conecte-se conosco


Internacional

Mudanças climáticas forçam 20 milhões por ano a deixarem suas casas

Publicado

Os desastres climáticos tornaram-se a principal causa da deslocação de pessoas em todo o mundo na última década e forçaram mais de 20 milhões por ano a deixarem as suas casas, alertou hoje a organização não governamental internacional Oxfam.

A organização apresentou hoje o relatório com o título “Obrigados a deixar as suas casas”, coincidindo com o dia em que começa, em Madrid, a Conferência das Nações Unidas sobre o Clima, que se prolonga até dia 13 e abordará temas como o apoio financeiro às comunidades afetadas pelos desastres naturais, inclusive aos deslocados afetados pela crise climática.

O documento da Oxfam adverte que atualmente é “três vezes mais provável que alguém seja forçado a deixar a sua casa por ciclones, inundações ou incêndios florestais do que por conflitos, e até sete vezes mais do que por terremotos ou erupções vulcânicas”.

Segundo a ONG, que analisou dados de 2008 a 2018, a Espanha é o terceiro país da Europa, depois da República Checa e da Grécia, com maior risco de a sua população ser forçada a deslocar-se por desastres provocados pelo clima.

Em particular, a Oxfam destacou no relatório que os mais vulneráveis são os cidadãos dos países pobres, que, apesar de serem “os que menos contribuíram para a poluição causada pelo CO2, são os que estão em maior risco”.

De acordo com a organização, o impacto da crise climática no mundo é desigual e a população dos países de rendimento médio-baixo e baixo, como Índia, Nigéria e Bolívia, tem quatro vezes mais probabilidades de ser forçada a deslocar-se como resultado de desastres naturais do que a que vive em países ricos, como os Estados Unidos.

Além disso, sete dos dez países com maior risco de movimentos internos de populações resultantes de fenômenos meteorológicos extremos são pequenos estados insulares em desenvolvimento.

Entre 2008 e 2018, em média, cerca de 5% da população de Cuba, República Dominicana e Tuvalu foi obrigada a deslocar-se, por ano, devido às condições climáticas extremas. “O equivalente a quase metade da população de Madrid”, destacou a Oxfam, acrescentando que as emissões per capita destas áreas são “um terço das emissões de países de rendimento elevado”.

O diretor executivo interino da Oxfam International, José María Vera, disse que são as “pessoas mais pobres, dos países mais pobres, que pagam o preço mais alto”.

Na conferência sobre o clima, espera-se que a ONU conclua a primeira revisão do Mecanismo Internacional de Varsóvia para Perdas e Danos, e ainda que os países em desenvolvimento “impulsionem a criação de um novo fundo para ajudar as comunidades a recuperarem-se e a reconstruírem os seus bens após as emergências climáticas. Os governos podem e devem tornar a Cimeira de Madrid importante. Devem comprometer-se a reduzir as emissões mais rapidamente e com mais força e a criar um novo fundo para perdas e danos que ajudará as comunidades pobres a recuperarem-se das consequências dos desastres climáticos”, concluiu José María Vera.

Edição: Carolina Gonçalves

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Internacional

Áustria lança projeto que transforma casa de Hitler em delegacia

Publicado


source
hitler
Getty Images/Reprodução

Uma ilustração mostra como será a antiga casa de Adolf Hitler em Braunau am Inn, na Áustria


As autoridades austríacas revelaram um projeto para transformar a casa onde Adolf Hitler nasceu em uma delegacia de polícia – enquanto tentam torná-la pouco atraente como local de peregrinação para pessoas que glorificam o ditador nazista, segundo a BBC.

Saiba mais: Polícia investiga presença de símbolo neonazista em protesto na Avenida Paulista

Um projeto de arquitetos austríacos venceu 11 concorrentes em um concurso do Ministério do Interior, disseram autoridades nesta terça-feira (2). Prevê-se que a reforma seja concluída no final de 2022 e custará cerca de 5 milhões de euros.

A casa de esquina amarela na cidade austríaca de Braunau am Inn, onde Hitler nasceu em 20 de abril de 1889, passou a pertencer ao governo em 2016.

Em 2017, o mais alto tribunal da Áustria decidiu que o governo poderia desapropriar o prédio depois que seu proprietário se recusou a vendê-lo.

O prédio abrigará o comando regional e uma delegacia. O design vencedor adota uma abordagem simples e modernizadora, mas não altera a substância do edifício original.

O edifício de três andares, relativamente modesto, foi alugado pelo Ministério do Interior da Áustria desde 1972 para evitar seu uso indevido e foi sublocado para várias organizações de caridade. Ele ficou vazio depois que um centro de atendimento a adultos com deficiência saiu em 2011.

Fonte: IG Mundo

Continue lendo

Internacional

Primeiro ministro canadense responde pergunta sobre Trump com silêncio; assista

Publicado


source
Justin Trudeau
reprodução

Justin Trudeau respondeu com pausa de 21 segundos quando questionado sobre ações de Trump

O Primeiro Ministro canadense, Justin Tredeau, respondeu com um longo silêncio quando foi perguntado sobre o presidente dos EUA, Donald Trump.

Leia mais:  “Ele nunca vai vê-la se formar ou no altar”, diz mãe da filha de George Floyd

As falas que geraram o silêncio de Trudeau foi que  os governadores deveriam ser mais firmes e ‘dominar’ os manifestantes que estão nas ruas do país  em protesto contra a morte de George Floyd e contra o racismo.

A pausa durou 21 segundos. Quando a pausa terminou, Trudeau optou por desviar a pergunta e não responde-lá diretamente.

Saiba mais:  Funeral de George Floyd é marcado para segunda-feira (8) no Texas

“Estamos assistindo com horror e consternação o que está acontecendo nos Estados Unidos”, disse Trudeau. E completou que o momento é de “unir as pessoas”.

Veja o vídeo na sequência:



Fonte: IG Mundo

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana