conecte-se conosco


Agro News

Municípios produtores de algodão, milho e soja têm maiores valores de PIB per capita

Publicado

Os municípios que lideram o valor da produção de algodão herbáceo, milho e soja apresentaram os maiores valores para o PIB per capita (Produto Interno Bruto por habitante) entre os principais municípios agrícolas. A conclusão é de estudo do Departamento de Financiamento e Informação da Secretaria de Política Agrícola, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

O estudo cruzou os dados da classificação dos municípios pela Pesquisa Agrícola Municipal (PAM), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com o PIB per capita de 2017. Foram selecionados 20 municípios produtores de soja, milho, feijão, cana-de-açúcar, café, algodão herbáceo, arroz, cacau e laranja, que representaram 59% do valor da produção do país.

“Nota-se que estes municípios têm um PIB per capita mais de duas vezes maior do que a média nacional (R$ 31.834,00). Campos de Júlio (MT) apresentou PIB per capita de R$ 190.239, seis vezes maior do que a média nacional. Sapezal (MT) teve um PIB per capita de R$ 103.552, em 2018, mais que três vezes o PIB per capita do país.”, salienta José Garcia Gasques, coordenador geral de Avaliação de Políticas e Informação do Mapa.

Outros municípios, como Diamantino (R$ 91.907) e Nova Ubiratã (R$ 90.449), também apresentaram PIB per capita muito superior à média nacional.

As regiões que lideram o valor da produção de algodão, milho e soja, são as que têm gerado a maior riqueza no campo, indicada pelo PIB. Numa posição abaixo, estão as áreas de cana de açúcar, feijão e laranja. As regiões com o mais baixo valor do PIB per capita são as áreas de café, cacau e arroz, com PIB per capita cerca de 20% a 30% abaixo da média nacional.

>>Veja aqui a íntegra do estudo da SPA

“Esses resultados mostram que as regiões que têm incorporado níveis crescentes de tecnologia também têm liderado a geração de renda na agricultura. Nessa corrida, produtos com maior dificuldade de deixar padrões tradicionais de produção estão ficando para trás, o que tem levado ao empobrecimento de importantes regiões brasileiras”, conclui Gasques.

Classificação dos principais municípios agrícolas segundo o PIB per capita (2017)*

grafico pib.png

*Valores em Reais (R$)/Fonte:SPA

Maiores economias agrícolas municipais do país

Os dados da Pesquisa Agrícola Municipal (PAM), divulgada em setembro do ano passado pelo IBGE, mostram que São Desidério (BA), Sapezal (MT) e Sorriso (MT) são os municípios com o maior valor de produção agrícola do país. São os principais produtores de algodão herbáceo, soja, milho, entre outros grãos, e campeões de geração de riqueza no campo. 

O órgão avaliou 38 culturas permanentes e 33 temporárias. Entre os 50 municípios com maior valor da produção agropecuária, 18 estão no Mato Grosso. 

O primeiro lugar do ranking pertence a São Desidério, situado a oeste da Bahia, com valor da produção de R$ 3,6 bilhões, em 2018, alta de 54,4% em relação ao ano anterior. Metade desse valor foi gerada pela soja, correspondendo a 1,6 milhão de toneladas. 

Na segunda posição de maior município produtor brasileiro está Sapezal, que fica a oeste de Mato Grosso, com R$ 3,3 bilhões (+28%). Além de produzir soja, girassol, feijão e arroz, seu principal produto é o algodão herbáceo, cujo valor da produção foi de R$ 1,8 bilhão, em 2018. 

Sorriso, localizado ao norte de Mato Grosso, saiu da primeira posição, em 2017, para a terceira, em 2018. O valor da produção somou R$ 3,3 bilhões, em 2018. O principal produto desse município é a soja, cuja produção foi de 2,2 milhões de toneladas, gerando um valor da produção de R$ 2 bilhões. Sorriso também é um importante produtor de milho, o primeiro do país, e de feijão. 

O estudo do IBGE representa uma importante fonte para acompanhamento das informações agropecuárias em nível municipal. “Esse estudo tem sido a base de diversos trabalhos sobre a agricultura brasileira, além de ser importante fonte de informação sobre os municípios”, avalia Gasques. 

Informações à ImprensaInez De Podestà
[email protected]

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agro News

Equipe da Aprosoja-MT atende centenas de produtores rurais no Dinetec

Publicado


Fortalecimento Institucional

Equipe da Aprosoja-MT atende centenas de produtores rurais no Dinetec

Em três dias de evento, a maior feira de negócios do Araguaia reuniu mais de 14 mil visitantes

14/01/2022

Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT) que representa mais de 7.500 produtores rurais marcou presença no Dia de Negócios e Tecnologias – DINETEC 2022, realizado nos dias 12, 13 e 14 de janeiro, em Canarana-MT. O evento recebeu mais de 14 mil visitantes, entre agricultores, expositores e público em geral.

O estande da Aprosoja-MT, durante os 3 dias de evento recebeu produtores rurais associados e visitantes de diversos municípios da região Leste. Na oportunidade, foram apresentadas as ações e projetos que a entidade desenvolve nas áreas de Sustentabilidade, Defesa Agrícola e Política Agrícola e Logística, além da criação do Centro Tecnológico Araguaia (Ctecno Araguaia), com mais de 100 cultivares, atualização cadastral, novas associações e retirada de brindes.

De acordo com Diego Sichoski, um dos organizadores do Dinetec, está é a 8ª edição da maior feira de negócios do Araguaia. “Aqui reunimos a diversidade de culturas do Brasil, máquinas, implementos, tecnologias, instrumentos, produtos, e mais uma infinidade de coisas, além de que esse ano tivemos recorde no número de expositores”.

O produtor rural e delegado da Aprosoja-MT, Mateus Goldoni, disse que esse é um evento de renome para a região Leste e traz muitas novidades no mercado do agro. Também salientou que, entidade fomentou junto aos seus associados a importância da Campanha alimente uma Vida. “Continuamos com esta campanha, pedimos aos produtores que ainda não fizeram sua doação, que é só acessar o site www.alimenteumavida.com.br.

Para o presidente do Sindicato Rural de Canarana, Alex Wisch, este ano o Dinetec superou as expectativas. “Tivemos um record de público e também de negociação com mais de 1 bilhão de reais. Conforme a região vai crescendo, cresce também seu potencial para expandir os negócios voltados para agronegócio, oferecendo novas tecnologias e abrindo horizontes aos nossos produtores rurais”, declarou Wisch.

“Canarana desponta nessa questão em ter uma vitrine tecnológica. Eventos como esses precisam ser valorizados, pois mostram o nosso setor, e a necessidade de ser mais valorizado, pois mesmo diante de uma crise sanitária não parou e segurou o país em meio tantas dificuldades. Aprosoja-MT é parceira para todo projeto que enalteça o produtor rural”, pontuou Cadore.

Dinetec – Realizado pela primeira vez em 2015, o Dia de Negócios e Tecnologias surgiu com o intuito de reunir em um só local, o maior número de empresas voltadas ao ramo agrícola e assim promover o fortalecimento da classe produtora, proporcionar o contato entre as empresas e clientes, prospectar e findar negócios, para o aquecimento da economia de Canarana e toda a região, em uma área de mais de 100 mil metros quadrados, movimentando milhões de reais em negócios. O evento é uma iniciativa da empresa Meta Consultoria Agrícola, com apoio do Sindicato Rural de Canarana e da Prefeitura de Canarana – MT.

Fonte: Rosangela Milles

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA

Continue lendo

Agro News

CITROS/CEPEA: Chuvas em SP favorecem desenvolvimento das laranjas

Publicado


Cepea, 14/01/2022 – As principais regiões citrícolas do estado de São Paulo têm registrado grandes volumes de chuvas desde dezembro. No período atual do desenvolvimento das laranjas de 2022/23 (enchimento dos frutos), a maior umidade deve garantir o crescimento ideal dos frutos e permitir um bom pegamento no caso das floradas mais tardias. Apesar de as precipitações recentes não reverterem por completo os impactos dos períodos da estiagem prolongada em 2020 e 2021, são um alento, já que podem resultar em aumento da produtividade nos pomares frente ao observado nas duas últimas safras. Por outro lado, a maior umidade eleva a necessidade de cuidados fitossanitários preventivos. Fonte: Cepea (www.cepea.esalq.usp.br)

Fonte: CEPEA

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana