conecte-se conosco


Saúde

Moradores de comunidade quilombola no Vale do Ribeira são vacinados

Publicado


Moradores do Quilombo Ivaporunduva, município de Eldorado, na região do Vale do Ribeira, interior paulista, foram vacinados contra a covid-19 neste sábado (23). Foi a primeira comunidade quilombola a ser vacinada no estado.

A primeira moradora a receber a dose do imunizante foi Benedita Ferreira da Silva, de 77 anos: “Nós queremos saúde. Já estamos cansados desse combate da doença. Sinto saudade de quando podia estar na igreja, rezando, ir na casa dos amigos. Agora é mais difícil, tem que usar máscara e álcool”, disse ela, que mora com dois filhos e três netos.

Benedito Alves da Silva, 65, que integra a coordenação da associação da comunidade, foi vacinado na sequência. “É muito importante essa vacina, não só para o Quilombo de Ivaparunduva, mas para todas as comunidades quilombolas do nosso estado. É uma doença devastadora. Então, é muito importante que essa vacina venha para a gente poder retomar o nosso trabalho, a nossa roça, a nossa conversa no final da tarde.”

À região do Vale do Ribeira, foram enviadas 2,7 mil doses para o início da campanha. Os serviços de saúde municipais da região serão responsáveis pelas estratégias de vacinação para alcançar mais de mil famílias de comunidades quilombolas localizadas nos municípios de Iporanga, Cananéia, Itaoca, Barra do Turvo, Miracatu, Iguape, Eldorado, Jacupiranga e Registro.

“Em Eldorado, iniciamos a vacinação nas comunidades Quilombolas de SP no Quilombo Ivaporunduva. Vacinamos 300 Quilombolas que vivem em extrema vulnerabilidade”, escreveu em suas redes sociais o governador, que acompanhou o início da imunização na região.

Os quilombolas foram incluídos entre os grupos prioritários da primeira fase do Plano Estadual de Imunização (PEI). Neste primeiro momento, também receberão as doses da vacina profissionais de saúde, idosos com mais de 60 anos e pessoas com deficiência com mais de 18 anos vivendo em instituições de longa permanência e indígenas aldeados.

Edição: Juliana Andrade

Fonte: EBC Saúde

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Uso de máscara e medidas restritivas reduziram casos de covid-19 nos EUA

Publicado


source
Uso de máscaras foi associado a uma redução de 0,7 ponto percentual nas taxas diárias de mortes de covid-19
Reprodução/Pixabay

Uso de máscaras foi associado a uma redução de 0,7 ponto percentual nas taxas diárias de mortes de covid-19


Um estudo do Centro de Controle e Prevenção de Doença s dos Estados Unidos ( CDC na sigla em inglês) mostrou que, nos condados onde o uso de máscaras é obrigatório, as taxas de casos e mortes pela covid-19  diminuíram. Já em condados onde são permitidas refeições em restaurantes no estabelecimento, o número parece crescer. 

A pesquisa publicada na sexta-feira (5), acompanhou de perto as mudanças nas taxas de crescimento de casos e mortes pelo do novo coronavírus em condados antes e depois da implementação da obrigatoriedade do uso do equipamento de proteção e a autorização para jantares em restaurantes, entre março a dezembro de 2020. 

De acordo com o estudo, de 1º de março a 31 de dezembro, exigir que as pessoas usassem máscara fora de casa ou em lojas de varejo e restaurantes estava ligado a uma redução de 0,5 ponto percentual na taxa de crescimento diário de casos da doença por até 20 dias depois que a ordem foi determinada. Diminuições de até 1,8 pontos percentuais foram observadas até 100 dias depois. 


Você viu?

O uso obrigatório de máscaras foi associado a uma redução de 0,7 ponto percentual nas taxas diárias de mortes de covid-19 até 20 dias após a implementação e diminuições de até 1,9 pontos percentuais até 100 dias depois, respectivamente. Já em refeições em restaurantes, as mudanças nas taxas de crescimento diário para casos e mortes não foram estatisticamente significativas até 40 dias depois das restrições terem sido suspensas, de acordo com o estudo.

Mas, permitir refeições em restaurantes foi associado a aumentos de 0,9, 1,2 e 1,1 ponto percentual em casos de até 60, 80 e 100 dias, respectivamente, depois que as restrições foram suspensas, descobriram os estudiosos. A permissão de refeições em restaurantes foi associada a aumentos de 2,2 e 3 pontos percentuais na taxa de crescimento de mortalidade da doençade 61 a 80 e 81 a 100 dias, respectivamente, depois que as restrições foram suspensas.

“A obrigatoriedade do uso de máscara e restringir qualquer refeição no local em restaurantes pode ajudar a limitar a transmissão da covid-19 pela comunidade e reduzir as taxas de crescimento de casos e mortes. Essas descobertas podem informar as políticas públicas para reduzir a disseminação da covid-19 pela comunidade”, relata o estudo. 

A pesquisa foi divulgada no momento em que vários estados dos Estados Unidos estão aumentando a capacidade dos negócios e se preparando para suspender a obrigatoriedade do uso de máscaras, como o Texas e o Mississippi. 

Fonte: IG SAÚDE

Continue lendo

Saúde

Covid-19: mortes ultrapassam 265 mil e casos chegam a 11 milhões

Publicado


O número de pessoas mortas pela covid-19 no Brasil subiu para 265.411. Nas últimas 24 horas, foram registrados 1.086 novos óbitos. Há ainda 2.875 óbitos em investigação no país.

O total de pessoas infectadas pelo novo coronavírus (covid-19) desde o início da pandemia chegou a 11.019.344. Em 24 horas, foram confirmados pelas autoridades sanitárias 80.508 novos casos.

Os dados estão na atualização diária do Ministério da Saúde, divulgada na noite deste domingo (7). O balanço é produzido a partir de informações fornecidas pelas secretarias estaduais de saúde.

Há, ao todo, 996.755 pessoas com casos ativos da doença em acompanhamento por profissionais de saúde e 9.757.178 pacientes já se recuperaram.

Estados

Na lista de estados com mais mortes estão São Paulo (61.463), Rio de Janeiro (33.717), Minas Gerais (19.523) e Rio Grande do Sul (13.449). As unidades da Federação com menos óbitos são Acre (1.063), Amapá (1.156), Roraima (1.167), Tocantins (1.584) e Sergipe (3.023).

Em número de casos, São Paulo também lidera (2.113.738), seguido por Minas Gerais (922.573), Paraná (725.797), Bahia (714.005), Santa Catarina (707.501) e Rio Grande do Sul (688.846).

Situação epidemiológica 07.03.2021 Situação epidemiológica 07.03.2021

Situação epidemiológica 07.03.2021 – Divulgação/Ministério da Saúde

Edição: Fernando Fraga

Fonte: EBC Saúde

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana