conecte-se conosco


Geral

MT cobra dinheiro de países ricos por preservação ambiental durante conferência em Madri

Publicado

Estados elencaram, dentre as prioridades para valorização da floresta, o investimento em biotecnologia para fortalecimento das cadeias produtivas sustentáveis

Mato Grosso iniciou as atividades na Conferência da ONU sobre o Clima (COP25) defendendo a inclusão social e melhoria de qualidade de vida da população que vive na Região Amazônica. O posicionamento foi consenso entre todos os Estados Nacionais e Subnacionais que abrigam florestas em seu território e participaram da reunião da Força Tarefa dos Governadores pelo Clima e Floresta (GDF Task Force), realizada na manhã desta segunda-feira (9), em Madri, na Espanha.

Estados do Brasil, México, Peru, Colômbia e Indonésia registraram as suas prioridades para nortear as ações dos fundos de investimento gerenciados pelo GCFpara a próximo ano.

“É importante deixar de pensar apenas em assistencialismo para promovermos o fortalecimento das cadeias produtivas, com investimento em biotecnologia, para que a população consiga viver da floresta e na floresta, conservando os recursos naturais com dignidade e igualdade social”, reforça a secretária de Estado de Meio Ambiente de Mato Grosso, Mauren Lazzaretti.

Após a reunião do GCF Task Force, a delegação mato-grossense seguiu para a Embaixada do Brasil em Madri para alinhamento da mensagem que será deixada pelo país na COP 25. Governo Federal, Estados e Senado Federal buscam coalizão no discurso para que o Brasil possa receber pelos serviços ambientais prestados nos últimos 15 anos com a redução do desmatamento.

Durante a reunião, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, elencou que as prioridades de atuação do Brasil são: regularização fundiária; zoneamento socioecológico e econômico; biotecnologia voltada para fortalecimento das cadeias produtivas sustentáveis; comando e controle para combate da exploração e desmatamento ilegais e pagamento por serviços ambientais por serviços ambientais já prestados e reduções que ainda poderá ocorrer.

Leia Também:  Prefeito lança obra de 5,6 km de asfalto no bairro Dom Bosco

Nesta tarde, o vice-governador Otaviano Pivetta se reúne com representantes dos Estados Subnacionais para discutir o papel da inovação para implementação de estratégias em prol das florestas e da proteção do clima. Na terça e quarta-feira (10 e 11.12), Pivetta representa Mato Grosso no Fórum dos Governadores da Amazônia Legal na COP 25, ambiente de discussão implementado pelo Consórcio Interestadual da Amazônia Legal.

Ainda na programação desta segunda-feira, a secretária Mauren Lazzaretti participa de debate sobre o papel do financiamento e tecnologia para impulsionar uma mudança sustentável e com igualdade de gênero. A mesa conta com a participação de lideranças femininas de diversos países como Indonésia e Quênia em prol da proteção do clima e é organizada pelo Centro Internacional de Investigação Florestal (Cifor), World Agroforestry Centre (Icraf) e The Center for People and Forests (Recoftc).

Além de Pivetta e da secretária Mauren, participam da COP25 pelo Governo de Mato Grosso, o secretário executivo da Sema, Alex Sandro Marega; o diretor-executivo do Instituto Produzir Conservar e Incluir (PCI), Fernando Sampaio; a coordenadora do Programa REM-MT e analista de Meio Ambiente, Ligia Vendramin; e a assessora de relações internacionais, Rita Chiletto representante da federação indígena, Crisanto Rudzö Tseremey’wá.

Pioneirismo

Mato Grosso é pioneiro na redução do desmatamento e nas emissões de gás carbônico. De acordo com o Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe), de 2004 a 2019 Mato Grosso reduziu o desmatamento em 86% na porção amazônica de seu território. De acordo com as Resoluções da Comissão Nacional Sobre REDD+ (CONAREDD+), nº 6/2017 e 14/2018, o Estado tem reduções verificadas de 1.152.107.791,26 toneladas de CO2, entre 2006 e 2017.

Leia Também:  Nova licitação do transporte coletivo de Cuiabá será aberta nesta sexta-feira

Por conta dessa significativa redução, Mato Grosso foi contemplado em 2017 com o programa REDD+ Early Movers – REM Mato Grosso, um programa de pagamento por resultados do governo da Alemanha e do Reino Unido para jurisdições pioneiras na redução do desmatamento. Os investimentos visam impulsionar as ações de combate ao desmatamento e valorização da floresta em pé.

De acordo com o Instituto Earth Innovation, de 39 jurisdições que abrigam florestas tropicais em seu território, Mato Grosso é a única que mantém uma ampla gama de iniciativas mais avançadas que abordam a produção pecuária e agrícola de grande e pequeno porte.

Essas iniciativas estão todas elencadas dentro da Estratégia Produzir, Conservar e Incluir (PCI), lançada na COP 21 em Paris, que inclui 21 metas claras para aliar produção com conservação ambiental e inclusão social. As metas foram desenvolvidas por meio de processos participativos que incluíram atores de setores públicos, privados e sem fins lucrativos e buscam o desmatamento líquido zero em todo o estado e zerar emissões líquidas de carbono florestal até 2030, mantendo aproximadamente 6 gigatoneladas de CO2 fora da atmosfera, além de manter no mínimo 60% da cobertura vegetal nativa.

publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Geral

Estado receberá mais de R$ 3 milhões para instalar oficinas em unidades penais

Publicado

A Secretaria Adjunta de Administração Penitenciária (SAAP) da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT) instalará 15 oficinas de trabalho em estabelecimentos penais de Mato Grosso. Serão trabalhadas habilidades em artefatos de concreto, panificadora, marcenaria e manutenção de ar condicionado junto aos reeducandos. O objetivo é ampliar vagas de trabalho, gerando capacitação profissional e possibilidade de renda e remição de pena.

A iniciativa é fruto de um convênio firmado pelo Governo do Estado com o Departamento Penitenciário Nacional (Depen), do Ministério da Justiça e Segurança Pública. Este é o 5º Ciclo do Projeto de Capacitação Profissional e Implantação de Oficinas Permanentes (Procap), que prevê investimento de R$ 3.647.054,20 em recursos da União e contrapartida de R$ 3.647,05 por parte do Executivo Estadual.

O valor será repassado de forma fracionada, até 2022, sendo que R$1.978.892,01 já foi empenhado em dezembro de 2019 e já está na conta do Estado. A vigência do convênio será até 27 de junho de 2022. A SAAP dará início agora aos processos de aquisição dos equipamentos para proceder a instalação das oficinas.

Leia Também:  Várzea Grande investe quase R$ 52 milhões na Saúde

Serão contempladas as seguintes unidades penais: Penitenciária Central do Estado (PCE); Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC); Penitenciária Major PM Zuzi Alves da Silva (Água Boa); Penitenciária Dr. Osvaldo Florentino Leite Ferreira (Sinop); Penitenciária Feminina Ana Maria do Couto May; Centros de Detenção Provisória (CDP´s) de Juína, Pontes e Lacerda, Tangará da Serra, Peixoto de Azevedo e Várzea Grande; e Cadeias Públicas de Cáceres e de Sorriso.

A escolha das unidades visou abranger o maior número de pessoas e também a vocação local e futuras parcerias para a continuidade dos projetos. O Governo do Estado participou de ciclo anterior com oficinas de costura e panificação na PCE; Penitenciárias Ana Maria do Couto, de Sinop e de Rondonópolis; CRC; CDP de Juína; e nas Cadeias Públicas: Feminina de Nortelândia, de Barra do Garças, de Cáceres, de Primavera do Leste e de Peixoto de Azevedo.

“O convênio é muito importante, pois garante aos privados de liberdade qualificação profissional para que possam ter uma alternativa de trabalho quando saírem das unidades. Além disso, como o objetivo das oficinas é que sejam sustentáveis, podem garantir serviços também para a sociedade com o material a ser produzido, a exemplo do que ocorre em algumas unidades que confeccionam uniformes escolares para a rede municipal”, frisa a superintendente de Política Penitenciária da Sesp-MT, Michelli Monteiro.

Leia Também:  Nova licitação do transporte coletivo de Cuiabá será aberta nesta sexta-feira

.

Continue lendo

Geral

Aaeronave agrícola sofre pane, cai em plantação de soja no interior e mata piloto

Publicado

A aeronave ficou parcialmente destruída / Foto: Reprodução

Uma aeronave de pequeno porte PT PR AS, da empresa aliança, sofreu uma pane e terminou caindo, quando fazia pulverização em uma das muitas fazendas, na região de  Guiratinga (cidade que fica localizada a 332 quilômetros de Cuiabá), ao médio-sul do Estado.

As informações ainda são desencontradas, mas há a confirmação da morte do piloto, segundo as autoridades que atenderam à ocorrência. A sua identidade ainda não foi checada. Não houve explosão.

O pequeno avião ficou totalmente avariado com o choque ao solo. Com o impacto, uma das rodas do trem de pouso quebrou e foi arremessada da aeronave.

Leia Também:  Cuiabá realiza seletivo para Secretaria de Agricultura neste domingo
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana