conecte-se conosco


Política MT

Municípios atingidos por queimadas reclamam dos custos e querem apoio dos governos do Estado e Federal

Publicado

O presidente da AMM e a prefeita de Chapada dos Guimarães se reuniram com secretário adjunto de Defesa Civil de MT

Dezenas de municípios mato-grossenses estão sendo afetados pelos focos de queimadas que se alastram pelo estado neste período de estiagem. Considerando que as prefeituras estão tendo um alto custo para combater os incêndios e muitas não possuem equipamentos e equipes suficientes para realizar o trabalho, o presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios – AMM, Neurilan Fraga, reuniu-se nesta segunda-feira (16), com o secretário adjunto de Defesa Civil de Mato Grosso, coronel César Vieira, para tratar sobre medidas de apoio aos municípios pelo Governo do Estado. A prefeita de Chapada dos Guimarães, Thelma de Oliveira, que já decretou situação de emergência devido ao problema, também participou da reunião.

O presidente da AMM, Neurilan Fraga, disse que o problema é muito preocupante, pois os incêndios provocam danos ambientais, afetam a infraestrutura do município e prejudicam a saúde da população. “Os prefeitos estão tendo um alto custo para enfrentar essa situação e por isso viemos reivindicar apoio do Governo do Estado para que esses gastos sejam ressarcidos, sejam repassados mais recursos para atender essa demanda e para que seja elaborado um plano de ação para desencadear medidas preventivas para os próximos anos. Acreditamos que educação ambiental, criação de brigadas de incêndio, máquinas e equipamentos para combater o fogo, entre outras providências, podem contribuir muito para minimizar os impactos nas cidades mato-grossenses”, assinalou Fraga, sugerindo, ainda, que a Secretaria de Estado de Infraestrutura reconstrua as pontes destruídas pelo fogo nos municípios.

Neurilan disse que a demanda também será apresentada ao secretário nacional da Defesa Civil, coronel Alexandre Lucas, em Brasília, nesta quarta-feira (18). “Vamos sensibilizar o Governo Federal para que também apoie os municípios neste momento de dificuldade e adote medidas de suporte para que as prefeituras estejam mais preparadas nos próximos anos”, frisou.

A prefeita de Chapada dos Guimarães, Thelma de Oliveira, disse que a prefeitura já gastou cerca de R$1,3 milhão no combate aos incêndios. “Investimos esses recursos em combustível, alimentação das equipes, e outras áreas necessárias para viabilizar o combate ao fogo”, afirmou. A prefeitura de Chapada decretou situação de emergência no dia 12 de setembro nas áreas afetadas pela seca e incêndios nos parques, áreas de proteção ambiental e de proteção permanente nacionais, estaduais e municipais. Devido à quantidade de focos de incêndios constatados na zona rural e zona de expansão urbana do município, houve significativo impacto aos grandes e pequenos produtores rurais, com a perda da lavoura, danificação do solo, morte de semoventes, e danos às propriedades.

O secretário adjunto de Defesa Civil de Mato Grosso, coronel César Vieira, disse que o Governo do Estado está indo a campo para dar apoio técnico aos municípios, levantar a situação das localidades e assessorar na elaboração de um plano de trabalho para captação de recursos, além de apresentar as demandas ao Ministério do Desenvolvimento Regional. Vieira disse que três municípios já decretaram situação de emergência, sendo Chapada dos Guimarães, Novo São Joaquim e Canabrava do Norte. “No entanto, mais de 10 municípios  afetados pelo fogo já fizeram contato com a Defesa Civil. Em maior ou menor grau, todos os municípios são afetados pelas queimadas”, ponderou.

 

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Política MT

Gratuidade no traslado de cadáveres e restos mortais por pacientes regulados aguarda análise do Executivo

Publicado


.

Foto: ANGELO VARELA / ALMT

A proposição número 278/2020,  que passou recentemente por segunda votação dos deputados estaduais, é de autoria do parlamentar Dr. Eugênio (PSB) e prevê a gratuidade do traslado intermunicipal de cadáveres ou restos mortais humanos de pacientes registrados pela Central de Regulação do Estado de Mato Grosso (CRUE).

De acordo com o texto que aguarda sanção, “todos os serviços funerários preparatórios e de translado serão apoiados e garantidos na origem do óbito pelo serviço social, que poderá fazer convênio com as empresas de serviços funerários que tenham sede matriz no estado de Mato Grosso”.

Ainda, em justificativa, o parlamentar usa um exemplo. “A regulação de pacientes é uma ferramenta de democratização do acesso, onde por exemplo, um paciente do município de Vila Rica, na tríplice fronteira com os estados do Pará e do Tocantins, a mais de 1.260km da capital, tem o mesmo direito a ser internado no Hospital Santa Casa de Misericórdia, em Cuiabá, que procede atendimentos nas áreas de oncologia (tratamento de câncer), nefrologia (hemodiálise), UTIs adulto, pediátrica e neonatal, pronto-atendimento infantil, cirurgias pediátricas e cirurgia geral. Quando ocorre o óbito de um paciente para a família é um dos momentos mais tristes. Pode-se dizer, para a grande maioria, é uma tragédia, pois fora do domicílio, o que fazer?”, concluiu.

Fonte: ALMT

Continue lendo

Política MT

Pivetta mantém pré-candidatura ao Senado, critica postura de Carlos Fávaro e dispara: “Nesse país, tudo é possível”

Publicado

Vice-governador criticou as ações de Carlos Fávaro para assumir a vaga da ex-juiza Selma Arruda [F-Mayke Toscano]

O vice-governador Otaviano Pivetta (PDT), questionado pela imprensa durante a solenidade de assinatura de uma cooperação técnica entre governo e prefeituras, que vai garantir a construção de três mil novas habitações (casas populares) em 25 municípios do Estado, no Palácio Paiaguás, afirmou que mantém sua vontade de disputar a eleição do Senado em Mato Grosso. Pivetta também analisou a posse do senador Carlos Fávaro na vaga da senadora cassada Selma Arruda.

“Não mantenho candidatura porque não tem. Houve a convenção, mas foi tudo anulado. Vamos aguardar a justiça eleitoral divulgar as novas decisões. Eu mantenho sim, minha vontade de disputar. Vamos aguardar, tudo no seu tempo”, disse o vice-governador.

Sobre a posse de Carlos Fávaro no Senado, Pivetta foi direto: “Ele assumiu o Senado com uma liminar, uma decisão monocrática do presidente do Supremo Tribunal Federal. Quem elege senador é o povo, não é o presidente do STF. Daqui uns dias vai ter eleição, vamos lá”.

Pivetta fez questão de argumentar que não avalia de forma positiva e nem negativa a posse de Fávaro. “Não é avaliar negativo nem positivo. Entendo que cargo eletivo tem que ser assumido por pessoas que são eleitas. Esse negócio de tapetão, de buscar recurso e mais recurso na justiça, primeiro para derrubar, depois para assumir, é coisa anormal, não é nada convencional, portanto eu não me encanto com isso e nem me desencanto, nesse País tudo é possível”, argumentou.

Questionado sobre o fato de o governador Mauro Mendes (DEM) ter feito o pedido na justiça para empossar Carlos Fávaro, Pivetta disse que “ele (Mendes) é o governador e eu o vice. Ele entendeu que era interesse do Estado, agiu da forma que entendeu que era viável naquele momento. Eu não critiquei, estou falando do fato em si, não me encanto nem me desencanto com isso, o governador fez o que ele achava que era melhor”.

Pivetta argumentou ainda que não vê vantagem para Fávaro que, certamente, vai disputar a eleição suplementar do Senado. “Não vejo vantagem por ele estar no cargo e disputar a eleição. A população é soberana e saberá escolher o melhor para Mato Grosso”, completou.

No que diz respeito à pandemia do novo coronavírus, o vice-governador disse que “Mato Grosso, com as medidas que foram tomadas pelo governo, nós estamos conseguindo avançar com o mínimo de impacto possível da pandemia. Eu acredito que o governo fez sua parte, os municípios estão ajudando, todos conscientes, sem ninguém querendo fazer show e Mato Grosso está perdendo menos com isso. Estamos perdendo menos. A pandemia em Mato Grosso está muito bem administrada no que é de dever e o que está na decisão de governo”.

 

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana