conecte-se conosco


Geral

MT cobra dinheiro de países ricos por preservação ambiental durante conferência em Madri

Publicado

Estados elencaram, dentre as prioridades para valorização da floresta, o investimento em biotecnologia para fortalecimento das cadeias produtivas sustentáveis

Mato Grosso iniciou as atividades na Conferência da ONU sobre o Clima (COP25) defendendo a inclusão social e melhoria de qualidade de vida da população que vive na Região Amazônica. O posicionamento foi consenso entre todos os Estados Nacionais e Subnacionais que abrigam florestas em seu território e participaram da reunião da Força Tarefa dos Governadores pelo Clima e Floresta (GDF Task Force), realizada na manhã desta segunda-feira (9), em Madri, na Espanha.

Estados do Brasil, México, Peru, Colômbia e Indonésia registraram as suas prioridades para nortear as ações dos fundos de investimento gerenciados pelo GCFpara a próximo ano.

“É importante deixar de pensar apenas em assistencialismo para promovermos o fortalecimento das cadeias produtivas, com investimento em biotecnologia, para que a população consiga viver da floresta e na floresta, conservando os recursos naturais com dignidade e igualdade social”, reforça a secretária de Estado de Meio Ambiente de Mato Grosso, Mauren Lazzaretti.

Após a reunião do GCF Task Force, a delegação mato-grossense seguiu para a Embaixada do Brasil em Madri para alinhamento da mensagem que será deixada pelo país na COP 25. Governo Federal, Estados e Senado Federal buscam coalizão no discurso para que o Brasil possa receber pelos serviços ambientais prestados nos últimos 15 anos com a redução do desmatamento.

Durante a reunião, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, elencou que as prioridades de atuação do Brasil são: regularização fundiária; zoneamento socioecológico e econômico; biotecnologia voltada para fortalecimento das cadeias produtivas sustentáveis; comando e controle para combate da exploração e desmatamento ilegais e pagamento por serviços ambientais por serviços ambientais já prestados e reduções que ainda poderá ocorrer.

Nesta tarde, o vice-governador Otaviano Pivetta se reúne com representantes dos Estados Subnacionais para discutir o papel da inovação para implementação de estratégias em prol das florestas e da proteção do clima. Na terça e quarta-feira (10 e 11.12), Pivetta representa Mato Grosso no Fórum dos Governadores da Amazônia Legal na COP 25, ambiente de discussão implementado pelo Consórcio Interestadual da Amazônia Legal.

Ainda na programação desta segunda-feira, a secretária Mauren Lazzaretti participa de debate sobre o papel do financiamento e tecnologia para impulsionar uma mudança sustentável e com igualdade de gênero. A mesa conta com a participação de lideranças femininas de diversos países como Indonésia e Quênia em prol da proteção do clima e é organizada pelo Centro Internacional de Investigação Florestal (Cifor), World Agroforestry Centre (Icraf) e The Center for People and Forests (Recoftc).

Além de Pivetta e da secretária Mauren, participam da COP25 pelo Governo de Mato Grosso, o secretário executivo da Sema, Alex Sandro Marega; o diretor-executivo do Instituto Produzir Conservar e Incluir (PCI), Fernando Sampaio; a coordenadora do Programa REM-MT e analista de Meio Ambiente, Ligia Vendramin; e a assessora de relações internacionais, Rita Chiletto representante da federação indígena, Crisanto Rudzö Tseremey’wá.

Pioneirismo

Mato Grosso é pioneiro na redução do desmatamento e nas emissões de gás carbônico. De acordo com o Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe), de 2004 a 2019 Mato Grosso reduziu o desmatamento em 86% na porção amazônica de seu território. De acordo com as Resoluções da Comissão Nacional Sobre REDD+ (CONAREDD+), nº 6/2017 e 14/2018, o Estado tem reduções verificadas de 1.152.107.791,26 toneladas de CO2, entre 2006 e 2017.

Por conta dessa significativa redução, Mato Grosso foi contemplado em 2017 com o programa REDD+ Early Movers – REM Mato Grosso, um programa de pagamento por resultados do governo da Alemanha e do Reino Unido para jurisdições pioneiras na redução do desmatamento. Os investimentos visam impulsionar as ações de combate ao desmatamento e valorização da floresta em pé.

De acordo com o Instituto Earth Innovation, de 39 jurisdições que abrigam florestas tropicais em seu território, Mato Grosso é a única que mantém uma ampla gama de iniciativas mais avançadas que abordam a produção pecuária e agrícola de grande e pequeno porte.

Essas iniciativas estão todas elencadas dentro da Estratégia Produzir, Conservar e Incluir (PCI), lançada na COP 21 em Paris, que inclui 21 metas claras para aliar produção com conservação ambiental e inclusão social. As metas foram desenvolvidas por meio de processos participativos que incluíram atores de setores públicos, privados e sem fins lucrativos e buscam o desmatamento líquido zero em todo o estado e zerar emissões líquidas de carbono florestal até 2030, mantendo aproximadamente 6 gigatoneladas de CO2 fora da atmosfera, além de manter no mínimo 60% da cobertura vegetal nativa.

 

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Várzea Grande passa a marca de cinco mil curados do novo coronavírus

Publicado

No início da noite desta sexta-feira, foi registrado o número exato de 5.005 mil curados residentes no município

A prefeita Lucimar Sacre de Campos e o Comitê de Enfrentamento ao Novo Coronavírus comemoraram no princípio da noite desta sexta-feira (14) a marca de 5.005 mil residentes em Várzea Grande curados da COVID 19.
“Em tempos de pandemia, uma notícia alvissareira como essa é sempre bom de ser comemorada e nos estimula a continuar enfrentando a doença e alguns setores que tentam politizar um assunto tão sério e que afeta a
todos indistintamente “, disse Lucimar Sacre de Campos assinalando que muitos apontam os dedos, mas são poucos que arregaçam as mangas para trabalhar em prol do povo.
Ela ponderou que diariamente medidas estão sendo adotadas, mas dentro da nova realidade, pois a COVID 19 ainda é uma enfermidade que tem seus caminhos pouco conhecidos e que provoca reações diferentes em cada pessoa, em cada ser humano.
Lucimar Campos voltou a defender de forma paulatina e responsável, a retomada de setores da economia que acabaram estagnados por causa do momento vivenciado e ponderou que já está comprovado que se pode flexibilizar as medidas desde que todos se conscientizem de que facilitar a retomada econômica, não pode vir acompanhada de se relaxar as medidas de biossegurança como o uso constante de máscaras, de meios de higienização, de distanciamento e de outras medidas que evitam a propagação da doença.
“Volto a frisar que este momento é importante, pois temos menos de 5,9 mil casos e mais de 5.005 curados e isto demonstra que melhoramos nosso desempenho, avançamos no combate a doença e estamos também paulatinamente, tentando adotar novas medidas que ajudem a população, o comércio e a indústria a retomarem sua normalidade”, disse a prefeita de Várzea Grande.
Ela lamentou que existem setores considerados importantes como o das escolas que ainda não poderão voltar a funcionar, mas isto será passageiro e vai ser superado, mas com responsabilidade.
“Vamos vencer a pandemia porque nos unimos e buscamos o bem comum de todas as pessoas, pois a COVID 19 não vê cor, raça, religião e, portanto, estamos estimulados para vencer mais este obstáculo que afeta a cidade e todas as pessoas indistintamente”, disse Lucimar Sacre de Campos.

 

 

 

 

Continue lendo

Geral

Mato Grosso registra 72.141 casos e 2.336 mortes por coronavírus; quase 50 mil pacientes estão recuperados

Publicado


Nas últimas 24 horas foram notificadas 34 mortes e 1.433 novos casos de covid

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta sexta-feira (14), 72.141 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 2.336 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado. Nas últimas 24 horas. foram registradas 34 mortes e 1.433 novas confirmações de coronavírus no Estado. Dos 72.141 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 20.096 estão em monitoramento e 49.709 estão recuperados. 

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 275 internações em UTIs públicas e 279 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 70,98% para UTIs adulto e em 31,56% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19, estão: Cuiabá (14.883), Várzea Grande (5.782), Rondonópolis (4.681), Lucas do Rio Verde (3.658), Sorriso (3.568), Tangará da Serra (3.194), Sinop (2.573), Primavera do Leste (2.248), Nova Mutum (1.670) e Campo Novo do Parecis (1.405). 

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos de coronavírus em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo Covid-19, disponível neste link.

Os dados ainda apontam que um total de 66.106 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 1.873 amostras em análise laboratorial. 

Cenário nacional

Na última quinta-feira (13), o Governo Federal confirmou 3.224.876 casos da Covid-19 no Brasil e 105.463 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 104.201 óbitos e 3.164.785 casos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus. 

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou a atualização desta sexta-feira (14).

Recomendações

Atualmente, não existe vacina para prevenir a infecção pelo novo coronavírus. A melhor maneira de prevenir a infecção é evitar ser exposto ao vírus. Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca do novo coronavírus. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana