificações também é uma boa ideia , já que ele fica constantemente procurando por conteúdos relevantes ou interações de pessoas conhecidas para exibir. Por fim, desativar a opção de reprodução automática dos vídeos da plataforma pode ajudar e muito na recuperação da bateria e na otimização do aplicativo.

Google Maps

No caso do Google Maps , os ajustes são bem mais sutis, mas podem ser essenciais para a recuperação da vida útil da bateria.

A primeira alteração é na localização do aplicativo . Constantemente o app faz uma varredura para saber onde o usuário está, com isso, pode oferecer serviços personalizados. Mas a opção ideal para poupar bateria nesse caso é selecionar o item que faz com que o Maps pergunte toda vez que precisar usar a sua localização. Outra dica é desativar as notificações, pois muitas vezes elas não são necessárias.

Leia Também:  Não são só as três câmeras: inteligência artificial dá a Apple as melhores fotos

Leia também: Cidade italiana bane Google Maps depois de muita gente se perder

Snapchat

A primeira coisa, como nas opções anteriores, é desativar a localização do aplicativo . O Snapchat não depende da localização do usuário para funcionar, por esse motivo, ela não chega a ser tão necessária quanto no Google Maps , por exemplo.

Messenger

Para o caso do Messenger , é possível poupar alguma bateria – e armazenamento – trocando para a versão Lite do aplicativo . Ela é relativamente menor e possui as mesmas funções principais.

Leia também: Apple, Xiaomi e Huawei: veja quem ganha na disputa de câmeras

WhatsApp

Para o WhatsApp , a recomendação é a mesma: desabilitar as notificações . Elas são algumas das principais responsáveis pelo alto uso de bateria ao utilizar o aplicativo .

Fonte: IG Tecnologia
Continue lendo

Tecnologia

Publicado

source

Olhar Digital

aplicativo freddie mercury google arrow-options
Reprodução

Aplicativo compara sua voz com a de Freddie Mercury


Google , Queen e o Universal Music Group se uniram para criar o aplicativo FreddieMeter , que determina o quão perto você pode chegar da voz do cantor Freddie Mercury .

O aplicativo é uma colaboração da banda, do Creative Lab do Google e várias gravadoras. Foi projetado para analisar a voz de uma pessoa e comparar a afinação , timbre e melodia à do cantor. No fim, um resultado de 0 a 100 será mostrado na tela.

Leia também: Nest Mini, caixa de som inteligente do Google, chega ao Brasil por R$ 349; veja

Segundo o Google , o FreddieMeter usa novos modelos de aprendizado e foi treinado com a voz isolada de Mercury e com a de imitadores. O usuário, que não terá dados armazenados nos servidores , poderá escolher entre as músicas Bohemian Rhapsody, Don’t Stop Me Now, Somebody To Love e We Are The Champions.

O projeto também vai incentivar as pessoas a fazer uma doação ao Mercury Phoenix Trust, organização que luta por causas relacionadas ao HIV em todo o mundo. A instituição foi fundada pelos membros do Queen após a morte do cantor.

Leia Também:  WhatsApp, Facebook, Messenger, Twitter e Instagram têm problemas nesta quarta

Fonte: IG Tecnologia
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana