conecte-se conosco


Internacional

Moreno diz ter negociado condições para entregar Assange

Publicado

Em um vídeo divulgado na manhã de hoje (11), o presidente do Equador, Lenín Moreno, informa que negociou com autoridades da Grã-Bretanha as condições para entregar à Justiça o fundador do site Wikileaks, o australiano Julian Assange.

A Polícia Metropolitana londrina confirmou ter detido Assange, de 47 anos, esta manhã, depois que a embaixada equatoriana permitiu sua entrada no prédio, onde o fundador do Wikileaks estava abrigado desde 2012, a fim de evitar sua extradição para os Estados Unidos.

“Respeitando aos direitos humanos e ao direito internacional, solicitei à Grã-Bretanha a garantia de que Assange não seria entregue a um país onde possa sofrer torturas ou pena de morte. O governo da Grã-Bretanha confirmou [aceitar a condição] por escrito, em cumprimento a suas próprias normas”, disse Moreno.

Ameaças

O presidente afirmou que membros do Wikileaks fizeram ameaças ao governo equatoriano. Ao longo dos últimos anos, o site divulgou documentos sigilosos vazados por integrantes de vários governos e empresas multinacionais.

“Há dois dias, o Wikileaks ameaçou ao governo do Equador. Meu governo não tem nada que temer. Não atua sob ameaça. O Equador se guia pelos princípios do direito, cumpre as normas internacionais e cuida dos interesses do povo equatoriano”, assegurou Moreno.

O presidente equatoriano também acusou Assange de infringir as condições estabelecidas para que permanecesse protegido na embaixada em Londres.

“Por seis anos e dez meses, o povo equatoriano garantiu os direitos humanos e cobriu suas necessidades cotidianas em nossa embaixada em Londres”, disse Moreno.

Conduta

Ele justificou sua decisão à “conduta desrespeitosa e agressiva” e às “declarações descorteses e ameaçadoras” que Moreno entende que Assange fez contra o Equador.

“O Equador cumpriu com suas obrigações dentro do marco do direito internacional. O senhor Assange violou reiteradamente as disposições expressas em convenções internacionais sobre asilo diplomático, particularmente a de não intervir em assuntos internos de outros estados”, acrescentou o presidente.

De acordo com Moreno, “a paciência equatoriana chegou ao limite” e a manutenção do asilo diplomático concedido a Assange tornou-se “insustentável e inviável”.

“Nosso governo respeita os princípios do direito internacional, incluindo a instituição do asilo político, mas concedê-lo ou retirá-lo é uma faculdade da soberania nacional. Assim, o Equador, soberanamente, dá por finalizado o asilo concedido ao senhor Assange em 2012.”

Denúncia

Segundo Moreno, Assange instalou equipamentos eletrônicos não permitidos no prédio da embaixada, bloqueou as câmeras de segurança da embaixada, agrediu e maltratou vigilantes da missão diplomática e acessou arquivos de segurança da embaixada, sem permissão.

No Twitter, o ex-presidente equatoriano Rafael Correa criticou a decisão de Moreno, afirmando que é uma “covardia”. Para Correa, que concedeu abrigo a Assange, a atitude do presidente equatoriano não será esquecida pela humanidade.

“Um dos atos mais atrozes fruto de servilismo, vileza e vingança. A história será implacável com o culpado de algo tão atroz”, disse Correa. Segundo ele, a decisão foi tomada porque o Wikileaks publicou denúncia de corrupção envolvendo Moreno.

 

Edição: Luiza Damé

Fonte: EBC Internacional
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Internacional

Número de mortes por coronavírus chega a 2.788 casos na China

Publicado

Autoridades do setor de saúde da China disseram que, na quinta-feira (27), mais 44 pessoas morreram por causa do novo coronavírus, elevando o número total de mortes na China continental para 2.788. Muitas das mortes ocorreram na província de Hubei, o epicentro do surto.

As autoridades disseram que o número total de pessoas infectadas com o vírus na China é, atualmente, de 78.824, incluindo os 327 novos casos.

A mídia chinesa diz que 3.622 pessoas tiveram alta de hospitais na quinta-feira, indicando que o número excedeu a marca de 3 mil pela primeira vez.

O The Global Times, jornal afiliado ao Partido Comunista Chinês, disse que o número de novos casos na China tem diminuído nestes últimos dias, mas a situação poderá mudar quando muitas companhias reiniciarem suas atividades comerciais.

Ainda segundo o jornal, pessoas do exterior que entram na China poderão propagar o vírus, uma vez que o número de pessoas infectadas está se elevando ao redor do mundo, e exorta o público a tomar medidas de prevenção.

Contágio no Japão

Em Hokkaido, no norte do Japão, as autoridades suspeitam que algumas pessoas contraíram o novo coronavírus numa feira comercial realizada na província duas semanas atrás.

Na quinta-feira, autoridades informaram que um homem na faixa dos 70 anos tem o vírus e está em estado grave. Ele foi à feira de utilidades domésticas realizada em Kitami, uma cidade na costa do mar de Okhotsk.

Eles informaram que cinco outras pessoas que estão com o vírus também estiveram na feira comercial.

Os funcionários suspeitam que o contágio simultâneo pode ter ocorrido no evento, envolvendo um grupo de pessoas maior do que famílias ou colegas de trabalho.

Acredita-se que cerca de 700 pessoas participaram da feira comercial durante três dias, a partir do dia 13 de fevereiro, incluindo o tempo gasto nas preparações.

Autoridades de Hokkaido estão tentando encontrar, urgentemente, pessoas que tiveram um contato próximo com os visitantes para descobrir as rotas de infecção.

Sessenta e três casos do novo coronavírus foram confirmados em Hokkaido, o maior número no Japão, com exceção dos casos no navio de cruzeiro Diamond Princess, que está ancorado sob quarentena em Yokohama. 
 

Edição: –

Fonte: EBC Internacional
Continue lendo

Internacional

Papa suspende parte da agenda por causa de um leve resfriado

Publicado

O papa Francisco celebrou missa na manhã de hoje (28), cumprimentou os participantes, mas decidiu adiar as audiências oficiais desta sexta-feira, por causa de um leve resfriado. Ontem (27), o papa cancelou uma reunião com padres que seria realizada fora do Vaticano.

“O Santo Padre celebrou a missa nesta manhã e, no final, como de costume, cumprimentou os participantes, mas decidiu adiar as audiências oficiais de hoje”, disse o porta-voz do Vaticano, Matteo Bruni, em resposta a uma consulta da Télam.

Bruni se referia à missa tradicional que o pontífice celebra na Capela de Santa Marta, na residência onde mora no Vaticano. “As reuniões na Casa de Santa Marta continuam regularmente”, acrescentou Bruni, confirmando a suspensão das reuniões oficiais do Palácio Apostólico.

Ontem, “devido a uma leve indisposição”, o papa havia cancelado uma reunião com padres que estava programada para a Basílica São João de Latrão.

O papa Francisco, de 83 anos, planeja sair no domingo (1º) para um retiro espiritual de seis dias com membros da Cúria Romana na cidade de Ariccia, a 30 quilômetros do Vaticano.

Fonte: EBC Internacional
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana