conecte-se conosco


Carros e Motos

Mini Cooper SE: aceleramos a grata surpresa 100% elétrica

Publicado


source
Mini Cooper SE é o primeiro de vários modelos 100% elétricos que estão previstos para o Brasil
Divulgação

Mini Cooper SE é o primeiro de vários modelos 100% elétricos que estão previstos para o Brasil

A Mini tem um plano de eletrificação ousado para essa década. A fabricante britânica deverá lançar seu último modelo com motor a combustão em 2025. Em meados de 2027, os executivos esperam que mais de 50% das vendas globais sejam de produtos elétricos. Até 2030, todo o catálogo global da Mini será formado apenas por veículos movidos que não gastam uma gota de combustível.

Leia também

O primeiro capítulo dessa história acaba de desembarcar no Brasil, com o lançamento do Cooper SE . O compacto parte de R$ 239.990 na versão de entrada Exclusive , passa por R$ 264.990 na versão intermediária Top e chega a R$ 269.990 na versão topo de linha Top Collection .

O Cooper elétrico tem as mesmas proporções do modelo convencional, mas ganhou alguns milímetros de altura para alocar as baterias sem raspar. Ele também é mais pesado que o Cooper a combustão, com 1.365 kg ante apenas 1.175 kg.

Um elétrico diferente

O Mini Cooper SE tem algumas diferenças na comparação com outros elétricos, como Renault Zoe e Nissan Leaf . O compacto inglês é um veículo térmico adaptado para rodar com eletricidade, enquanto os outros dois foram desenvolvidos como modelos puramente elétricos.

Por este motivo, as baterias do Mini Cooper SE são bem menores, pois precisam caber na mesma estrutura do modelo a gasolina. Elas são alocadas abaixo do assoalho, em formato de “T”, enquanto as baterias da dupla Zoe e Leaf preenchem completamente a parte inferior.

O conjunto de baterias subdividido em 12 módulos tem capacidade energética de 29 kWh. Este arranjo facilita a manutenção , uma vez que se for identificada alguma falha em um dos módulos, basta substituir o componente sem afetar os outros. A bateria tem garantia de 8 anos ou 100 mil km.

Em uma unidade de recarga rápida, o Mini Cooper SE pode recuperar até 80% da energia em 30 minutos. No wall-box residencial, a mesma recarga dura em torno de 2 horas e 10 minutos, enquanto em uma tomada convencional (que precisa ser aterrada), a carga leva em torno de 14 horas.

Kart elétrico

Mini Cooper SE preserva a vibe esportiva do modelo com motor a combustão; dirigibilidade é destaque
Divulgação

Mini Cooper SE preserva a vibe esportiva do modelo com motor a combustão; dirigibilidade é destaque

O motor elétrico desenvolve 184 cv de potência e 27 kgfm de torque, com velocidade máxima de 150 km/h limitada eletronicamente. Segundo a fabricante, o compacto pode atingir 100 km/h em 7,3 segundos.

A dirigibilidade sempre foi a principal característica dos modelos Mini – e fico contente que isso não tenha sido esquecido na versão elétrica. A vibe do Cooper SE é exatamente a mesma do modelo térmico, mas sem os ‘estalos’ metálicos no escapamento. 

Você viu?

Pisando fundo, as rodas dão uma leve destracionada graças a o torque instantâneo, entregue em ‘zero rotação’. Este comportamento emula o hatch movido a gasolina.

Graças ao centro de gravidade mais baixo, o Mini Cooper SE é mais estável que o modelo a combustão. Sua dirigibilidade é bem direta e responsiva, o tal “go-kart feeling” que o time de engenharia gosta de destacar.

A suspensão rígida transmite todas as irregularidades do solo para a cabine, mas o Cooper SE não deixa de ser um modelo confortável para o dia a dia. Infelizmente, sua autonomia é baixa: são 234 km de capacidade de circulação, contra 300 km do Renault Zoe e 304 km do JAC e-JS1 .

Despojado

Confira o pacote de equipamentos de cada uma das versões do Mini Cooper SE 2022
Divulgação

Confira o pacote de equipamentos de cada uma das versões do Mini Cooper SE 2022

O pacote Exclusive (R$ 239.990) de entrada conta com painel digital de cinco polegadas, teto solar panorâmico, sensor e câmera de ré, ar-condicionado de duas zonas (o único da categoria), conjunto de iluminação full-LED, conectividade Apple CarPlay e um carregador portátil adaptado para as tomadas brasileiras.

A versão Top (R$ 264.990) inclui head-up display , sistema de áudio premium Harman/Kardon, LEDs direcionais, sistema de navegação e rodas exclusivas aro 17. O pacote Top Collection (R$ 269.990) ainda traz teto multi-tom e bancos de couro em combinações diferenciadas.

Julgando que o Mini Cooper  convencional tem preço base de R$ 214.990, a versão 100% elétrica surge com um pacote super competitivo. Quando a próxima geração do hatch for lançada, você não terá mais a opção de escolher o modelo a gasolina.

Vale lembrar que as lanternas traseiras do Mini Cooper trazem a bandeira do Reino Unido, nação que vai proibir a venda de carros a gasolina a partir de 2030. Alguns modelos híbridos serão tolerados até meados de 2035, mas a Mini pretende se antecipar. O Brasil precisa participar dessa transformação.

Mini Cooper SE Preço: a partir de R$ 239.990 Motor: elétrico, tração dianteira Potência: 184 cv Torque: 27 kgfm Transmissão: automática Freios: discos ventilados (dianteira), disco sólido (traseira) Suspensão: McPherson (dianteira), multibraço (traseira) Dimensões: 3,84 m de comprimento, 1,72 m de largura, 1,41 m de altura e 2,49 m de entre-eixos Porta-malas: 211 litros Vel. Máx: 150 km/h 0 a 100 km/h: 7 segundos.

Fonte: IG CARROS

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carros e Motos

Veja 5 carros nacionais que são réplicas de modelos europeus

Publicado


source

Esportivos clássicos europeus são caros até mesmo para os brasileiros mais abastados. Some isso à proibição das importações até a década de 90 e teremos um cenário repleto de cópias para aqueles que querem se diferenciar no trânsito.

Partindo disso, a reportagem do iG Carros relembra 5 esportivos brasileiros que na verdade são cópias de modelos europeus. Acompanhe a lista.

1 – Chamonix 550 Spyder

Chamonix 550 Spyder era réplica do Porsche 550; tinha motor 2.0 da Volkswagen
Garagem do Bellote

Chamonix 550 Spyder era réplica do Porsche 550; tinha motor 2.0 da Volkswagen

A Chamonix foi criada em 1987 para produzir réplicas de modelos clássicos da Porsche . Diferentemente do que muitos pensam, a empresa era autorizada pela matriz alemã a produzir réplicas para abastecer não apenas o mercado brasileiro, como também países vizinhos. O mais lembrado é o Chamonix 550 Spyder , réplica do Porsche 550 .

O modelo traz carroceria de fibra de vidro, chassi tubular e motor Volkswagen da família AP, capaz de desenvolver aproximadamente 120 cv de potência. Já o Porsche 550 foi produzido até 1956 e tinha motor 1.5 de 110 cv de potência. Para sua época, era um foguetinho.

2 – MP Lafer

Antes de produzir móveis, a Lafer teve uma réplica do MG TD no Brasil
Garagem do Bellote

Antes de produzir móveis, a Lafer teve uma réplica do MG TD no Brasil

Em 1974, a Lafer decidiu começar a produzir réplicas do modelo inglês MG TD para o mercado brasileiro. Assim como vários carros ‘fora de série’ de sua época, era repleto de componentes de modelos da Volkswagen . O próprio motor 1.600 era utilizado no Fusca e na Variant .

Estima-se que cerca de 4,3 mil unidades do MP Lafer foram produzidas entre 1974 e 1990. Desde seu último ano de produção, a empresa passou a focar na produção de móveis para residências e escritórios, atividade em que segue atuando até os dias de hoje. 

3 – Fera XK

Fera XK era o Jaguar XK 120 que o brasileiro podia comprar; tinha motor de Chevrolet Silverado
Garagem do Bellote

Fera XK era o Jaguar XK 120 que o brasileiro podia comprar; tinha motor de Chevrolet Silverado

Quem procura um carro super-exclusivo pode se dar bem com o Fera XK , réplica fiel do Jaguar XK 120 . Ele era produzido com motor seis cilindros da Chevrolet Silverado (desenvolvendo 138 cv de potência), suspensão de Opala e câmbio de cinco marchas do Omega.

O modelo é extremamente raro no mercado de carros clássicos, onde uma unidade em bom estado pode passar de R$ 130 mil.

4 – Phoenix

A restauradora Phoenix chegou a produzir réplicas do Mercedes 280 SL Pagoda em meados de 1970. Ele tinha motor de seis cilindros do Opala, câmbio manual de quatro marchas e espaço para dois ocupantes.

Atualmente, o Phoenix Studio foca apenas na restauração de modelos clássicos, como os poucos Cadillac antigos que rodam no Brasil. 

5 – L’AutoCraft

L'Autocraft era réplica do Alfa Romeo P3 da década de 1930
Divulgação

L’Autocraft era réplica do Alfa Romeo P3 da década de 1930

Outro modelo que chamou atenção no Brasil dos anos 80 foi o L’autocraft , produzido na Barra do Piraí (RJ). Além de réplicas de Alfa Romeo , Dimo, Ford 1929 e Bugatti, a marca se destacou no segmento dos buggys.

Assim como várias outras pequenas produtoras de modelos fora de série, a L’AutoCraft não resistiu à abertura das importações em 1990. Encerrou suas atividades em 1997.

Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Carros e Motos

Anulados mais de 126 mil processos com mais de 20 pontos na CNH

Publicado


source


Os motoristas que ainda não receberam o aviso de cancelamento podem acompanhar por meio dos canais digitais
Divulgação

Os motoristas que ainda não receberam o aviso de cancelamento podem acompanhar por meio dos canais digitais

O Departamento de Trânsito do Estado de São Paulo (Detran.SP) anula 126.957 mil processos de suspensão do direito de dirigir de motoristas que tinham 20 pontos ou mais na CNH que estavam aguardando julgamento e que não se enquadravam na determinação do novo Código Brasileiro de Trânsito (CTB).


Em vigor desde o dia 12 de abril deste ano, o novo CTB estabelece novas regras que passaram para 20 pontos no período de 12 meses, com duas ou mais infrações gravíssimas; 30 pontos com uma infração gravíssima e 40 pontos sem nenhuma infração gravíssima ou se o condutor exercer atividade remunerada.

Vale lembrar que antes da medida, até março de 2021, o limite da pontuação para infrações de trânsito que geravam a suspensão da CNH era de 20 pontos.

De acordo com Raul Vicentini, Diretor de Habilitação do Detran.SP, a pessoa não precisa ir a uma unidade do Poupatempo ou Detran solicitar o cancelamento porque isso já foi feito automaticamente pelo sistema, e que não caia em golpes de profissionais que estão oferecendo auxílio para efetuar a suspensão junto ao Departamento.

O condutor será comunicado via Correio sobre a decisão. Os motoristas que ainda não receberam a carta encaminhada pelo Detran.SP podem consultar o andamento por meio dos canais digitais –  www.detran.sp.gov.br.

Vale reforçar que os novos limites de pontos na CNH já estão sendo aplicados pelo Detran , conforme determina o novo Código Brasileiro de Trânsito (CTB).

Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana